TEOLOGIA EM FOCO

terça-feira, 4 de junho de 2013

O FILHO DO HOMEM...SENHOR DO SABATH



“Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo...Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor” (Mateus 12.6 e 8 (ACF).

OBJETIVO

Mostrar que CRISTO é DEUS, através do estudo da Sua afirmação de que ELE era maior que o templo e também possuía autoridade de dispensar os discípulos da observância do sabath judaico, pois somente DEUS pôde ordenar no passado a Lei e somente DEUS teve e tem autoridade para modificá-la.

1. A Centralidade de CRISTO (Alfa e Omega)

O assunto central das Sagradas Escritura não é o homem, nem o atendimento divino de suas necessidades. O assunto central das Sagradas Escrituras é o SENHOR JESUS CRISTO. ELE é o Alfa e o Omega (Ap 1.8).

A Centralidade de Cristo é vista claramente:
A. Na Criação (Gn 1.1, Jo 1.1-3).
B. Na promessa da redenção (Gn 3.15).
C. No preparo da nação que receberá o Messias (Gn 12.1-3; Gn. 28.14; Zc 9.9; Gl 3.8).
D. Na plenitude dos tempos (Gl 4.4; Hb 1.1).
E. Na glória que a ELE e só a ELE é devida e a ELE será concedida (Is 45.23; Rm 8.29, 11.36, 14.11; Cl 1:15-18; Hb 1.6; Ap 1.5).

Nada na Bíblia retira esta centralidade (e nada fora dela, mesmo o diabo e seus servos, poderá fazer isso). CRISTO é seu assunto principal de capa a capa.

2. Tentativas de se retirar a centralidade de CRISTO constituem apostasia.

Todos aqueles que buscam retirar a centralidade de CRISTO da adoração que LHE é devida, de forma consciente ou não, cometem um erro grosseiro. Quem assim procede não somente comete idolatria, mas a si mesmo se constitui apostata (desertor).

A. Foi o que levou Israel a rejeitá-lO: o amor dos judeus era maior pela nação e pela tradição, mesmo diante de todas as evidências de que Jesus era o Messias, o Cristo, o Filho de DEUS vivo. O ápice dessa rejeição foi creditar ao diabo, Satanás [Baal Zebube, ou Belzebu], os milagres que eram obras do Espírito Santo (Mt 22.24), o que constituiu o pecado imperdoável (Mt 12:31-32).

B. Foi o que levou ao disfarce pagão romanista se estabelecer com religião oficializada se institucionalizar-se: seu amor pelos ídolos, pela política secular e pela filosofia helênica.

C. É o erro grosseiro de todas as seitas religiosas modernas, que retiram Cristo da centralidade da adoração e dispõe outro(s) alvo(s) de adoração, como por exemplo: Maria, a própria Igreja ou Denominação, os Ritos Litúrgicos, as Obras humanas, a Subserviência à Lei, o culto do próprio homem, o desejo dos milagres, o próprio Misticismo. [Exemplo: o espírito nos cultos que não os leva a glorificarem a CRISTO (Jo 16.14), mas a si mesmo, ou aos próprios homens e suas concupiscências. Portanto, é este um claro e evidente sinal de que tal espírito não é o Espírito Santo de DEUS ao qual eles seguem e ao qual se entregam (1ª Tm 4.1).

E mesmo sob uma máscara de piedade, os que procedem assim não poderão herdar o reino de DEUS, pois prevaricaram e rejeitaram a CRISTO (Hb 10.29; 2ª Jo 9-11).

3. Retirar a Centralidade de CRISTO da adoração leva o pecador a adorar a ordem acima d’AQUELE que estabeleceu a ordenação.

Israel institucionalizou de tal forma seus ritos, não compreendendo que o que foi estabelecido por DEUS eram sombras dos eventos futuros, que o ato se tornou mais importante que o fato, ou seja a ordem mais importante do que QUEM ordenou e estabeleceu a ordenação.

Os judeus entenderam e reivindicação do SENHOR JESUS. ELE se colocou diante dos Fariseus no lugar que só poderia ser ocupado pelo DEUS ETERNO, que Legislou no Velho Testamento sobre o povo de Israel.

Os judeus entenderam que o SENHOR JESUS se colocou em posição de adoração, de ser adorado como DEUS. O SENHOR JESUS não está reivindicando honra e glória para o sabath judaico (sábado hebdomadário)! O Senhor Jesus Cristo está reivindicando honra e glória para Si mesmo como DEUS Todo-poderoso em carne!

O SENHOR JESUS CRISTO está afirmando diante dos judeus que ELE é o Todo Poderoso Legislador! E que, além disso, somente ELE pode ter autoridade acima de todos para agir como DEUS.

