TEOLOGIA EM FOCO: Julho 2013

segunda-feira, 29 de julho de 2013

O REI SAUL E A MÉDIUM DE EN-DOR


 A crônica de 1ª Sm 28.7-25 foi ditada por uma testemunha ocular: logo, por um dos servos de Saul que o acompanhara à necromante (7-8). Frequentemente, esses servos eram estrangeiros (21.7; 2ª Sm 23.25-39) e quase sempre supersticiosos, crentes no erro (v.7). Razão por que o seu estilo é tão convincente. Esta crônica que parte da história de Israel, pela determinação divina, entrou no Cânon Sagrado, para mostrar que um homem sem a direção de Deus perde a visão espiritual a ponto de fazer aquilo que ele próprio condenava.

Infelizmente, esta crônica é interpretada por muitos sob o mesmo ponto de vista de Saul. Devemos buscar a interpretação correta na Bíblia, que em si mesma, tem os argumentos corretos, para discernir as afirmações do servo de Saul. Antes, porém, vejamos a palavra médium no v. 6, que no hebraico é traduzido por “espírito adivinhador”, ou “espírito familiar” e no texto grego da Septuaginta por (engastrimuthos) “ventríloquo” (um de fala diferente), palavra usada que indica a espécie de pessoa usada por um desses “espíritos”.

Para podermos entender este embuste, precisamos fazer um exame textual analítico dentro das regras da hermenêutica bíblica. Vejamos pois:

1. O leitor deve primeiro fazer a leitura de todo o capítulo (28) e depois observar cuidadosamente cada detalhe.

2. Saul quando era fiel ao Senhor, perseguiu e afugentou os médiuns da terra provando com isso que Deus abomina tal prática:

“Respondeu-lhe a mulher: Bem sabes o que fez Saul, como eliminou da terra os médiuns e adivinhos; por que, pois, me armas cilada à minha vida, para me matares?”. (v. 9).

3. Quando Saul consultou a pitonisa ele já estava caído, reprovado por Deus e endemoniado (1º Sm 15.22, 23; 16.1, 14).

“De súbito, caiu Saul estendido por terra e foi tomado de grande medo por causa das palavras de Samuel” (1º Sm 28.20). Saul se encontrava perturbado, e, uma pessoa nesse estado é presa fácil do diabo.

“Então, disse Samuel: Por que, pois, a mim me perguntas, visto que o SENHOR te desamparou e se fez teu inimigo?” (v.16).

4. Note que o verso 5 diz que ele estava tomado de medo. Por quê? Por Deus o havia abandonado. O homem com medo é derrotado antes da guerra.

5. Saul só buscou a necromante depois que o Espírito de Deus se retirou dele. A sua horrível e prematura morte se deu por causa disso. Aqui vemos a confirmação, de que Deus não está neste negócio (1º Cr 10.13-14).

6. Argumento Exegético: O versículo 6 diz que o Senhor não lhe respondeu:

“Nem por sonho”. Quando analisamos do ponto de vista divino, o sonho é “uma revelação pessoal” de Deus ao homem que se processa por meio da palavra e expressão transmitida pela visão ou imagem (1ª Sm 3.1; Jó 33.14-16). Mas o Senhor não lhe respondeu, isto é, Deus não se manifestou.

“Nem por Urim”. Revelação pessoal; “nem por Urim”, revelação sacerdotal;

Algumas passagens das Escrituras falam destas duas pedras, “Urim e Turim” (Êx 28.30; Lv 8.8; Nm27.21 Dt 33.8; 1ª Sm 28.6).

Como Deus respondia por este método. Na passagem de Êxodo 28.30, Deus ordenou a Moisés colocar “no peito do Juízo Urim e Tumim” em “cima do coração de Arão”. Tem sido sugerido que o Urim e o Tumim eram dois objetos chatos: um lado de cada um desses objetos tinha por escrita a palavra “Urim” derivado de “arar”, que significa “luzes” e Tumim “ser perfeito”. O emprego destas pedras no peitoral do sacerdote era para saber: “como a vontade de Deus era revelada”. O Urim e o Tumim que então significa “luzes e perfeição”. Com esta idéia, o Urim e o Tumim passariam a ter um sentido de “fogo sinalizante”, uma espécie de semáforo. Três luzes deviam piscar ali:

A. A luz de cor amarela era sinal de atenção.
B. A luz cor vermelha era sinal de reprovação.
C. Luz de cor verde era sinal de aprovação divina. O método como isso ocorre, dá-se da seguinte forma:

O sacerdote consultava a vontade divina sobre esta ou aquela decisão necessária, olhando sempre para a luz amarela estacionada em cima do seu coração; segundo este modo de proceder, neste instante vinha a resposta da parte de Deus: sim ou não. O sim era revelado através da luz verde sobrenatural, enquanto que o não, se dava através da luz vermelha sobrenatural. No caso de Saul, nenhuma nem outra coisa se manifestou; portanto, Deus lhe não respondeu este método.

“Nem por profetas”. Revelação inspirada da parte de Deus em que Sua vontade era manifestada através de um homem ou mulher, santo capacitado por Deus para este fim. Mas a Bíblia também afirma que Deus não se manifestou por tal método. A sentença é sempre a mesma: “...o Senhor lhe não respondeu” (v.6).

7. Argumento escatológico. Seria impossível Samuel ter falado. Primeiro: porque se encontrava morto e estava no seio de Abraão segundo os ensinos de Jesus em Lucas 16.27-31. O profeta Samuel nunca desobedeceu a Deus. Era integro. Segundo este conceito, Samuel se encontrava no “seio de Abraão” ou “Paraíso”, conforme Lucas 16.22 e 2ª Coríntios 12.4. Na narrativa de Lucas (16.22), diz que o rico se encontrava num lugar “baixo” (Hades) e que Lazaro se encontrava num lugar “alto” (Paraíso). Segundo a Bíblia diz, o rico “...ergueu os olhos” para contemplar Lázaro (16.23). Assim, de acordo com o argumento lógico, não foi Samuel que apareceu ali, visto que o texto diz: “...subiu da terra” (cf. 1ª Sm 28.13-14). Ora, se fosse Samuel, então ele teria “descido do Paraíso” e não “subido da terra”.

8. A médium não afirma que era Samuel e sim “deuses” que subiam da terra (v. 13). Ou ela estava enganando Saul ou vendo demônios materializados conforme se chama hoje no espiritismo “visualizações”. Depois ela observa que não se trata de “deuses”, e sim “de um homem ancião” (28.14). Note que o texto diz que Saul “nada viu”, mas deduziu que seria Samuel baseando na descrição da necromante.

Os versos 20 e 21 do capítulo em foco dizem que Saul se encontrava perturbado, e apenas entendeu que era Samuel que falava (v.14). Certamente não foi Samuel.

9. Argumento contraditório. No capítulo 15.35 de 1ª Samuel Bíblia diz: “nunca mais viu Saul até o dia da sua morte, porém tinha pena de Saul”. Numa outra tradução mais correta seria: “nunca mais procurou Samuel a Saul”.

Mas quem falou através da necromante? Samuel era profeta de Deus e só poderia falar por inspiração, mas sendo morto como iria falar? Quem deveria falar deveria ser o próprio Deus, mas o Senhor não falou nem por Urim, nem por sonhos e nem por profetas. Se não foi o Senhor quem falou também não foi o profeta Samuel.

De acordo com a fidelidade das Escrituras, Samuel, o profeta, não podia subir ali naquela noite sombria. Durante sua vida aqui na terra ele foi obediente a Deus e agora, depois de morto jamais ele faria um só ato contrário à vontade de Deus, quando em vida declarou: “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar” (1ª Sm 15.23).

A Bíblia é explicita com respeito à volta de um morto:
“Antes que eu vá para o lugar de que não voltarei” (Jó 10.21). “Tal como a nuvem se desfaz e passa, aquele que desce à sepultura jamais tornará a subir” (Jó 7.9).  E o salmista Davi acrescenta: “Porém, agora que é morta, por que jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim” (2ª Sm 12.23). Aquilo que as Escrituras afirmam não pode ser anulado.

10. Argumento Ontológico: Do grego onthos, ser + logia, estudo racional. Então ontologia é o estudo do ser (ou metafísica geral). É a ciência do ser enquanto ser e dos caracteres que pertcem ao ser como tal. Este argumento baseia-se no versículo três do cap. 28 que está sendo estudado. Nele, Deus se identifica como Deus dos vivos e não dos mortos: de Abraão, Isaque, Jacó etc. “Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó? Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos” (Mt 22.32; ref. Êx 3.15).

Nem um profeta ou santo de Deus perdeu a sua personalidade, integridade, ou superego. Seria Samuel o único a poluir-se indo contra a natureza do ser, contra Deus (vv.6) e contra a doutrina que ele mesmo pregava (1º Sm 15.23), quando em vida nunca o fez? Impossível.

11. Argumentos proféticos (Dt 18.22): As profecias devem ser julgadas “Tratando-se de profetas, falem apenas dois ou três, e os outros julguem” (1ª Co 14.29). E essas do pseudo-Samuel, não resiste ao exame. São ambíguas e imprecisas, justamente como as dos oráculos sibilinos e délficos.

“Samuel (?) disse a Saul: Porque me desinquietaste?” (1ª Sm 28.15). Em apocalipse 14.13, essa profecia do pseudo-Samuel é refutada quando diz “Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham”. Devemos observar bem a frase: “me desinquietaste” no texto, e depois, confronta-la no contexto: “...para que descansem”, e veja, que aqueles que partiram (como Samuel) em paz com Deus jamais seriam desinquietados por uma feiticeira.

A “bem-aventurança” de apocalipse 14.13 destina-se aqueles que viveram e morreram fielmente a Deus; E Samuel foi um deles, e jamais viria a poluir-se numa sessão espírita presidida por uma mulher cuja era reprovada por Deus e a sua Palavra (Lv 19.31; 20.27). Deus não se contradiz! Portanto, não foi Samuel que ali apareceu.

