TEOLOGIA EM FOCO

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O IMPACTO DA MAÇONARIA NA IGREJA

“E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as” (Efésios 5.11).

Nosso Deus é um Deus zeloso; ele detesta a adoração aos deuses falsos. Quando o povo de Israel estava para entrar na terra prometida, recebeu instruções específicas de Deus, que se encontram no livro de Êxodo 34.11-16.

Os maçons cristãos fizeram aliança com o povo pagão que adora outro deus, isto é, os hindus, muçulmanos, budistas e todas as outras falsas religiões. Eles se reúnem em volta de um altar estranho, o altar da Maçonaria, e adoram a um deus chamado Grande Arquiteto do Universo (GADU). Se um pagão oferece uma oração na loja ao GADU, está orando ao Deus da Bíblia? É claro que não; está adorando a um demônio. Em 1ª Coríntios 10.20, o apóstolo Paulo diz: “Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios”. A Maçonaria discorda do ensino da Bíblia e afirma que os pagãos estão orando ao mesmo Deus que os cristãos adoram. Somente esse fato demonstra que a Maçonaria não conhece o Deus da Bíblia. Se ela não conhece o Deus da Bíblia, como pode o deus dela, o GADU, ser realmente o Deus da Bíblia? Se o GADU for um demônio, o maçom cristão está se reunindo em torno de um altar estranho para adorar a um deus falso. Ele ficou enlaçado, exatamente como Deus advertiu os israelitas. Nosso artigo A Paternidade de Deus e a Fraternidade dos Homens expõe esse problema.

Continuando com a suposição que os maçons na igreja realmente sejam cristãos, considere o falso plano de salvação que é ensinado no ritual maçônico. Os maçons são levados a acreditar que todos os mestres maçons irão para o céu, incluindo os maçons budistas, hindus e muçulmanos. Os maçons são encorajados a imitar o salvador maçônico, Hirão-Abi, para que possam dar as boas-vindas à morte e serem transportados para o céu. Jesus Cristo não é mencionado no ritual da Loja Azul (os três primeiros graus). Certamente aqueles que conduzem o ritual participam de um grau maior. No entanto, no instante no ritual em que a venda é removida dos olhos do iniciado, todos os presentes batem com os pés no chão e batem as mãos. (Isso é conhecido com o choque da entrada; e surpreende o iniciado.) O maçom cristão está participando na promoção de um falso evangelho. Qual é a questão importante aqui? Importa se o cristão maçom está realmente dependendo da fé em Jesus Cristo para sua própria salvação? Isso salvará a alma do homem que acredita no que aprende no ritual maçônico? Se ele acredita que tem salvação como resultado do evangelho maçônico, é mais ou menos provável que estará aberto a Jesus Cristo em um tempo posterior? Como o testemunho de um maçom cristão é afetado pela sua participação em um ritual que ensina salvação sem Jesus Cristo? O artigo

Vamos assumir que os maçons na igreja não sejam cristãos. Neste caso, todos os cristãos na congregação que permitem aos maçons serem membros fizeram uma aliança com o povo pagão da terra. Eles encorajaram os maçons a ingressar na igreja, mas não exigiram que parassem de adorar o GADU, ou de promover o falso plano maçônico da salvação. Nesse segundo caso, os cristãos na igreja estão em pecado porque não permaneceram separados, mas receberam os pagãos. O apóstolo Paulo, deixa claro que permanecer separado não é apenas uma ideia do Antigo Testamento. Se você olhar em volta, verá que os filhos e filhas dos maçons estão se casando com as filhas e filhos dos cristãos há várias gerações. A igreja torna-se enlaçada, exatamente como Deus advertiu os israelitas que eles seriam enlaçados. Deus exige que permaneçamos separados para sermos seus filhos (2ª Coríntios 6.17-18).

I. QUEM É O GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO (G.A.D.U.) NA MAÇONARIA?

A Maçonaria requer de seus membros que creiam na existência de um Ser Supremo e também de que há um Único Deus. A Maçonaria se refere ao seu deus como sendo o Grande Arquiteto do Universo G.A.D.U. Ela ensina que todos os homens, de todas as religiões, adoram o mesmo Deus, simplesmente utilizando uma variedade de diferentes nomes. Esta é a base que dá sustentação a que os maçons possam ser Hinduístas, Muçulmanos, Budistas, adoradores do diabo, ou homens que dizem seguir o Senhor Jesus Cristo.