Portanto, a compreensão dos líderes judeus ficou clara. Se o SENHOR JESUS pode abolir o cumprimento da ordenança do sabath, ELE é o Legislador, ELE é o Juiz e é ELE que Executará juízo, portanto ELE é DEUS! Eles tinham de aceitar ou de rejeitar tal reivindicação, mas não podiam ignora-la.

É CRISTO Quem está sendo exaltado no texto, em revelar-Se a Si mesmo, em definir-se como DEUS e Soberano Senhor. ELE mesmo é o ETERNO SENHOR que deu a Lei ao povo de Israel e, diversas vezes permitiu sua profanação (como no caso de David e dos sacerdotes que ELE mesmo menciona em Mateus 12.3-5).

O SENHOR JESUS CRISTO então lhes ensina que mais vale adorar a DEUS do que a tradição. Os judeus deveriam abandonar sua tosca visão da própria religião. Eles haviam perdido o foco e o fio da meada. Não adoravam a DEUS, mas as suas próprias conclusões sobre as regras de conduta. Eram condutores cegos, sem discernimento, realizando rituais que não passavam de tradições humanas (Mt 15.3-6, 14; 23.16 e 24).

Sua religiosidade era humana, falsa, hipócrita, superficial e inútil. Essa religiosidade não pode salvar ninguém e é ledo engodo do diabo! Todos os que assim procedem cometem o mesmo erro, caem no mesmo buraco do sacrifício ritualístico como sendo mais importante que o alvo da adoração. Tornam-se idolatras do que observam, negando-se a adorarem somente AQUELE que é digno de adoração.

4. Assim com DEUS tem poder para criar e alterar Sua própria criação, ELE possui poder para determinar suas ordens e aboli-las.

CRISTO é aqui exaltado. CRISTO é muito maior que Sua Lei e não é inferior a ela, pois foi ELE quem a criou.

Não é CRISTO quem aponta para a Lei, mas a Lei aponta para CRISTO, a necessidade que o homem (incapaz de guardar a Lei moral) tem de um Salvador que o substitua, seja perfeito por ele e no lugar dele.
CRISTO é maior e mais importante que o Templo! Pois foi ELE quem ordenou o Templo!

ELE é maior e mais importante que a Lei, pois esta somente serve para demonstrar o pecado do homem e não para conceder-lhe a salvação (Rm 3.20). O ritual, a cerimônia, é sombra e não o motivo da salvação (Cl 2.16-17).

John Gill, o grande teólogo batista, em seus comentários bíblicos nos dá uma excelente exegese desta passagem:

“Pela expressão ‘o Filho do Homem’ deve ser aqui entendido, não por qualquer homem, como alguns tem pensado; pois nenhum mero homem mortal é senhor de qualquer lei, seja ela moral ou ritual, natural ou positiva; ou possui o poder de dispor-se a fazer-se (a si mesmo) senhor delas; este é um entendimento constante nos textos do Novo Testamento e é uma característica do Messias no Velho Testamento (Daniel 7.13) que, assim como somente DEUS foi instituidor da lei do sabath entre os judeus (que se tornou um ritual, e uma mera instituição positivistas - para justificação própria), somente o próprio DEUS poderia dispensar os homens de observá-la. E este mesmo DEUS tem poder e autoridade de ab-rogá-la e aboli-la a seu próprio prazer e vontade”.

Os judeus concordavam com isso, que os mandamentos da lei do sabath poderiam receber dispensa - apenas de DEUS. Eles ainda ensinam que: “o dia em que Jericó foi tomada foi um dia de sabath; eles (os israelitas) a invadiram e queimaram a cidade em um dia de sabath” e “somente Aquele que determinou e comandou o povo à observação do sabath podia comandar sua profanação” [R. David Kimchi in Josh. vi. 11.].

“E desde que CRISTO é maior que o templo, e tem todas as perfeições da natureza divina n’ELE, é igual a DEUS o PAI em Poder e Glória; e mesmo como Mediador, tem todo poder nos céus e na terra dadas a ELE; então ELE é o SENHOR de todas as coisas. ELE é SENHOR do sabath, e tem o poder (e autoridade) de dispensá-lo e mesmo de aboli-lo; veja Cl 2.16 - e desde que ELE é o SENHOR do sabath e tem o poder de dispensa-lo e faz uso de exemplos já ocorridos no passado, como o caso de David e seus homens, e dos sacerdotes do templo que são formalmente dispensados por DEUS; os Fariseus não deveriam pensar que isto era estranho, que o Filho do Homem, que é o SENHOR do sabath, poderia dispensar dele agora os seus discípulos”. [John Gill's Exposition of the Entire Bible]

Por isso não encontramos no Novo Testamento nenhuma ordenança à observância do sabath para os povos gentílicos salvos por CRISTO pela graça e membros das igrejas locais. O SENHOR JESUS CRISTO, sendo DEUS Todo Poderoso, com sua autoridade dispensou os povos gentílicos de observarem o sabath judaico, dando-nos o Dia do Senhor (At 20.7; 1 Co 16.2; Ap 1.10).