12. O embuste da médium.
“O SENHOR entregará também a Israel contigo nas mãos dos filisteus, e, amanhã, tu e teus filhos estareis comigo; e o acampamento de Israel o SENHOR entregará nas mãos dos filisteus” (1º Sm 28.19).

A. Saul não foi entregue nas mãos dos filisteus. A profecia é de estilo sibilino e sugeria que Saul viria a ser suplicado pelos filisteus. Mas o fato é que Saul se suicidou (1º Sm 31.11-13). Saul apenas passou pelas mãos dos filisteus (1ª Sm 31.8-10), e veio parar nas mãos dos homens de Jabes-Gileade (31.11-13). Infelizmente o pseudo-Samuel não podia prever este detalhe.

B. Não morreram todos os seus filhos “... tu e teus filhos”, como insinua essa outra profecia obscura: Morreram três filhos de Saul (1º Sm 31.2) e três filhos ficaram vivos: Is-bosete (2º Sm 2.8-10), Armoni e Mefobosete (não o filho de Jonas), mas sim de Saul (2º Sm 21.8).

C. A suposta profecia predissera que, no dia seguinte, morreria Saul e seus filhos. Saul não morreu no dia seguinte como declarara a necromante: “... amanhã, tu e teus filhos estareis comigo....”. Esta é uma profecia do tipo délfico, ambígua. Saul morreu cerca de 18 dias depois (1º Sm 30.1, 10, 13,17; 1º Cr 10.2, 4).

“Sucedeu, pois, que, chegando Davi e os seus homens, ao terceiro dia, a Ziclague, já os amalequitas tinham dado com ímpeto contra o Sul e Ziclague e a esta, ferido e queimado” (1º Sm 30.1).

Davi gastou na sua volta três dias, em que percorreu uns 120 Km. Havia uns três dias que ele estava fora de Ziclague. E gastou um dia com os preparativos para a nova expedição contra os amalequitas. Que somado são sete dias.

Davi ao saber que Ziclague havia sido tomada e suas mulheres levadas cativas, lamentou e chorou muito (1º Sm 30.4). Após Davi reanimado no Senhor (1º Sm 30.6), levantou buscou o sacerdote Abiatar para consultar o Senhor.

“Então, consultou Davi ao SENHOR, dizendo: Perseguirei eu o bando? Alcançá-lo-ei? Respondeu-lhe o SENHOR: Persegue-o, porque, de fato, o alcançarás e tudo libertarás” (1º Sm 30.7).

Partiu Davi com seiscentos homens (30.9), porém duzentos ficaram na caminhada, pois estavam exaustos. No caminho encontraram um homem egípcio:

“Acharam no campo um homem egípcio e o trouxeram a Davi; deram-lhe pão, e comeu, e deram-lhe a beber água. Deram-lhe também um pedaço de pasta de figos secos e dois cachos de passas, e comeu; recobrou, então, o alento, pois havia três dias e três noites que não comia pão, nem bebia água. Então, lhe perguntou Davi: De quem és tu e de onde vens? Respondeu o moço egípcio: Sou servo de um amalequita, e meu senhor me deixou aqui, porque adoeci há três dias” (1º Sm 30.11-13).

“... há três dias”, que os amalequitas haviam deixado o egípcio no caminho. Davi gastou cinco dias para alcançá-los. O ataque foi inesperado, noturno e terminou rapidamente. (30.17). Para cuidar dos prisioneiros e recolher o despojo de guerra levou mais um dia. Na volta levou mais uns oito dias. Até aqui são 17 dias desde que a necromante profetizou para Saul. Após dezoito dias os filisteus entraram em guerra contra Israel (31.1-6), que os venceram.

As evidências e os próprios textos bíblicos dizem que ninguém morreu no dia seguinte como falara o suposto Samuel naquela reunião.

C. Saul não foi para o mesmo lugar de Samuel: “... estareis comigo...” (1º Sm 28.19). Outra profecia délfica. Interpretar comigo por simples “alem” (hb sheool), é contradizer a Bíblia. Samuel estava no seio de Abraão, sentia isso e sabia da diferença que existia entre um salvo e um perdido. Jesus o Filho de Deus também sabia, e não disse ao ladrão da cruz: “... hoje estará comigo no “alem” (sheol), mas sim, no “Paraíso”. Logo, Samuel não podia ter dito a Saul, que este estaria no mesmo lugar que ele: no “seio de Abraão”. Se Samuel tivesse desobedecido a Deus (1º Sm 28.16-19), passaria para o inferno, para estar com Saul? Ou então, Saul, ainda que transgredido a Palavra de Deus e consultado a necromante, passou para o Paraíso, para estar com Samuel?”.

“Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante, e não ao SENHOR, que, por isso, o matou e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé” (1º Cr 10.13-14).

As principais causas da derrota de Saul e seu fracasso, foram: 1) Transgressão contra Deus (1º Sm 13.8-14; 15.1-23). 2) Consulta a uma necromante (consulta de pseudos-mortos, 1º Sm 28.7-25). 3) Não consultou ao Senhor.

D. Quem respondeu Saul? A Bíblia fala de certos “espíritos”, sua natureza e seu poder (Êx 7.11, 22; 8.7; At 16.16-18; 2ª Co 11.14-15; Ef 6.12). São os anjos caídos de Apocalipse 12.4, 7-9 diz: “Com a cauda ele arrastou do céu a terça parte das estrelas e a jogou sobre a terra. 7 E houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão e os seus anjos. 8 Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar achou nos céus. 9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e satanás, que engana a todo mundo. Ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele”.

A Bíblia fala de dois tipos de anjos. Os bons (Sl 34.7; Mt 18.10 etc.) e os anjos maus que foram iludidos por Lúcifer.

Os dois tipos de anjos os bons e os maus que nos acompanham durante a nossa vida toda; anotam tudo e sabem tudo a nosso respeito.

Depois da morte o anjo bom leva o nosso livro-relatório , diante de Deus, pelo qual seremos julgados (Ap 20.12). Depois da morte o anjo a serviço de Lúcifer (anjo mau) assume a nossa identidade e representa-nos no mundo, através dos médiuns. Onde revela o nosso relatório com acerto e “autoridade”. É por isso que Paulo fala da luta que temos contra “as forças espirituais do mal” (Ef 6.12). E é pela mesma razão que Deus proíbe consultar aos “mortos” (Is 8.19-10), porque estes são falsos (Dt 18.10-14). Caso fossem espíritos humanos, provavelmente, Deus não proibiria a sua consulta, apenas regulamentaria o assunto para evitar abusos. Deus, porém proíbe o que que é dissimulação e falsidade.

13. Argumento Doutrinário: “Vendo a mulher a Samuel...” (v.12a).

Consultar os “espíritos familiares” é condenado pela Bíblia inteira. Fossem espíritos de pessoas, e Deus teria regulamentado essa prática, mas como não são, Deus o proibiu e condenou reiteradamente essa ação (cf. Lv 19.31; 20.7; Dt 18.10-12), e Deus não se contradiz (Tt 1.1).

Aceitado a profecia do pseudo-Samuel, cria-se uma nova doutrina que é a revelação divina mediante pessoas ímpias e polutas. E nesse caso, para serem aceitas as afirmações proféticas, como verdades divinas é necessário que sejam de absoluta precisão; o que não acontece no caso presente.

14. Então, quem são os espíritos que se manifestam através dos médiuns? Bíblia nos ensina que todos eles são espíritos enganadores, enviados por Satanás para enganar aos que não desejam receber o Evangelho da salvação: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar” (1ª Pe 5.8). Segundo as Escrituras, Satanás, no seu afã de enganar, se apresenta sempre como um espírito bom: “E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz” (2ª Co 11.14). Jesus disse dele: “Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8.44). O apóstolo Paulo, que recebeu o Evangelho não de homens (vivos ou mortos), mas diretamente por revelação de Jesus Cristo (Gl 1.11-12), faz a seguinte advertência: “Mas receio que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo. Se, na verdade, vindo alguém, prega outro Jesus que não temos pregado, ou se aceitais espírito diferente que não tendes recebido, ou evangelho diferente que não tendes abraçado, a esse, de boa mente, o tolerais” (2ª Co 11.3-4); “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência” (1ª Tm 4.1-2).

Concluo dizendo que toda doutrina espírita vem da falsa revelação dos espíritos que, como sabemos, são demônios, embora eles não creiam na existência dos mesmos, já por engodo dos próprios demônios. Os médiuns são geralmente anormais.

Grandes médicos brasileiros, como Dr. Xavier de Oliveira, Henrique Ruxo e R. Franco são unânimes em afirmar que o espiritismo é uma “fábrica de loucos porque começa desordenando o sistema nervoso originando anomalias e perturbações mentais”. Dr. Juliano Moreira, um famoso psiquiatra brasileiro costuma dizer: “até hoje não tive fortuna de ver um médium, principalmente os chamados videntes, que não fosse um neuropata”. Primeiro surgem as complicações nervosas, isto sem falar nos casos de homicídios e suicídios devido às “mensagens”.


O Espiritismo é uma grosseira imitação que Satanás, o pai da mentira. Tenta fazer para contrariar as obras de Deus. Isto aconteceu através dos mágicos do Egito. (Êx 7.9) e em muitas outras ocasiões, porém a verdade de Jesus sempre triunfará.

Pr. Elias Ribas

pr_eliasribas@yahoo.com.br

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O IMPACTO DA MAÇONARIA NA IGREJA

“E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as” (Efésios 5.11).

Nosso Deus é um Deus zeloso; ele detesta a adoração aos deuses falsos. Quando o povo de Israel estava para entrar na terra prometida, recebeu instruções específicas de Deus, que se encontram no livro de Êxodo 34.11-16.