A Maçonaria requer de seus membros a crença em um Ser Supremo, todavia não define quem seja esse ser.

A Bíblia, todavia, nos revela que a verdade é bem diferente disto! A Bíblia afirma que só há um Único Deus, o Deus da Bíblia:

“Eu sou o SENHOR, e não há outro; além de mim não há Deus” Isaías 45.5
no original da Bíblia em Hebraico:

“Eu sou JEOVÁ, e não há outro; além de mim não há ELOHIM”

No Antigo Testamento, escrito em Hebraico, Deus se refere a si próprio como: DEUS O SENHOR (ELOHIYM YHWH - Elohim Jeová ou Elohim Adonai).

YHWH (Javé, Jeová) é um nome próprio, o nome pelo qual Deus, no Antigo Testamento, diz que seria reconhecido eternamente:

“Disse Deus (Elohim) ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR (Jeová), o Deus (Elohim) de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração” (Êxodo 3.15).

Deus afirma em Sua Palavra, que além dele próprio, YHWH, não há nenhum outro Deus, logo:

Krishna não é Deus, Zeus não é Deus, Moloque não é Deus, Odin não é Deus, Baal não é Deus, Shiva não é Deus, Ganesh não é Deus, Osíris não é Deus, Horus não é Deus, Brahman não é Deus, etc...

Mas para a maçonaria, qualquer dos falsos deuses citados acima pode ser o tal G.A.D.U. Vejam as evidências nestas palavras de sites maçônicos:

“A Maçonaria não é contra qualquer religião. Ela ensina e pratica a tolerância, defendendo o direito do homem praticar a religião do seu agrado. A Maçonaria não dogmatiza as particularidades do credo e da religião. Ela reconhece os benefícios e a bondade assim como a verdade de todas as religiões, combatendo, ao mesmo tempo, as suas inverdades e o fanatismo” (Fonte: www.lojasaopaulo43-com-br).

“Nas cerimônias de iniciação e outras, os jovens DeMolays prestam o seu Juramento sobre o Livro Sagrado da Religião, onde cada um julgue existir as Verdades pregadas pelos profetas de sua fé. Assim, o juramento deve ser prestado sobre o livro sagrado da crença do iniciado [Fonte: “Deus na Ordem DeMolay” -capituloanhanguera.vilabol.uol-com-br].

1. “A Bíblia é o único livro sagrado que deve ser colocado no altar? pg. 11 - A Bíblia é uma parte indispensável da decoração de uma loja cristã, somente porque ela é o livro sagrado da religião cristã. O Pentateuco judaico em uma loja judia e o Alcorão em uma loja muçulmana, pertencem ao altar” [Fonte: “La Formation Maçonnique” www-guigue-org/guigl01-1.htm].

Em suas reuniões secretas em suas Lojas (templos) a maçonaria adota o que chamam eles de o Livro da Lei, o Esquadro e o Compasso, considerados como suas Três Luzes Emblemáticas, que deverão estar sobre o Altar dos Juramentos. Esse Livro da Lei tanto pode ser o Alcorão, os Vedas Hindus, o Livro dos Mórmons, o Talmude judaico e, até a Bíblia! Essa afronta a Deus tenta colocar a Bíblia “no mesmo nível” desses outros escritos.

- Deus afirma que não há outro Deus além dEle.

- A maçonaria afirma que qualquer deus pode ser o tal G.A.D.U.

- G.A.D.U. pode designar qualquer deus.

- O Deus da Bíblia não é o Deus dos maçons, pois para aquela organização ocultista, o tal G.A.D.U. pode ser tanto Krishna, Buda, Maomé, Iemanjá ou o próprio Satanás.

- A maçonaria, portanto discorda de Deus!

A maçonaria, assim como seu pai, Satanás, fogem do Evangelho e tremem quando alguém lhes solicita que se posicione sobre quem é o Senhor Jesus Cristo. Não querem ouvir falar n'Ele, e procuram, de todas as formas, negar a Sua divindade. Negam também, veementemente, a exclusividade da Bíblia em sendo a Palavra de Deus.