Por isso o apóstolo Paulo, movido pelo Espírito Santo de DEUS nos ensina:
“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo. Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão” (Colossenses 2.16).

As celebrações judaicas de descanso e cessação (sabath) eram anuais (festas), mensais (luas novas) e semanais (os sábados). Pôr-se debaixo desse julgo é ser dominado ao bel prazer dos judaizantes, inchados em compreensão não espirituais (carnais).

Por isso, quando os apóstolos se reúnem em Jerusalém para determinar se os gentios convertidos devem ou não se submeter à observância da circuncisão e das ordenanças do sabath e dos alimentos levíticos, chegam à conclusão que eles foram dispensados por DEUS, salvos pela Graça (At 15.1-31). Por isso o apóstolo Paulo, movido pelo Espírito Santo de DEUS, escreveu suas exortações aos irmãos da igreja local da Galácia, a Epístola aos Gálatas.

Os que negam que JESUS CRISTO tenha autoridade para abolir o sabath (como o fez no caso dos gentios convertidos da atual Dispensação) não O honram como DEUS e não o receberam como SENHOR, portanto não foram salvos por ELE, estando em trevas e em perdição de uma religião ritualística humana e carnal, crendo que podem se salvar por mérito próprio, mesmo que seja apenas pela guarda do sabath cerimonial judaico (embora a Lei tenha centenas de exigências às que desprezam abertamente, inclusive com relação ao próprio sabath).

Não foi o poder do império romano que procedeu tão dispensa. Os sabatistas estão errados ao usarem este sofisma, pois pecam por não conseguirem honrar ao SENHOR mais do que o dia. ELES se tornam assim até mesmo piores que os próprios Fariseus, pois em sanha idolátrica não admitem nem que DEUS mesmo possa dispensar seu povo de suas ordenanças sabáticas. Seria este o DEUS da Bíblia? Seria o Jesus que pretendem adorar o DEUS Todo Poderoso, ou um outro Jesus?

O DEUS da Bíblia não está subordinado à Sua Lei, mas a Sua Lei é que está subordinada à ELE. Senão ELE não seria DEUS!

Maior que o sabath, é o CRIADOR e SENHOR do sabath, que tem todo poder e autoridade sobre suas ordenanças. Adorar ao sabath é idolatria e não pode salvar o homem (Não existe embasamento bíblico para a expressão idólatra “Feliz sábado!”, que é um mantra religioso de salvação pelas obras da instituição).
Adorar o SENHOR do sabath e recebê-lO como Único e Suficiente Salvador, arrependendo-se de seus pecados, rendendo-se a ELE é dom de DEUS e é a único meio pelo qual DEUS concede perdão e salvação a todo pecador arrependido, dando-lhe vida eterna (Jo 3.16; 10.27-28; Ef 2.8-9).

Não é o sabath aqui o assunto principal. Nunca foi! Pensar assim é cometer um erro grosseiro, idolatria.
O assunto principal aqui, como em toda a Bíblia, é o SENHOR JESUS CRISTO.

Instar com os judaizantes-sabatistas para que olhem para CRISTO como Salvador ao invés do sabath, clamando para que se arrependam do pecado de incredulidade e arrogância de crerem estar sendo cumpridores da Lei e assim sendo merecedores da salvação (potencial e condicionada e observância sabática) é um ato de amor, mesmo que eles afirmem e creiam em contrário.

Exaltando a si mesmos como Remanescente Fiel e Verdadeiro (devem confessar que creem assim, antes do batismo, estando definido assim em seus certificados batismais) agem como os Fariseus que, ignorando o SENHOR do sabath, se tornaram desertores e rejeitaram o tão aguardado MESSIAS que deviam receber (Jo 1.9-12), honrar e glorificar.

Esta será a mais importante decisão que deverão tomar: deixar o sabath e receberem a CRISTO como Único e Suficiente meio de salvação (Jo 14.6).

Ao SENHOR JESUS CRISTO e só a ELE, portanto, seja dada toda Honra, Glória e Louvor.
Pelos séculos dos séculos, amém.

Autor: Pr Miguel Ângelo L Maciel(ex adventista, salvo pela Graça de DEUS – Ef 2.8-9)