Os maçons cristãos fizeram aliança com o povo pagão que adora outro deus, isto é, os hindus, muçulmanos, budistas e todas as outras falsas religiões. Eles se reúnem em volta de um altar estranho, o altar da Maçonaria, e adoram a um deus chamado Grande Arquiteto do Universo (GADU). Se um pagão oferece uma oração na loja ao GADU, está orando ao Deus da Bíblia? É claro que não; está adorando a um demônio. Em 1ª Coríntios 10.20, o apóstolo Paulo diz: “Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios”. A Maçonaria discorda do ensino da Bíblia e afirma que os pagãos estão orando ao mesmo Deus que os cristãos adoram. Somente esse fato demonstra que a Maçonaria não conhece o Deus da Bíblia. Se ela não conhece o Deus da Bíblia, como pode o deus dela, o GADU, ser realmente o Deus da Bíblia? Se o GADU for um demônio, o maçom cristão está se reunindo em torno de um altar estranho para adorar a um deus falso. Ele ficou enlaçado, exatamente como Deus advertiu os israelitas. Nosso artigo A Paternidade de Deus e a Fraternidade dos Homens expõe esse problema.

Continuando com a suposição que os maçons na igreja realmente sejam cristãos, considere o falso plano de salvação que é ensinado no ritual maçônico. Os maçons são levados a acreditar que todos os mestres maçons irão para o céu, incluindo os maçons budistas, hindus e muçulmanos. Os maçons são encorajados a imitar o salvador maçônico, Hirão-Abi, para que possam dar as boas-vindas à morte e serem transportados para o céu. Jesus Cristo não é mencionado no ritual da Loja Azul (os três primeiros graus). Certamente aqueles que conduzem o ritual participam de um grau maior. No entanto, no instante no ritual em que a venda é removida dos olhos do iniciado, todos os presentes batem com os pés no chão e batem as mãos. (Isso é conhecido com o choque da entrada; e surpreende o iniciado.) O maçom cristão está participando na promoção de um falso evangelho. Qual é a questão importante aqui? Importa se o cristão maçom está realmente dependendo da fé em Jesus Cristo para sua própria salvação? Isso salvará a alma do homem que acredita no que aprende no ritual maçônico? Se ele acredita que tem salvação como resultado do evangelho maçônico, é mais ou menos provável que estará aberto a Jesus Cristo em um tempo posterior? Como o testemunho de um maçom cristão é afetado pela sua participação em um ritual que ensina salvação sem Jesus Cristo? O artigo

Vamos assumir que os maçons na igreja não sejam cristãos. Neste caso, todos os cristãos na congregação que permitem aos maçons serem membros fizeram uma aliança com o povo pagão da terra. Eles encorajaram os maçons a ingressar na igreja, mas não exigiram que parassem de adorar o GADU, ou de promover o falso plano maçônico da salvação. Nesse segundo caso, os cristãos na igreja estão em pecado porque não permaneceram separados, mas receberam os pagãos. O apóstolo Paulo, deixa claro que permanecer separado não é apenas uma ideia do Antigo Testamento. Se você olhar em volta, verá que os filhos e filhas dos maçons estão se casando com as filhas e filhos dos cristãos há várias gerações. A igreja torna-se enlaçada, exatamente como Deus advertiu os israelitas que eles seriam enlaçados. Deus exige que permaneçamos separados para sermos seus filhos (2ª Coríntios 6.17-18).

I. QUEM É O GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO (G.A.D.U.) NA MAÇONARIA?

A Maçonaria requer de seus membros que creiam na existência de um Ser Supremo e também de que há um Único Deus. A Maçonaria se refere ao seu deus como sendo o Grande Arquiteto do Universo G.A.D.U. Ela ensina que todos os homens, de todas as religiões, adoram o mesmo Deus, simplesmente utilizando uma variedade de diferentes nomes. Esta é a base que dá sustentação a que os maçons possam ser Hinduístas, Muçulmanos, Budistas, adoradores do diabo, ou homens que dizem seguir o Senhor Jesus Cristo.

A Maçonaria requer de seus membros a crença em um Ser Supremo, todavia não define quem seja esse ser.

A Bíblia, todavia, nos revela que a verdade é bem diferente disto! A Bíblia afirma que só há um Único Deus, o Deus da Bíblia:

“Eu sou o SENHOR, e não há outro; além de mim não há Deus” Isaías 45.5
no original da Bíblia em Hebraico:

“Eu sou JEOVÁ, e não há outro; além de mim não há ELOHIM”

No Antigo Testamento, escrito em Hebraico, Deus se refere a si próprio como: DEUS O SENHOR (ELOHIYM YHWH - Elohim Jeová ou Elohim Adonai).

YHWH (Javé, Jeová) é um nome próprio, o nome pelo qual Deus, no Antigo Testamento, diz que seria reconhecido eternamente:

“Disse Deus (Elohim) ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR (Jeová), o Deus (Elohim) de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração” (Êxodo 3.15).

Deus afirma em Sua Palavra, que além dele próprio, YHWH, não há nenhum outro Deus, logo:

Krishna não é Deus, Zeus não é Deus, Moloque não é Deus, Odin não é Deus, Baal não é Deus, Shiva não é Deus, Ganesh não é Deus, Osíris não é Deus, Horus não é Deus, Brahman não é Deus, etc...

Mas para a maçonaria, qualquer dos falsos deuses citados acima pode ser o tal G.A.D.U. Vejam as evidências nestas palavras de sites maçônicos:

“A Maçonaria não é contra qualquer religião. Ela ensina e pratica a tolerância, defendendo o direito do homem praticar a religião do seu agrado. A Maçonaria não dogmatiza as particularidades do credo e da religião. Ela reconhece os benefícios e a bondade assim como a verdade de todas as religiões, combatendo, ao mesmo tempo, as suas inverdades e o fanatismo” (Fonte: www.lojasaopaulo43-com-br).

“Nas cerimônias de iniciação e outras, os jovens DeMolays prestam o seu Juramento sobre o Livro Sagrado da Religião, onde cada um julgue existir as Verdades pregadas pelos profetas de sua fé. Assim, o juramento deve ser prestado sobre o livro sagrado da crença do iniciado [Fonte: “Deus na Ordem DeMolay” -capituloanhanguera.vilabol.uol-com-br].

1. “A Bíblia é o único livro sagrado que deve ser colocado no altar? pg. 11 - A Bíblia é uma parte indispensável da decoração de uma loja cristã, somente porque ela é o livro sagrado da religião cristã. O Pentateuco judaico em uma loja judia e o Alcorão em uma loja muçulmana, pertencem ao altar” [Fonte: “La Formation Maçonnique” www-guigue-org/guigl01-1.htm].

Em suas reuniões secretas em suas Lojas (templos) a maçonaria adota o que chamam eles de o Livro da Lei, o Esquadro e o Compasso, considerados como suas Três Luzes Emblemáticas, que deverão estar sobre o Altar dos Juramentos. Esse Livro da Lei tanto pode ser o Alcorão, os Vedas Hindus, o Livro dos Mórmons, o Talmude judaico e, até a Bíblia! Essa afronta a Deus tenta colocar a Bíblia “no mesmo nível” desses outros escritos.

- Deus afirma que não há outro Deus além dEle.

- A maçonaria afirma que qualquer deus pode ser o tal G.A.D.U.

- G.A.D.U. pode designar qualquer deus.

- O Deus da Bíblia não é o Deus dos maçons, pois para aquela organização ocultista, o tal G.A.D.U. pode ser tanto Krishna, Buda, Maomé, Iemanjá ou o próprio Satanás.

- A maçonaria, portanto discorda de Deus!

A maçonaria, assim como seu pai, Satanás, fogem do Evangelho e tremem quando alguém lhes solicita que se posicione sobre quem é o Senhor Jesus Cristo. Não querem ouvir falar n'Ele, e procuram, de todas as formas, negar a Sua divindade. Negam também, veementemente, a exclusividade da Bíblia em sendo a Palavra de Deus.

Aqui publicaremos, mais uma vez, as esclarecedoras palavras de Albert Pike, que como você já leu, é um dos homens pivôs na história da Maçonaria:

“Para vocês, Soberanos Grandes Inspetores Gerais, nós dizemos isto, que vocês podem repetir para os irmãos dos graus 32, 31 e 30: A Religião Maçônica deve ser, por todos nós iniciados dos altos níveis, mantida na pureza da Doutrina Luciferiana”; “Sim, Lúcifer é Deus...”; “E a verdadeira e pura religião filosófica é a crença em Lúcifer, o igual de Adonai; Mas Lúcifer, Deus da luz e Deus do bem, está lutando pela humanidade contra Adonai, Deus da escuridão e do mal[Instruções aos 23 Conselhos Supremos do Mundo, Albert Pike, Grande Comandante, Soberano Pontífice da Maçonaria Universal, 14 de Julho, 188]).

E, vejamos como a maçonaria se refere a Albert Pike:

“Sua posição como autor maçônico e historiador, e também como poeta, era muito destacada, e seu aplicado zelo era sem igual paralelo” [Albert G. Mackey/ Encyclopedia of Freemasonry. Revised by Robert I. Clegg. Richmond, Virginia: Macoy Publishing, 1966, p. 774].

Tanto Albert Pike, como seu bajulador Albert Mackey, são os principais autores e criadores das chamadas Landmarks maçônicas, as regras essenciais e fundamentais dessa religião-filosofia-sociedade secreta ocultista-clube do bolinha conhecida por maçonaria.

O poderoso componente ocultista na maçonaria é tão sedutor a ponto de ter atraído para seu serpentário homens que ficaram famosos pelas suas relações com o ocultismo e com o Satanismo. Eis alguns deles:

Tanto Albert Pike, como seu bajulador Albert Mackey, são os principais autores e criadores das chamadas Landmarks maçônicas, as regras essenciais e fundamentais dessa religião-filosofia-sociedade secreta ocultista-clube do bolinha conhecida por maçonaria.

O poderoso componente ocultista na maçonaria é tão sedutor a ponto de ter atraído para seu serpentário homens que ficaram famosos pelas suas relações com o ocultismo e com o satanismo.

II. A MAÇONARIA E ABADOM


Quando um maçom chega ao grau 17 (Cavaleiro do Oriente e do Ocidente), os outros maçons lhe dão uma “palavra secreta” de acesso ao deus da maçonaria. E a tal “palavra secreta” é ABADOM [Fonte: Scottish Rite Masonry, pp. 452-453].