Aqui publicaremos, mais uma vez, as esclarecedoras palavras de Albert Pike, que como você já leu, é um dos homens pivôs na história da Maçonaria:

“Para vocês, Soberanos Grandes Inspetores Gerais, nós dizemos isto, que vocês podem repetir para os irmãos dos graus 32, 31 e 30: A Religião Maçônica deve ser, por todos nós iniciados dos altos níveis, mantida na pureza da Doutrina Luciferiana”; “Sim, Lúcifer é Deus...”; “E a verdadeira e pura religião filosófica é a crença em Lúcifer, o igual de Adonai; Mas Lúcifer, Deus da luz e Deus do bem, está lutando pela humanidade contra Adonai, Deus da escuridão e do mal[Instruções aos 23 Conselhos Supremos do Mundo, Albert Pike, Grande Comandante, Soberano Pontífice da Maçonaria Universal, 14 de Julho, 188]).

E, vejamos como a maçonaria se refere a Albert Pike:

“Sua posição como autor maçônico e historiador, e também como poeta, era muito destacada, e seu aplicado zelo era sem igual paralelo” [Albert G. Mackey/ Encyclopedia of Freemasonry. Revised by Robert I. Clegg. Richmond, Virginia: Macoy Publishing, 1966, p. 774].

Tanto Albert Pike, como seu bajulador Albert Mackey, são os principais autores e criadores das chamadas Landmarks maçônicas, as regras essenciais e fundamentais dessa religião-filosofia-sociedade secreta ocultista-clube do bolinha conhecida por maçonaria.

O poderoso componente ocultista na maçonaria é tão sedutor a ponto de ter atraído para seu serpentário homens que ficaram famosos pelas suas relações com o ocultismo e com o Satanismo. Eis alguns deles:

Tanto Albert Pike, como seu bajulador Albert Mackey, são os principais autores e criadores das chamadas Landmarks maçônicas, as regras essenciais e fundamentais dessa religião-filosofia-sociedade secreta ocultista-clube do bolinha conhecida por maçonaria.

O poderoso componente ocultista na maçonaria é tão sedutor a ponto de ter atraído para seu serpentário homens que ficaram famosos pelas suas relações com o ocultismo e com o satanismo.

II. A MAÇONARIA E ABADOM


Quando um maçom chega ao grau 17 (Cavaleiro do Oriente e do Ocidente), os outros maçons lhe dão uma “palavra secreta” de acesso ao deus da maçonaria. E a tal “palavra secreta” é ABADOM [Fonte: Scottish Rite Masonry, pp. 452-453].

Agora, vejamos, pela Bíblia, quem é Abadom:

“O quinto anjo tocou a trombeta, e vi uma estrela caída do céu na terra. E foi-lhe dada a chave do poço do abismo. Ela abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar. Também da fumaça saíram gafanhotos para a terra; e foi-lhes dado poder como o que têm os escorpiões da terra, e foi-lhes dito que não causassem dano à erva da terra, nem a qualquer coisa verde, nem a árvore alguma e tão-somente aos homens que não têm o selo de Deus sobre a fronte. Foi-lhes também dado, não que os matassem, e sim que os atormentassem durante cinco meses. E o seu tormento era como tormento de escorpião quando fere alguém. Naqueles dias, os homens buscarão a morte e não a acharão; também terão ardente desejo de morrer, mas a morte fugirá deles. O aspecto dos gafanhotos era semelhante a cavalos preparados para a peleja; na sua cabeça havia como que coroas parecendo de ouro; e o seu rosto era como rosto de homem; tinham também cabelos, como cabelos de mulher; os seus dentes, como dentes de leão; tinham couraças, como couraças de ferro; o barulho que as suas asas faziam era como o barulho de carros de muitos cavalos, quando correm à peleja; tinham ainda cauda, como escorpiões, e ferrão; na cauda tinham poder para causar dano aos homens, por cinco meses; e tinham sobre eles, como seu rei, o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abadom, e em grego, Apoliom” (Ap 9.1-11).

