TEOLOGIA EM FOCO

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O SÁBADO NA CRIAÇÃO


I.          INTRODUÇÃO

Lembra que Deus é Senhor, criador de todas as coisas; soberano sobre a criação, por esta razão Ele quer que tenhamos entendimento a respeito do sábado.

A palavra sábado no hebraico shabbath significa intervalo é derivado de uma raiz primitiva que significa: cessar, repousar, ou estar imóvel, parar, desistir, descansar; no verbo (Qal) guardar ou observar o sábado. Descansar no hb. shabbathown - observância do sábado, sabatismo. Sabatismo do latim sabbatismus – rigorosa observância do sábado como dia de culto e de descanso. Entre os adeptos dos sabatismo incluem-se os judeus e os adventistas do sétimo dia. Para os judeus era um concerto perpétuo (Êx 31.12-18).

II.       O TEMPO DE DEUS E O TEMPO DO HOMEM

“No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. Disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas. Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia (Gn 1.1-5).

O TEMPO DOS HOMENS. O tempo dos homens é aquele expresso pela palavra grega cronos: o tempo do calendário, do relógio, tempo que costuma nortear a nossa vida.

O TEMPO DE DEUS. Esse tempo tão diferente do nosso, expresso pelo vocábulo kairós.

POR QUE DEUS PRECISOU DE 7 DIAS PARA CRIAR O MUNDO?

Ele não poderia criar tudo em milésimos de segundos (mais rápido do que um piscar de olhos)? E os dias da Criação, foram dias normais de 24 horas ou um período maior?

Quando Jeová criou a terra não foi no tempo literal como o sabatismo ensina. No Salmo 90 está escrito: “Porque mil anos aos teus olhos são como o dia de ontem que passou, e como uma vigília da noite”. E 2ª Pedro 3.8: “Amados, não ignoreis uma coisa: UM DIA PARA O SENHOR É COMO MIL ANOS E MIL ANOS COMO UM DIA”.

Não havia sol e nem lua, e o universo estava sob tempo de Jeová (cronos) e não do homem.

Em segundo lugar o capítulo primeiro de Gênesis trata-se da criação do universo, ou seja de toda a criação de Jeová.

O homem foi a última coisa que Jeová criou: Em Gn 1.27-28 diz: “Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28 E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”.

Então Jeová abençoou sua criação. Abençoar é diferente de guardar o sétimo dia.

No capítulo 2 de Gênesis a Bíblia começa a narrar à história do homem:

“Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. 2  E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. 3  E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera (Gn 2.1-3).

Por que a Bíblia diz que Deus descansou no 7.º dia? Como o Todo-Poderoso foi se cansar? Jeová cansa? De maneira nenhuma Ele é Espírito e o profeta Isaías 40.28 diz: “Será que vocês não sabem? Será que nunca ouviram falar disso? O SENHOR é o Deus Eterno, ele criou o mundo inteiro. Ele não se cansa, não fica fatigado; ninguém pode medir a sua sabedoria”. Jesus disse certa vez: “Meu Pai trabalha até agora e Eu trabalho também” (João 5.17). O 7.º dia é chamado na Bíblia de SÁBADO DO ENHOR (Êxodo 20.10) e é frequentemente citado no Antigo Testamento. No Novo Testamento o dia mais citado não é o Sábado, mas a 2.ª VINDA DE CRISTO, chamada pelos profetas de “O DIA DO SENHOR”. Será que o Sábado tem alguma relação com o Retorno de Cristo?

E, havendo Jeová terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. 3 E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.


Não encontramos em Gênesis que os patriarcas guardavam o sábado. O sábado foi guardado no Éden, pelos patriarcas? A onde está escrito?

Pr. Elias Ribas