Agora, vejamos, pela Bíblia, quem é Abadom:

“O quinto anjo tocou a trombeta, e vi uma estrela caída do céu na terra. E foi-lhe dada a chave do poço do abismo. Ela abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar. Também da fumaça saíram gafanhotos para a terra; e foi-lhes dado poder como o que têm os escorpiões da terra, e foi-lhes dito que não causassem dano à erva da terra, nem a qualquer coisa verde, nem a árvore alguma e tão-somente aos homens que não têm o selo de Deus sobre a fronte. Foi-lhes também dado, não que os matassem, e sim que os atormentassem durante cinco meses. E o seu tormento era como tormento de escorpião quando fere alguém. Naqueles dias, os homens buscarão a morte e não a acharão; também terão ardente desejo de morrer, mas a morte fugirá deles. O aspecto dos gafanhotos era semelhante a cavalos preparados para a peleja; na sua cabeça havia como que coroas parecendo de ouro; e o seu rosto era como rosto de homem; tinham também cabelos, como cabelos de mulher; os seus dentes, como dentes de leão; tinham couraças, como couraças de ferro; o barulho que as suas asas faziam era como o barulho de carros de muitos cavalos, quando correm à peleja; tinham ainda cauda, como escorpiões, e ferrão; na cauda tinham poder para causar dano aos homens, por cinco meses; e tinham sobre eles, como seu rei, o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abadom, e em grego, Apoliom” (Ap 9.1-11).

* ABADOM, (de origem Hebraica) significando: Ruína e Destruição; anjo das profundezas do Inferno; também um dos nomes como é conhecido o diabo, Lúcifer, Satanás.

A maçonaria mistura idolatria, paganismo, ocultismo, cultos de fertilidade e demonologia em um único caldo em que se constitui a religião maçônica. Nada dessas coisas provém de Deus. A maçonaria é uma organização comandada e liderada pelo diabo, como já temos, exaustivamente, demonstrado.

Assim como o Senhor Deus arranca escravos de outras filiais do inferno, como o candomblé, a umbanda, o espiritismo e o hinduísmo, também Deus há de salvar alguns deles das trevas e dos grilhões da maçonaria, onde imperam a ganância pelo dinheiro, a idolatria à criatura humana, a imundícia da hipocrisia e a inutilidade da justiça própria. E ainda toda sorte de pecados que serão trazidos à luz no Grande Dia, quando Deus julgar a maçonaria, assim como fez com Sodoma e com Gomorra.

“Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar; nem ainda se arrependeram dos seus assassínios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos” (Ap 9.20-21).

II.     COMO A PRESENÇA DE MAÇONS NA CONGREGAÇÃO AFETA O QUE É DITO DO PÚLPITO?

A maioria dos pastores sabe que existem problemas com a maçonaria; somente uma minoria desconhece os problemas. Muitos desses pastores que estão cientes receiam pregar uma mensagem criticando os ensinos da maçonaria e evitam o assunto como a lepra. Eles não o discutem em público e, normalmente, não tomam uma posição firme em particular. Se sabem que a maçonaria é incompatível com o cristianismo, mas refreiam a língua em público e quando estão ocupando o púlpito, podemos ver facilmente que estão contemporizando em seu ministério. Não estão tomando os passos necessários para garantir que outros membros da congregação não sejam enlaçados por meio do casamento com uma família de maçons ou por meio de envolvimento direto na maçonaria. Se um pastor está ciente da malignidade da maçonaria e não diz nada aos maçons na congregação, então será responsável diante de Deus, conforme o livro de Ezequiel deixa claro como cristal:

“Mas, se quando o atalaia vir que vem a espada, e não tocar a trombeta, e não for avisado o povo, e a espada vier, e levar uma vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniqüidade, porém o seu sangue requererei da mão do atalaia” (Ezequiel 33.6).

III. POR QUE A MAIORIA DOS PASTORES RECEIA LIDAR COM A QUESTÃO DA MAÇONARIA A PARTIR DO PÚLPITO?

Os pastores não trabalham no vácuo; eles conversam com outros pastores, até mesmo com colegas de outras denominações. Sempre que um pastor toma uma posição contra a maçonaria, ou ensina claramente aqueles aspectos do evangelho que se opõem aos ensinos maçônicos, termina com uma tremenda batalha em suas mãos. Tudo o que um pastor precisa fazer para receber oposição maçônica é pregar a Palavra. Em geral, os maçons não suportam ouvir sobre o Evangelho da Graça, que diz que o homem não pode conquistar seu lugar no céu por meio das boas obras. Se os maçons estiverem presentes em uma congregação e as coisas estiverem correndo tranqüilamente, isso depõe contra o pastor. Se ele estivesse pregando a Palavra, a tempo e fora de tempo, sem deixar de corrigir, de repreender e de encorajar, estaria ou enfrentando oposição, ou os maçons estariam deixando a igreja. Em geral, poucos maçons se arrependem - embora alguns se arrependam. Não é responsabilidade do pastor obter o arrependimento. A responsabilidade dele é meramente zelar pelas almas e pregar, pois precisará prestar contas a Deus. Se os homens escolherem sair da igreja quando forem ofendidos pela verdade da Palavra de Deus, isso não é problema do pastor.

IV. A PENALIDADE POR PREGAR UM FALSO EVANGELHO

Os falsos evangelhos não são uma coisa nova; já existiam no primeiro século. Paulo tratou da questão e falou sobre a consequência de ensinar um falso evangelho em sua carta aos Gálatas:
“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho, além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema” (Galátas 1.8-9).

V.    SATANÁS AMA A MAÇONARIA

Veja o que ela faz para ele. Quando a maçonaria está presente, a igreja está tolerando o ensino de um falso evangelho pelos membros da congregação. Além disso, a maçonaria enlaça seus participantes na adoração a um falso deus. O acusador dos santos, Satanás, está ganhando terreno dentro da igreja. A batalha pode parecer ser da carne, mas existem forças espirituais poderosas trabalhando atrás dos bastidores. Alguns pastores foram forçados a deixar o púlpito quase que imediatamente após pregarem um sermão criticando a maçonaria. Outros simplesmente fizeram comentários em conversas particulares e mais tarde, essas conversas particulares vieram ao conhecimento dos maçons na congregação e eles começaram a trabalhar contra o pastor. Os pastores que refreiam sua língua e deixam de falar sobre a maçonaria fazem isso porque estão temerosos da batalha. Preferem contemporizar a combater o bom combate. Escolhem deixar que os homens vão para o inferno do que arriscar perder o púlpito. Eles ou têm um emprego, e não um chamado, ou não têm fé suficiente que Deus proverá. É uma coisa terrível de dizer, mas é a verdade.

VI.  A IMPLICAÇÃO DESSE SEGUNDO CENÁRIO TEM GRANDE ALCANCE

Como o deus da maçonaria é um demônio e um dos propósitos principais da maçonaria é a adoração, todos os maçons estão envolvidos em idolatria. A Bíblia é clara, os idólatras não herdarão o reino de Deus:

“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus” (1ª Coríntios 6.9-10).

As consequências de participar na promoção de um falso evangelho, encontradas em Gálatas 1.8-9, foram discutidas anteriormente. Como a maçonaria envolve o homem na promoção de um falso evangelho, acoplado com a idolatria, é questionável se qualquer maçom será recebido no céu. A única esperança possível é se um homem não sabe com o que está envolvido. O artigo O Quanto Eles Sabem discute essa questão. Poucos poderão alegar ignorância. É muito perigoso ensinar que um homem pode participar na promoção de um falso deus e que ainda assim será recebido nos céus. Esse ensino anula a necessidade de arrependimento. Jesus Cristo deixou pouca dúvida sobre a necessidade de arrependimento:

“Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis” (Lucas 13.5).
Ensinar que um homem pode continuar em uma atividade que é idólatra e que promove um falso evangelho seria desviar-se dos ensinos de Jesus Cristo e dos apóstolos. O que João diz sobre aqueles que não perseverem nos ensinos de Cristo? Ele advertiu que eles podem não ter a Deus:

“Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho” (2ª João 9). Vemos que esse cenário poderia facilmente resultar em uma situação em que Jesus Cristo exige o arrependimento:

“Lembra-te, pois de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres” (Apocalipse 2.5).

VII. UM CRISTÃO PODE SER MAÇOM?


Examinamos as possíveis ramificações religiosas e na Nova Ordem Mundial devido ao fato de tantos pastores e líderes da igreja cristã estarem envolvidos com a maçonaria. você ficará chocado!

A maçonaria, como já vimos, não exalta a Cristo, e muito menos o serve. Uma análise rudimentar, mostra a incompatibilidade entre o cristianismo bíblico e a maçonaria. Um crente realmente nascido de novo que vive na maçonaria vive numa eterna contradição. Os ideais supremos da maçonaria são: liberdade, igualdade, e fraternidade. Ela pretende atingir isso fora do caminho indicado por Deus na Sua Palavra, e, sem a mediação do Senhor Jesus Cristo. Afirma a maçonaria: “É a loja que prepara todos seus filiados para a Grande Loja de Cima – a Pátria Celeste”. Ora, a Bíblia declara que só há um caminho para Deus – Jesus (Jo 14.6).

Agora, imagine-se, um ministro do Senhor à vontade, na maçonaria, ou com os rosa-cruzes! Sabe-se que há pastores nesta situação. Vejamos o que diz a Bíblia sobre isso em 2ª Co 6.14; Am 3.3; 2º Cr 19.2; Ne 13.3; Sl 106.35; Sl 119.63; 1ª Co 15.33. Agora julguem os leitores verdadeiramente cristãos, com toda isenção de ânimo, se é lícito e possível, biblicamente falando, ser crente e ser maçom? É Ló mudando-se para Sodoma e salvando-se pela infinita mercê de Deus, porém com grandes e irreparáveis perdas.

Um cristão não pode pertencer a uma sociedade secreta, à qual se liga por juramento, e ser fiel à Igreja de Cristo, porque passará a ter intima comunhão com os homens, muitos dos quais não são regenerados e rejeitam a Cristo como seu Senhor e Salvador.