* ABADOM, (de origem Hebraica) significando: Ruína e Destruição; anjo das profundezas do Inferno; também um dos nomes como é conhecido o diabo, Lúcifer, Satanás.

A maçonaria mistura idolatria, paganismo, ocultismo, cultos de fertilidade e demonologia em um único caldo em que se constitui a religião maçônica. Nada dessas coisas provém de Deus. A maçonaria é uma organização comandada e liderada pelo diabo, como já temos, exaustivamente, demonstrado.

Assim como o Senhor Deus arranca escravos de outras filiais do inferno, como o candomblé, a umbanda, o espiritismo e o hinduísmo, também Deus há de salvar alguns deles das trevas e dos grilhões da maçonaria, onde imperam a ganância pelo dinheiro, a idolatria à criatura humana, a imundícia da hipocrisia e a inutilidade da justiça própria. E ainda toda sorte de pecados que serão trazidos à luz no Grande Dia, quando Deus julgar a maçonaria, assim como fez com Sodoma e com Gomorra.

“Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar; nem ainda se arrependeram dos seus assassínios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos” (Ap 9.20-21).

II.     COMO A PRESENÇA DE MAÇONS NA CONGREGAÇÃO AFETA O QUE É DITO DO PÚLPITO?

A maioria dos pastores sabe que existem problemas com a maçonaria; somente uma minoria desconhece os problemas. Muitos desses pastores que estão cientes receiam pregar uma mensagem criticando os ensinos da maçonaria e evitam o assunto como a lepra. Eles não o discutem em público e, normalmente, não tomam uma posição firme em particular. Se sabem que a maçonaria é incompatível com o cristianismo, mas refreiam a língua em público e quando estão ocupando o púlpito, podemos ver facilmente que estão contemporizando em seu ministério. Não estão tomando os passos necessários para garantir que outros membros da congregação não sejam enlaçados por meio do casamento com uma família de maçons ou por meio de envolvimento direto na maçonaria. Se um pastor está ciente da malignidade da maçonaria e não diz nada aos maçons na congregação, então será responsável diante de Deus, conforme o livro de Ezequiel deixa claro como cristal:

“Mas, se quando o atalaia vir que vem a espada, e não tocar a trombeta, e não for avisado o povo, e a espada vier, e levar uma vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniqüidade, porém o seu sangue requererei da mão do atalaia” (Ezequiel 33.6).

III. POR QUE A MAIORIA DOS PASTORES RECEIA LIDAR COM A QUESTÃO DA MAÇONARIA A PARTIR DO PÚLPITO?

Os pastores não trabalham no vácuo; eles conversam com outros pastores, até mesmo com colegas de outras denominações. Sempre que um pastor toma uma posição contra a maçonaria, ou ensina claramente aqueles aspectos do evangelho que se opõem aos ensinos maçônicos, termina com uma tremenda batalha em suas mãos. Tudo o que um pastor precisa fazer para receber oposição maçônica é pregar a Palavra. Em geral, os maçons não suportam ouvir sobre o Evangelho da Graça, que diz que o homem não pode conquistar seu lugar no céu por meio das boas obras. Se os maçons estiverem presentes em uma congregação e as coisas estiverem correndo tranqüilamente, isso depõe contra o pastor. Se ele estivesse pregando a Palavra, a tempo e fora de tempo, sem deixar de corrigir, de repreender e de encorajar, estaria ou enfrentando oposição, ou os maçons estariam deixando a igreja. Em geral, poucos maçons se arrependem - embora alguns se arrependam. Não é responsabilidade do pastor obter o arrependimento. A responsabilidade dele é meramente zelar pelas almas e pregar, pois precisará prestar contas a Deus. Se os homens escolherem sair da igreja quando forem ofendidos pela verdade da Palavra de Deus, isso não é problema do pastor.

IV. A PENALIDADE POR PREGAR UM FALSO EVANGELHO

Os falsos evangelhos não são uma coisa nova; já existiam no primeiro século. Paulo tratou da questão e falou sobre a consequência de ensinar um falso evangelho em sua carta aos Gálatas:
“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho, além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema” (Galátas 1.8-9).

V.    SATANÁS AMA A MAÇONARIA

Veja o que ela faz para ele. Quando a maçonaria está presente, a igreja está tolerando o ensino de um falso evangelho pelos membros da congregação. Além disso, a maçonaria enlaça seus participantes na adoração a um falso deus. O acusador dos santos, Satanás, está ganhando terreno dentro da igreja. A batalha pode parecer ser da carne, mas existem forças espirituais poderosas trabalhando atrás dos bastidores. Alguns pastores foram forçados a deixar o púlpito quase que imediatamente após pregarem um sermão criticando a maçonaria. Outros simplesmente fizeram comentários em conversas particulares e mais tarde, essas conversas particulares vieram ao conhecimento dos maçons na congregação e eles começaram a trabalhar contra o pastor. Os pastores que refreiam sua língua e deixam de falar sobre a maçonaria fazem isso porque estão temerosos da batalha. Preferem contemporizar a combater o bom combate. Escolhem deixar que os homens vão para o inferno do que arriscar perder o púlpito. Eles ou têm um emprego, e não um chamado, ou não têm fé suficiente que Deus proverá. É uma coisa terrível de dizer, mas é a verdade.

VI.  A IMPLICAÇÃO DESSE SEGUNDO CENÁRIO TEM GRANDE ALCANCE

Como o deus da maçonaria é um demônio e um dos propósitos principais da maçonaria é a adoração, todos os maçons estão envolvidos em idolatria. A Bíblia é clara, os idólatras não herdarão o reino de Deus:

“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus” (1ª Coríntios 6.9-10).

As consequências de participar na promoção de um falso evangelho, encontradas em Gálatas 1.8-9, foram discutidas anteriormente. Como a maçonaria envolve o homem na promoção de um falso evangelho, acoplado com a idolatria, é questionável se qualquer maçom será recebido no céu. A única esperança possível é se um homem não sabe com o que está envolvido. O artigo O Quanto Eles Sabem discute essa questão. Poucos poderão alegar ignorância. É muito perigoso ensinar que um homem pode participar na promoção de um falso deus e que ainda assim será recebido nos céus. Esse ensino anula a necessidade de arrependimento. Jesus Cristo deixou pouca dúvida sobre a necessidade de arrependimento:

“Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis” (Lucas 13.5).
Ensinar que um homem pode continuar em uma atividade que é idólatra e que promove um falso evangelho seria desviar-se dos ensinos de Jesus Cristo e dos apóstolos. O que João diz sobre aqueles que não perseverem nos ensinos de Cristo? Ele advertiu que eles podem não ter a Deus:

“Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho” (2ª João 9). Vemos que esse cenário poderia facilmente resultar em uma situação em que Jesus Cristo exige o arrependimento:

“Lembra-te, pois de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres” (Apocalipse 2.5).

VII. UM CRISTÃO PODE SER MAÇOM?


Examinamos as possíveis ramificações religiosas e na Nova Ordem Mundial devido ao fato de tantos pastores e líderes da igreja cristã estarem envolvidos com a maçonaria. você ficará chocado!

A maçonaria, como já vimos, não exalta a Cristo, e muito menos o serve. Uma análise rudimentar, mostra a incompatibilidade entre o cristianismo bíblico e a maçonaria. Um crente realmente nascido de novo que vive na maçonaria vive numa eterna contradição. Os ideais supremos da maçonaria são: liberdade, igualdade, e fraternidade. Ela pretende atingir isso fora do caminho indicado por Deus na Sua Palavra, e, sem a mediação do Senhor Jesus Cristo. Afirma a maçonaria: “É a loja que prepara todos seus filiados para a Grande Loja de Cima – a Pátria Celeste”. Ora, a Bíblia declara que só há um caminho para Deus – Jesus (Jo 14.6).

Agora, imagine-se, um ministro do Senhor à vontade, na maçonaria, ou com os rosa-cruzes! Sabe-se que há pastores nesta situação. Vejamos o que diz a Bíblia sobre isso em 2ª Co 6.14; Am 3.3; 2º Cr 19.2; Ne 13.3; Sl 106.35; Sl 119.63; 1ª Co 15.33. Agora julguem os leitores verdadeiramente cristãos, com toda isenção de ânimo, se é lícito e possível, biblicamente falando, ser crente e ser maçom? É Ló mudando-se para Sodoma e salvando-se pela infinita mercê de Deus, porém com grandes e irreparáveis perdas.