Pr. Elias Ribas

pr_eliasribas@yahoo.com.br

FONTE DE PESQUISA


1.      BÍBLIA EXPLICADA, S.E.McNair, 4ª Edição, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
2.      BÍBLIA PENTECOSTAL, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, Edição 1995, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
3.      BÍBLIA SHEDD, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil – 2ª Edição, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
4.      BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, 1995, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
5.      CLAUDIONOR CORRÊA DE ANDRADE, Dicionário Teológico, p. 286, 8ª Edição, Ed. CPAD, Rio de janeiro, RJ.
6.      DAVID BAY, Tradução: JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?id=186 – acesso dia 06/03/2009.
7      DAVID BAY. Fonte Maçônica confirma nosso artigo “Simbolos maçônicos de poder no trono do poder”. http://www.oapocalipse.com/home/estudos/religiao_fonte_maconica_confirma_nosso_artigo_simbolos_maconicos.html  [Acesso dia 11/07/2013]
8.  DELVACYR BASTOS, seitas e heresias, Escola Teológica Filadélfia, Cascavel PR, Email - prdelvacyr@hotmail.com.
9.  EDUARDO PEREZ NETO, a maçonaria, a Espada do Espírito, sites http://www.espada.eti.br/n2001.asp, - http://www.espada.eti.br/n1243.asp acesso 09/12/2008
10.   EDUARDO PEREZ NETO, a herança maçônica dos EUA, http://www.espada.eti.br/n1986.asp, acesso dia 12/12/2008.
11.  EDUARDO PEREZ NETO, Religião Mundial Já Está Quase Formada - A Organização da Maçonaria Está Preparando o Caminho! http://www.espada.eti.br/n1243.asp - acesso dia 25/02/2009.
12.  EDUARDO PEREZ NETO, O Impacto da Maçonaria na Igreja, http://www.espada.eti.br/efesios5-11.asp - acesso dia 06/03/2009.
13.  FRANCISCO DA SILVEIRA BUENO, Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, 11 ª Edição, FAE, Rio de Janeiro RJ.
14.  GILMAR SANTOS. Teologia Sistemática. Faculdade de Teologia de Goiânia.
15.  JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer, publicado em 2/11/2002, http://www.espada.eti.br/
16.  JOSÉ ELIAS CROCE, Lições bíblicas, 1º trimestre 2000, Ed. Betel.
17.  JOHN LANDERS, Religiões mundiais, Juerp, Rio de Janeiro, 3ª Edição, 1994.
18.  MAC DOMINICK, A Maçonaria Realmente é Uma Religião, http://www.espada.eti.br/n1144.asp - acesso 24/02/2009.
19.  PAULO CÉSAR SEMBLANO DA COSTA, Pelo Lado de Fora É uma Igreja Evangélica — Por Dentro Está Adornada com Chocantes Símbolos Ocultistas, http://www.espada.eti.br/n2174.asp - acesso dia 11/03/2009.
20.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Heresiologia – 2ª Edição – EETAD, São Paulo SP.
21.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Lições Bíblicas, 1º Trimestre de 1986, Ed. CPAD, Rio de Janeiro, RJ.
22.  RELIGIÕES E SEITAS. IBADEP. 1ª Edição, 2003, Site, www.ibadep.com
23.  RELIGIÕES MUNDIAIS, Seminário Teológico AMID, Cascavel, PR - e-mail: se.amid@hotmail.com
24.  RON RIFFE, maçonaria, a Espada do Espírito, http://www.espada.eti.br/n2001.asp, acesso 09/12/2008.
24.  SIMBOLOS MAÇÔNICOS, http://intellectus-site.com/site2/images/MasonicStructure.gif ACESSO DIA 21/05/2009.
25.  SEITE – INTELLECTUS, A maçonaria, braço direito do diabo, http://intellectus-site.com/site2/artigos/maconaria-braco-direito-do-diabo.htm - acesso dia 24/03/2009.
26.  SEITAS E HERESIAS, Escola de educação teológica Elohim, São Paulo, SP.
27.  SÉRIE APOLOGÉTICA, ICP, Volomes I ao VI, Instituto Cristã de Pesquisa, Site, www.icp.com.br



terça-feira, 23 de julho de 2013

EX-FEITICEIRO ILUMINISTA REVELA A FORTE LIGAÇÃO DA MAÇONARIA COM A FEITIÇARIA


Doc Marquis, um ex-feiticeiro Iluminista, responde a vinte e cinco perguntas selecionadas em seus seminários sobre os Iluministas, Feitiçaria e Maçonaria. Reproduzimos e comentamos as respostas.

A maior parte deste artigo baseia-se em livros que foram publicados por editoras maçônicas e que eram muito secretos antigamente. Seguimos a recomendação bíblica atentamente, comparando os ensinos maçônicos com a Bíblia Sagrada. Em 1ª João 4.1, encontramos este mandamento a todos os cristãos:

“Amados, não creais a todo o espírito, mas provai [testai] se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. Assim, vemos que qualquer ensino religioso que não se conforme com as Escrituras é proveniente de um “falso profeta”.

Este exercício não é vão, pois é sua alma preciosa que está em jogo. Finalmente, lembre-se de duas coisas sobre a Maçonaria:

1) Os maçons de graus superiores mentem para seus colegas maçons, pois eles “merecem ser enganados”.
2) As explicações dadas a 95% de todos os maçons estão erradas. Veja esta citação do autor maçom Carl Claudy: “Remova a casca exterior e encontre um significado; remova aquele significado e encontre outro; abaixo dele, se você cavar ainda mais, encontrará um terceiro, um quarto - quem poderá dizer quantos ensinos?” Você aprendeu muitas mentiras, conforme demonstramos nos nossos muitos artigos. Ex-Feiticeiro Iluminista Revela a Forte Ligação da Maçonaria com a Feitiçaria.

Finalmente, lembre-se, da audaz afirmação de Albert Pike em seu livro Morals and Dogma [leia a resenha] que, “A Maçonaria é idêntica aos mistérios antigos”, o que significa que todos seus ensinos em todos os livros são exatamente iguais aos mistérios antigos, pagãos e satânicos! [pg 624, Ensinos para o Vigésimo Oitavo Grau].

Pedimos que você separe um tempo para ler nossos artigos para que finalmente saiba a verdade de Jesus Cristo, o Deus do Universo, a quem os maçons chamam de "deus inferior" e nunca mencionam em seus ensinos e rituais. Oramos fervorosamente para que o Espírito Santo ilumine sua mente, coração e alma com o conhecimento do verdadeiro Deus, e somente do verdadeiro Deus, da Bíblia Sagrada.

Sem qualquer introdução, reimprimimos as Vinte e Cinco Perguntas Selecionadas Sobre a Maçonaria, de Doc Marquis. Como Marquis é um ex-feiticeiro iluminista, tem um conhecimento inigualável sobre o assunto. Você verá que o material é altamente instrutivo e terá mais razões para compreender que a Maçonaria é uma forma de feitiçaria em seu núcleo. Como todo este artigo é a citação de Marquis, não colocaremos suas palavras entre aspas, e as imprimiremos em preto. Nossos comentários estarão em azul; além disso, como o material de Marquis não continha figuras ou símbolos, todos os que aparecem neste artigo foram incluídos pela Cutting Edge. Se alguém estiver interessado em contactar Marquis diretamente, incluímos o endereço dele no início do artigo.

Observe que quase todas as respostas de Marquis foram tiradas dos próprios escritos de autores maçons.
Usaremos aspas ao citar algum autor maçom.

VINTE E CINCO PERGUNTAS SELECIONADAS SOBRE A MAÇONARIA

1) A Maçonaria é uma organização cristã?
“Se a Maçonaria fosse simplesmente uma instituição cristã, os judeus e os islamitas, os hindus e os budistas não poderiam conscientemente fazer parte de sua iluminação" [Albert Mackey, Encyclopedia of Freemasonry, pg 182, maçom de Grau 33.] Achamos altamente instrutivo que Mackey admitaenfaticamente aos Adeptos que a Maçonaria não é cristã! Logicamente, quando Mackey escreveu seu livro, ele era secreto, e estava disponível somente aos maçons Adeptos. Se Mackey soubesse que esse livro se tornaria disponível para o público, não teria sido tão enfático.

2) A Maçonaria é cristã?
"A Maçonaria não é cristã, nem é uma substituta para o cristianismo" [C. F. McQuaig, My Masonic Friend, pg 1].

Novamente, vemos que, por sua própria admissão, a Maçonaria não é cristã! A única ocorrência em que ouvimos que ela é cristã é da Divisão de Propaganda Maçônica, e pelos pobres e iludidos maçons que foram deliberadamente enganados pelos seus superiores.

3) Há uma Bíblia sobre o altar nas lojas maçônicas. Isso não prova que a Maçonaria baseia-se na Bíblia?

“A Maçonaria não tem nada que ver com a Bíblia; não está baseada na Bíblia, pois, se estivesse, não seria Maçonaria, seria alguma outra coisa" [The Digest of Masonic Law, pg 207-209].

Agora vemos um autor maçônico admitindo que a Maçonaria não está baseada na Bíblia! Portanto, não somente a Maçonaria não é cristã, como não é nem mesmo judaico-cristã! Essas revelações simplesmente continuam aparecendo, não?

4) Mas e Deus?
“A humanidade, 'em todo', então, é o único Deus pessoal” [J. D. Buck, Mystic Masonry, pg 136, Grau 32]. Como qualquer bom ocultista, a Maçonaria acredita na mentira que Satanás disse a Eva no jardim do Éden: “Sereis como Deus”. Discutimos essa crença no artigo Provamos Conclusivamente que a Maçonaria é Adoração a Lúcifer - Parte 3 de 5; se você ainda não leu esse artigo, sugerimos que faça isso antes de prosseguir com a leitura deste artigo.

5) Se a Maçonaria não está baseada na Bíblia, nem em seus princípios cristãos; então, as lojas maçônicas não estão ensinando religião, certo?
“Toda loja maçônica é um templo de religião, e seus ensinos são instruções em religião" [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 213. Pike foi um maçom de Grau 33, líder da Jurisdição Sulista do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria]. A revelação dele aqui, nos ensinos para o Décimo Terceiro Grau, que a Maçonaria ensina religião, é um exemplo perfeito da política deliberada de mentir da Maçonaria. No Décimo Grau, Pike diz que a "Maçonaria não é uma religião". Depois, no Décimo Terceiro Grau, o maçom aprende que aquela afirmação é falsa e que a Maçonaria realmente é uma religião. Assim, quando um não-maçom fizer a acusação que a Maçonaria é uma religião, pode-se responder com a afirmação de Pike no Décimo Grau, em que ele nega a Maçonaria seja uma religião, e omitir que no Décimo Terceiro Grau ele inverte o que disse anteriormente e admite que a Maçonaria realmente é uma religião.

Verdadeiramente, a Maçonaria é uma série de salas com fumaça e espelhos, destinadas a enganar a maioria dos maçons, e a enganar a 100% dos não-maçons. Nenhuma organização que deliberadamente usa de enganos não pode chamar a si mesma de cristã.

6) Como as lojas maçônicas são templos de religião, o que estão buscando se não adoram a Jesus Cristo?
“A Maçonaria está em busca da Luz. Essa busca leva-nos direto, como você pode ver, à Cabala” [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 741].

7) Mas a Cabala não é uma religião?
“Todas as religiões verdadeiramente dogmáticas surgiram da Cabala e retornam a ela; tudo científico e grandioso nos sonhos religiosos dos Iluministas... todas as associações maçônicas devem a ela seus segredos e seus símbolos” [Pike, Morals and Dogma] Gostaríamos de advertir a todos nossos amigos judeus que estão se deixando envolver no reavivamento do estudo da Cabala, que estão acreditando na falsificação satânica da Torá e dos outros livros do Antigo Testamento da Bíblia, que os fariseus e saduceus dos tempos de Jesus estavam praticando. Você sabia que a principal razão pela qual os fariseus e saduceus planejaram matar Jesus, a despeito de seus óbvios poderes sobrenaturais, era por que eles estavam praticando a feitiçaria da Cabala? Você pode ler os detalhes nos dois artigos CE1077,”Sociedades Secretas Mataram o Senhor Jesus Cristo” (leia a Parte 1 e a Parte 2). Após ler esses dois artigos, você compreenderá por que Jesus foi tão implacável em suas palavras de reprovação aos fariseus, o que está totalmente em desacordo com seu caráter de amor e de compaixão pelos pecadores ordinários, mesmo os grandes pecadores. Jesus sabia que os fariseus e saduceus estavam praticando a feitiçaria que mais tarde veio a ser conhecida como Cabala.

8) Se a Cabala é uma prática antiga encontrada no mundo ocultista, os símbolos, palavras e outras expressões maçônicas podem ser encontrados no ocultismo?
“Nos ritos modernos da feitiçaria, encontramos termos e expressões que também são empregados na Maçonaria, na Alvorada Dourada, e outras sociedades ocultistas." [Arnold e Patricia Crowther, The Secrets of Ancient Witchcraft, pg 22].

Novamente, vemos uma ocorrência em que a Maçonaria é amada pelas pessoas erradas: feiticeiros, satanistas, iluministas, autores de livros de Nova Era possessos por demônios, e líderes de outras sociedades secretas, igualmente possessos por demônios. Como diz o ditado, “Os pássaros da mesma plumagem pousam no mesmo galho”, esse fato é uma evidência muito importante e concreta de que a Maçonaria é tão satânica quanto essas organizações admitem abertamente que são! Tenha esse fato em mente ao ler os fatos apresentados em seguida.

9) Se a Maçonaria promove as religiões ocultistas, certamente muitos de seus membros devem ter formação ocultista.
Eles certamente têm! Relaciono em seguida alguns exemplos de satanistas e/ou ocultistas que também eram maçons de boa posição. Não se deixe enganar pela Propaganda Maçônica que diz que essas pessoas eram "maçons rebeldes"; pelo contrário, foram maçons de boa posição durante grande parte de suas vidas. Na verdade, o que esses ocultistas, que também eram maçons, representam, são os poucos maçons iluministas, que percorreram todo o caminho para a “Luz”, para descobrir qual realmente é o grande segredo final da Maçonaria, isto é, satanistas dedicados trabalhando para implantar a Nova Ordem Mundial do Anticristo.

a) Arthur Edward Waite, historiador e autor ocultista.
Nos artigos Free12 e Free13, citamos muito esse autor, observando que seus livros são sempre publicados por uma editora maçônica bem conhecida e estabelecida.

b) Dr. Wynn Westcott - membro da Sociedade Rosacruz e membro fundador da Ordem Hermética da Alvorada Dourada, uma das sociedades secretas mais satânicas que existem e altamente ativa no estabelecimento da vindoura Nova Ordem Mundial do Anticristo. Você não acha extremamente esclarecedor saber que o fundador dessa sociedade secreta também era maçom?

c) S. L. MacGregor Mathers – co-fundador da Ordem Hermética da Alvorada Dourada - Assim, vemos que ambos os fundadores dessa sociedade secreta satânica eram maçons.

d) Dr. Gerard Encausse - membro dos Illuminati e líderdo grupo conhecido como 'Martinismo'. De acordo com Albert Mackey, um maçom de Grau 33, “Os graus do Martinismo envolvem os deleites (prazeres) dos místicos” [Albert Mackey, Encyclopedia of Masonry, pg 552]. Os “deleites dos místicos" aqui é um eufemismo para sexo. Em outros artigos, já observamos que a Maçonaria utiliza o simbolismo do círculo com um ponto no meio para representar o sexo. Em outros artigos, também observamos o simbolismo sexual inerente nos escritos maçônicos. Os maçons “adoram a criatura em lugar do Criador”, exatamente como quaisquer outros pagãos na história mundial. Novamente, esse fato é umas das razões por que insistem em absoluto segredo, temendo a investigação pública.

e) Aleister Crowley - O infame satanista que fundou a religião ocultista de Thelema. Esse homem (mostrado na foto) era tão vil e depravado que seus próprios contemporâneos os chamavam de “Mister 666” e sua própria mãe o chamava de “A Besta” do livro do Apocalipse. Crowley não fundou a Ordem dos Templários do Oriente, mas controlou a organização por muitos anos. A OTO é uma sociedade secreta praticante de Magia Negra, muito satânica.





f) Dr. Theodore Reuss - Líder da ordem ocultista conhecida como O.T.O. (Ordo Templi Orientis, ou Ordem dos Templários do Oriente). Reuss foi um prolixo autor ocultista que deu a Aleister Crowley a liderança da OTO em Londres. Mostramos em seguida o logotipo oficial da OTO, obtido na Internet. A ilustração representa o abismo negro do Inferno. Aparentemente, é a entrada do Inferno, com as colunas no estilo maçônico em cada lado e o símboloocultista/maçônico alado no alto. Os Olhos Que Tudo Veem observam todos os que entram pelas portas. A Maçonaria é idêntica aos Mistérios", disse Albert Pike; portanto, essa cena das Portas do Inferno é Maçonaria.


g) George Pickingill - renomado bruxo-mestre da Inglaterra do século XIX e líder do 'conciliábulo Pinkingill'.

h) Manly P. Hall - Rosa-cruz, autor maçom e fundador da Sociedade de Pesquisa Filosófica - Hall é reconhecido mundialmente como um dos mais prolixos autores maçons. Foi ele que disse que os companheiros maçons podem ter “as energias ardentes de Lúcifer nas mãos” quando compreenderem os profundos segredos da Arte. Como Hall era ao mesmo tempo rosa-cruz e maçom, queremos mostrar-lhe a Cruz Rosa-Cruz, para que você possa ver as terríveis blasfêmias da Maçonaria. Observe atentamente como eles cobriram a preciosa cruz do Calvário com os mais profundos e malignos símbolos de satanismo! Você pode ver quatro pentáculos em pé, representando Lúcifer e cobrindo cada uma das pontas da cruz; em seguida, pode ver um hexagrama logo abaixo do centro, provavelmente destinado a lançar uma “maldição” na cruz do nosso Salvador! Pessoal, essa é a verdadeira natureza da Maçonaria. A Maçonaria reverencia muito a Sociedade Rosa-Cruz, e tem até mesmo um grau dedicado a ela, chamado “Cavaleiro Rosa-Cruz”, o Décimo Oitavo Grau! Mais uma vez, a verdadeira natureza satânica da Maçonaria fica bem clara.


i) Gerald B. Gardner - Fundador do moderno reavivamento de Wicca, que tem um estilo de feitiçaria nomeado em sua homenagem, o “Estilo Gardneriano de Feitiçaria”.

j) Alex Sanders - Conhecido como “Rei de todos os Feiticeiros”, em Londres, foi um dos feiticeiros mais influentes após Gardner. Também tem um estilo de feitiçaria nomeado em sua homenagem, a “Feitiçaria Alexandrina”.

k) Eliphas Levi - um dos maiores autores ocultistas do século XIX. Doc deixa de dar a devida ênfase aqui. Levi é conhecido como “a maior autoridade ocultista do século XIX”. Ele criou uma imagem extremamente obscena de Baphomet para representar Satanás. “O desenho do Baphomet de Levi mostra sua ênfase no sexo, pois criou Baphomet como um ser andrógino [masculino e feminino]. Satanás, como o Baphomet, frequentemente é retratado como uma deidade hemafrodita, que tem falo de homem e seios de mulher. Em um livro sobre feitiçaria, The Complete Book of Witchcraft and Demonology, encontramos uma figura do Baphomet. A legenda diz que ele era o 'deus cornífero dos feiticeiros, o sexo encarnado'. Essa figura mostra o Baphomet fazendo o sinal da tríade do Diabo com sua mão direita [Dra. Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated].


O espírito-guia de Eliphas Levi levou-o a níveis de compreensão da feitiçaria que poucos homens na história já atingiram. Suas ilustrações são consideradas inigualáveis no mundo ocultista, e ele não somente foi contemporâneo de Albert Pike, mas também exerceu influência sobre ele. [Arthur Edward Waite, Some Deeper Aspects of Masonic Symbolism, Kila, Montana, reimpresso por hKessinger Freemasonry Publishing Co]. Arthur Wait disse a respeito de Levi: “.... certamente um dos mais destacados expoentes continentais da ciência ocultista que o século XIX produziu, e seus escritos têm uma elevada estima nas escolas modernas da alta magia” [Waite, citado no livro de Levi, The History of Magic, no catálogo da Kessinger, para influenciar o leitor a comprar o livro de Levi].

Albert Pike [maçom de Grau 33, Grande Comandante daJurisdição Sulista] foi, portanto, muito influenciado por Levi em suas opiniões a respeito de Lúcifer. Já citamos Pike em Morals and Dogma [pg 567, ensinos para o Vigésimo Oitavo Grau] em que identifica Lúcifer como o portador de luz da Maçonaria, a “Luz” à qual os maçons fazem o juramento de trabalhar para alcançar. Ouça Levi falar sobre Lúcifer: “XXXVIII: O que é mais absurdo e ímpio do que atribuir o nome de Lúcifer ao Diabo, isto é, ao mal personificado? O Lúcifer intelectual é o espírito da inteligência e do amor; é o paráclito [o defensor]; é o Espírito Santo, onde o Lúcifer físico é o grande anjo do magnetismo pessoal” [Eliphas Levi, The Mysteries of Magic, A Digest of the Writings of Eliphas Levi].

Contrariamente à crença popular, as mulheres também podem ingressar na Maçonaria. No livro de Albert Mackey, Encyclopedia of Masonry, (pg 307), há uma lei da Maçonaria que é conhecida como Lei de Salique. Ela diz que as mulheres não podem se tornar maçons; no entanto, no passado, algumas mulheres foram aceitas. Alguns exemplos são.

a) A nobre Sra. Aldsworth - [mostrada na figura anterior] - por volta de 1735, recebeu o primeiro e o segundo graus na Loja 44, em Doneraile, Irlanda.

b) Sra. Beaton - morava e recebeu sua iniciação em Norfolk, Inglaterra.

c) Madame de Xaintrailles - iniciada na Loja Francesa no fim do século XIX.

d) Elizabeth St. Leger - iniciada em 1710, aos dezessete anos.

e) Condessa Barkoczy, da Hungria - foi iniciada na Loja Húngara da Maçonaria.

11. Existem exemplos de mulheres ocultistas que pertenceram à Maçonaria? Sim!

a) Madame Helena Petrovna Blavatsky - fundadora da ocultista Sociedade Teosófica, foi iniciada na Maçonaria durante a primeira parte do século XIX. Aqui, Marquis deixa de dar a devida a importância dos fatos. Blavatsky foi a fundadora de uma das sociedades secretas mais satânicas que existem! Entre as pessoas que aprenderam satanismo com ela estão Adolf Hitler e alguns de seus homens, Lênin e alguns outros líderes comunistas. Hitler, particularmente, considerava os ensinos de Blavatsky cruciais para suas doutrinas satânicas, especialmente o tratado que ela escreveu, A Doutrina Secreta. O holocausto nazista ocorreu em grande parte em decorrência dos ensinos de Blavatsky! Aqui, vemos que ela também pertenceu à Maçonaria.

b) Annie Besant - líder da profundamente satânica Sociedade Teosófica.

c) Alice A. Bailey - Sucedeu Annie Besant como líder da Casa da Teosofia. Alice e seu marido [Foster Bailey, um maçom de Grau 32] foram membros da Co-Maçonaria. Alice Bailey fundou a editora Lucifer Trust, com o propósito expresso de publicar os livros de Nova Era que seriam escritos em grande quantidade dali para a frente. Após perceber que a maioria das pessoas tinha aversão ao nome de Lúcifer, ela mudou o nome da editora para Lucis Trust.

12) Assumindo, então, que muitos membros maçons estão interessados, ou envolvidos no ocultismo, quais são as verdadeiras doutrinas religiosas dos maçons?

O que precisamos dizer para a multidão é: “Adoramos a um deus, mas é um deus adorado sem supertição. A vós, Soberanos Grande Inspetores Gerais [maçons de Grau 33], dizemos isto... para que repitais aos irmãos dos Graus 32, 31 e 30... A religião maçônica deve ser, por todos os iniciados nos graus mais elevados, mantida na pureza da doutrina luciferiana... Sim, Lúficer é Deus, e infelizmente, Adonai [Deus da Bíblia Sagrada] também é Deus... a doutrina do satanismo é uma heresia; e a religião pura e verdadeira é a crença em Lúcifer, que é igual a Adonai; mas Lúcifer, Deus da Luz, Deus do Bem, está lutando em favor da humanidade contra Adonai, o Deus das Trevas e do Mal” [Lady Queenborough, Occult Theocracy, pg 220-221, citando uma carta de Albert Pike, aos Supremos Conselhos Mundiais, em 14/7/1889].

A Maçonaria contra-atacou essa carta, afirmando que era uma falsificação. No entanto, precisa responder ao fato que essa adoração a Lúcifer também é explicada nos dois livros monumentais de Pike, Morals and Dogma, e Magnum Opus. Tudo o que está contido nessa carta também está contido nesses dois livros, e temos ambos aqui no escritório. Finalmente, a história não registra que a Maçonaria alguma vez tenha processado Lady Queenborough por calúnia e difamação.

Certamente, como a carta é tão condenatória, a Maçonaria teria feito todo o possível para limpar seu nome, até ao ponto de processar. A absoluta falta de ação deles comprova a verdade da afirmação de Lady Queenborough que essa carta de Albert Pike é genuína.

13) Espere um minuto! Você está dizendo que a 'luz' que a Maçonaria procura, vem de Lúcifer?
“LÚCIFER, o portador da luz... É ele quem porta a luz? Não duvides!” [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 321; ênfase no original].

14) Espere ai! Lúcifer, ou Satanás não é o deus dastrevas? O maligno?
“O verdadeiro nome de Deus, dizem os cabalistas, é Yahweh (DEUS) invertido; pois Satanás não é um deus negro, mas a negação de Deus. Para os iniciados, não é uma Pessoa, mas uma Força...” [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 102]. A afirmação de Pike, em uma carta, mencionada anteriormente, define o puro satanismo. Eles acreditam que Deus e Lúficer são Deuses iguais, eram concorrentes no Jardim no Éden, com Adonai, o Deus da Bíblia Sagrada obtendo uma “vitória temporária” No entanto, os ocultistas acreditam que, na batalha do Armagedom, Lúcifer destronará Adonai e se apoderará do seu trono de direito nos céus. Todos os luciferianos, incluindo os Iluministas, acreditam nisso de todo o coração. Adonai é o Deus cruel, conforme demonstrado pelo fato de ordenar que os israelitas nos tempos do Antigo Testamento matassem populações inteiras de pessoas pelo único pecado de adorarem a Lúcifer, seu adversário; Lúcifer, por outro lado, não tem esse histórico de matanças e é considerado o Deus do Bem. Além disso, chamando Lúcifer, ou Satanás, de Força, em vez de Pessoa, Pike cumpre a profecia bíblica referente ao Anticristo. Em Daniel 11.38, lemos: “Mas em seu lugar honrará a um deus das forças”. Nem Albert Pike nem qualquer outro luciferiano sabe que está cumprindo as profecias bíblicas sobre o Anticristo. No entanto, como indicamos no artigo “Teachings About Jesus Christ” [disponível no site da Cutting Edge], a doutrina deles sobre Jesus Cristo também cumpre precisamente a definição bíblica do Anticristo.

15) Satanás, pode, então, ser entendido como Deus, a fonte da Luz?
Para formar uma ideia de Deus .... a Cabala o imaginou como a 'luz mais oculta'. [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 740].

16) Como a religião maçônica é a "frente" para a religião dos iluministas, a “luz” maçônica é a “luz” dos iluministas?
“O resultado é luz ou iluminação. Tais são os Iluministas” [J. D. Buck, maçom de Grau 33, em Mystic Masonry, introdução, pg XI] Novamente, vemos a Maçonaria culpada de ser luciferiana pelas palavras de seus próprios autores. É realmente muito ruim que 95% de todos os maçons não separem tempo para ler os mesmos livros que nós, e outros autores cristãos, já lemos.
Esses maçons não fizeram nem uma fração da pesquisa que já fizemos; no entanto, preferem acreditar na mentiras dos seus superiores.

17) O candidato a maçom não aprende a verdade sobre a religião e o deus da Maçonaria quando ingressa na Loja Azul, onde recebe os três primeiros graus?
“Os graus da Loja Azul são apenas o pátio exterior, ou o pórtico do Templo. Alguns símbolos são mostrados ali para o iniciado, mas ele é intencionalmente enganado com falsas interpretações. Não se deseja que ele compreenda o significado dos símbolos, mas que apenas pense que compreende” [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 819; ênfase acrescentada].

Todos os maçons precisam ler e reler o parágrafo acima, pois é muito esclarecedor. Pike acaba de dizer para seus Adeptos do Trigésimo Grau que podem livre e intencionalmente enganar os maçons de graus mais baixos. Esses pobres homens devem imaginar que compreendem os símbolos da Maçonaria! Essa mentira audaz vem do Maligno, de Satanás, não do Deus Santo da Bíblia!

18) Quem, então, tem a permissão de conhecer a verdade, e o que realmente acontece na Maçonaria?
“Precisamos criar um super-rito, que permanecerá desconhecido, ao qual chamaremos aqueles maçons de graus elevados (do trigésimo para cima), a quem selecionaremos. Com relação aos nossos irmãos na Maçonaria, esses homens precisam jurar manter o mais rígido segredo. Por meio desse rito supremo, governaremos toda a Maçonaria, que se tornará o centro internacional, o mais poderoso, porque sua direção será desconhecida” [carta datada de 22/1/1870 de Albert Pike para o líder da Ordem dos Illuminati, Giuseppe Mazzini].

19) Você está dizendo que a Maçonaria é somente uma encenação e que há algo mais por trás dela?
“Isso serviu de base à nossa organização da Maçonaria secreta, que ninguém conhece e cujos desígnios não são sequer suspeitados pelos tolos gentios, atraídos por nós ao exército visível das lojas, a fim de desviar os olhares de seus próprios irmãos.... Quem poderá derrubar uma força invisível? Nossa força é assim. A Maçonaria externa serve unicamente para cobrir nossos desígnios; o plano de ação dessa força, o lugar que assiste, são inteiramente ignorados do público” [Protocolo dos Sábios de Sião, Protocolo 11, Protocolo 4].
Os Protocolos dos Sábios de Sião são o documento mais declaradamente satânico na história mundial! Eles relacionam sistematicamente todas as etapas necessárias para estabelecer a Nova Ordem Mundial e o Anticristo.

É algo muito sério os Protocolos afirmarem que a Maçonaria existe somente para desviar os olhares dos Iluministas. Novamente, vemos a crença deles, afirmada por Pike anteriormente, que um super-rito, que é totalmente desconhecido, promoverá os interesses dos Iluministas poderosamente. A Maçonaria está sendo usada pelos Iluministas para desviar os olhares das pessoas, e para trazer a Nova Ordem Mundial.

20) Então, se a Maçonaria é apenas uma encenação exterior, o que está realmente tentando esconder por dentro?
“SOCIEDADES SECRETAS - Mas, esperando nosso advento, criaremos e multiplicaremos, pelo contrário, as lojas maçônicas em todos os países do mundo, atraindo para elas todos os que são ou possam ser agentes proeminentes. Essas lojas formarão nosso principal aparelho de informações e o meio mais influente de nossa atividade. Centralizaremos todas essas lojas em uma administração que somente nós conheceremos, composta pelos nossos Sábios. As lojas terão seu representante, atrás do qual estará escondida a administração de que falamos, e será esse representante quem dará a palavra de ordem e o programa.

Formaremos nessas lojas o núcleo de todos os elementos revolucionários e liberais. Elas serão compostas por homens de todas as camadas sociais. Os mais secretos projetos políticos ser-nos-ão concedidos e cairão sob a nossa direção no próprio momento em que apareçam. No número dos membros dessas lojas se incluirão quase todos os agentes da polícia nacional e internacional, .... porque seu serviço é insubstituível, para nós, visto como a polícia, pode não só tomar medidas contra os recalcitrantes, como cobrir nossos atos, criar pretextos de descontentamentos, etc... Aqueles que entram para as sociedades secretas são ordinariamente ambiciosos, aventureiros, e em geral, homens na maioria levianos, com os quais não teremos grande dificuldade em nos entendermos para realizar nossos projetos." [Protocolos dos Sábios de Sião, Protocolo 15].

21) Ninguém nunca tentou advertir o público sobre aconexão Maçonaria/Iluministas e suas atividades antes?
Sim! Muitas pessoas tentaram, mas poucas foram ouvidas. Todas as advertências seguintes são de indivíduos que eram proeminentes na política, na vida acadêmica e líderes religiosos. Não eram “sensacionalistas” nem eram “profetas do Apocalipse”; todos eram indivíduos altamente qualificados e respeitados em seus campos de atuação.

a) Presidente George Washington, 1785, em uma carta ao reverendo G. W. Snyder: “Reverendo, não era minha intenção duvidar que a doutrina dos Iluministas - os princípios do Jacobinismo - não tinham se espalhado pelos Estados Unidos. Pelo contrário, ninguém está mais satisfeito com esse fato do que eu”. Pouco antes de morrer, o Presidente Washington estava bem ciente que o ramo radical da Maçonaria, os Iluministas de Adam Weishaupt, tinha alastrado seu veneno para os EUA.

b) Em 1798, o Professor John Robinson advertiu os líderes maçons que os Iluministas estavam se infiltrando nas lojas.

c) Reverendo Jedidiah Morse (pai de Samuel Morse) pregou em 1798: A Ordem dos Illuminati tem suas filiais estabelecidas e seus emissários trabalhando nos EUA”.

d) David Pappen, Presidente da Universidade de Harvard, em 19/7/1798, fez uma advertência à classe dos formandos em uma aula sobre a influência que os Iluministas estavam exercendo na política e na religião nos EUA.

e) John Quincy Adams, que em 1800 opôs-se a Thomas Jefferson na disputa pela Presidência, escreveu três cartas ao coronel William L. Stone, expondo como Jefferson estava usando as lojas maçônicas para os propósitos subversivos dos Iluministas. Acredita-se que as informações contidas naquelas cartas ajudaram Adams a vencer a eleição. Elas ficaram expostas na Biblioteca da Praça Rittenburg, em Philadelphia.

f) Dr. Joseph Willard, Presidente da Universidade de Harvard, disse em 4 de julho de 1812, à classe dos formandos: “Existem evidências suficientes que diversas sociedades dos Iluministas estabeleceram-se neste pais. Elas estão trabalhando para solapar secretamente todas as nossas antigas instituições, civis e religiosas. Essas sociedades estão claramente coligadas com suas congêneres na Europa... Vivemos em um período alarmante. Os inimigos de toda a ordem estão procurando nossa ruína. É claro que se a infidelidade prevalecer, nossa independência cairá e nosso governo republicano será aniquilado”.

Vivemos no tempo final que o Presidente Willard, da Universidade de Harvard, temia; os inimigos das nossas liberdades estão próximos de alcançar seus objetivos. Quando pessoas qualificadas como essas puderam ver a conspiração para destruir nosso país e nossas liberdades, por que muitas pessoas ainda duvidam?

g) O primeiro-ministro britânico Sir Winston Churchill, disse em 1920, três anos após os bolcheviques tomarem o poder na Rússia: "Desde os dias de Weishaupt (codinome Spartacus) aos de Karl Marx, aos de Trotsky ... essa conspiração mundial .. tem crescido continuamente. Essa conspiração teve um papel definitivamente reconhecível na tragédia da Revolução Francesa. Foi a mola principal de todo movimento subversivo durante o século XIX; e agora,finalmente, esse grupo de personalidades extraordinárias do submundo das grandes cidades da Europa e da América tomou o povo russo pelos cabelos de suas cabeças e tornou-se praticamente o dono incontestável daquele enorme império”. No Seminário 2, “America Determines the Flow of History” [que pode ser adquirido em fitas cassetes visistando-se o site da The Cutting Edge], delineamos a teoria que o Plano para a Nova Ordem Mundial que está em operação requereu a criação deliberada do comunismo. No entanto, ficamos chocados quando encontramos essa citação de Winston Churcill dizendo ao mundo em 1920, que os Iluministras tinham criado o comunismo!

h) A famosa historiadora e autora inglesa Nesta Webster, em seu livro World Revolution, publicado nos anos 20, na página 78, diz: “Embora esses eventos (os estágios iniciais da Revolução Francesa de 1789) estivessem ocorrendo na Europa, o Novo Mundo (os EUA) estavam sendo influenciados pelos Iluministas. Em 1786, uma Loja da Ordem dos Iluministas foi inaugurada na Virgínia, e foi seguida por quatorze outras, em diferentes cidades”.

i) O Relatório do Comitê de Investigação Sobre a Educação, do Senado da Califórnia, dizia em 1953: “O assim chamado comunismo é aparentemente a mesma hipócrita e mortal conspiração mundial para destruir a civilização que foi fundada pela Ordem Secreta dos Iluministas, na Bavária, em primeiro de maio de 1776 e que ergueu sua cabeça em nossas colônias aqui no período crítico antes da adoção da nossa Constituição Federal”.

Essa afirmação é inacreditável, não pelo conteúdo, mas pela fonte - o Senado da Califórna Sobre a Educação! Sempre fico admirado em ver como o conhecimento de uma geração pode ser enterrado pelas gerações posteriores. Verdadeiramente, cada geração precisa conquistar suas próprias liberdades.

22) Quando os maçons tornaram-se parte dos Iluministas? “Em 16 de julho de 1782, no famoso Congresso de Wilhelmsbad, próximo da cidade de Hanau, em HesseCassel. Esse Congresso foi iniciado por Ferdinando, Duque de Brunswick, Grande Mestre da Ordem da Observância Rígida” [Albert Mackey, Encyclopedia of Freemasonry, pg 1006].

23) O que aconteceu nesse encontro? Adam Weishaupt, e seu braço direito, o Barão Adolf Von Knigge (ambos eram maçons naquele tempo) comparecerem ao Congresso de Wilhelmsbad; eles tinham se reunido com os representantes dos 23 Supremos Conselhos do mundo maçônico e os convenceram, após trinta sessões, a seguir o Plano de Sete Partes dos Iluministas para a criação de uma Nova Ordem Mundial.

24) Como fizeram isso? Após trinta reuniões com os Conselhos, os representantes do mundo maçônico assinaram um documento, cada qual com seu próprio sangue, que seguiriam o Plano de Sete Partes dos Iluministas para o estabelecimento da Nova Ordem Mundial.

25) Os maçons não têm conhecimento sobre esses fatos?
A maioria não tem. Praticamente 95% dos maçons não têm a menor ideia do que realmente acontece em suas próprias lojas. Somente os maçons do Trigésimo Grau para cima é que podem conhecer esses segredos. Desses, somente 5% conhecem toda a verdade, por terem sido iniciados na Ordem dos Iluministas. Na maioria das vezes, um Iluminista entrará nas fileiras da Maçonaria somente para continuar o processo de infiltração. Eventualmente, esse Iluminista se tornará um dos maçons de alto nível e poderá, portanto, controlar melhor o mundo maçônico por causa de seu elevado grau e poder.
Se você faz parte dos 95% dos maçons que estão condenados a permanecer na ignorância e não conhecer a verdadeira natureza da loja, agora aprendeu a verdade.

Material extraído da Internet (www.espada.etibr/free14.asp) pelo prof. Mauro Trivellato.

pr_eliasribas@yahoo.com.br