Um cristão não pode pertencer a uma sociedade secreta, à qual se liga por juramento, e ser fiel à Igreja de Cristo, porque passará a ter intima comunhão com os homens, muitos dos quais não são regenerados e rejeitam a Cristo como seu Senhor e Salvador.

Pr. Elias Ribas

pr_eliasribas@yahoo.com.br

FONTE DE PESQUISA


1.      BÍBLIA EXPLICADA, S.E.McNair, 4ª Edição, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
2.      BÍBLIA PENTECOSTAL, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, Edição 1995, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
3.      BÍBLIA SHEDD, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil – 2ª Edição, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
4.      BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, 1995, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
5.      CLAUDIONOR CORRÊA DE ANDRADE, Dicionário Teológico, p. 286, 8ª Edição, Ed. CPAD, Rio de janeiro, RJ.
6.      DAVID BAY, Tradução: JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?id=186 – acesso dia 06/03/2009.
7      DAVID BAY. Fonte Maçônica confirma nosso artigo “Simbolos maçônicos de poder no trono do poder”. http://www.oapocalipse.com/home/estudos/religiao_fonte_maconica_confirma_nosso_artigo_simbolos_maconicos.html  [Acesso dia 11/07/2013]
8.  DELVACYR BASTOS, seitas e heresias, Escola Teológica Filadélfia, Cascavel PR, Email - prdelvacyr@hotmail.com.
9.  EDUARDO PEREZ NETO, a maçonaria, a Espada do Espírito, sites http://www.espada.eti.br/n2001.asp, - http://www.espada.eti.br/n1243.asp acesso 09/12/2008
10.   EDUARDO PEREZ NETO, a herança maçônica dos EUA, http://www.espada.eti.br/n1986.asp, acesso dia 12/12/2008.
11.  EDUARDO PEREZ NETO, Religião Mundial Já Está Quase Formada - A Organização da Maçonaria Está Preparando o Caminho! http://www.espada.eti.br/n1243.asp - acesso dia 25/02/2009.
12.  EDUARDO PEREZ NETO, O Impacto da Maçonaria na Igreja, http://www.espada.eti.br/efesios5-11.asp - acesso dia 06/03/2009.
13.  FRANCISCO DA SILVEIRA BUENO, Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, 11 ª Edição, FAE, Rio de Janeiro RJ.
14.  GILMAR SANTOS. Teologia Sistemática. Faculdade de Teologia de Goiânia.
15.  JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer, publicado em 2/11/2002, http://www.espada.eti.br/
16.  JOSÉ ELIAS CROCE, Lições bíblicas, 1º trimestre 2000, Ed. Betel.
17.  JOHN LANDERS, Religiões mundiais, Juerp, Rio de Janeiro, 3ª Edição, 1994.
18.  MAC DOMINICK, A Maçonaria Realmente é Uma Religião, http://www.espada.eti.br/n1144.asp - acesso 24/02/2009.
19.  PAULO CÉSAR SEMBLANO DA COSTA, Pelo Lado de Fora É uma Igreja Evangélica — Por Dentro Está Adornada com Chocantes Símbolos Ocultistas, http://www.espada.eti.br/n2174.asp - acesso dia 11/03/2009.
20.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Heresiologia – 2ª Edição – EETAD, São Paulo SP.
21.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Lições Bíblicas, 1º Trimestre de 1986, Ed. CPAD, Rio de Janeiro, RJ.
22.  RELIGIÕES E SEITAS. IBADEP. 1ª Edição, 2003, Site, www.ibadep.com
23.  RELIGIÕES MUNDIAIS, Seminário Teológico AMID, Cascavel, PR - e-mail: se.amid@hotmail.com
24.  RON RIFFE, maçonaria, a Espada do Espírito, http://www.espada.eti.br/n2001.asp, acesso 09/12/2008.
24.  SIMBOLOS MAÇÔNICOS, http://intellectus-site.com/site2/images/MasonicStructure.gif ACESSO DIA 21/05/2009.
25.  SEITE – INTELLECTUS, A maçonaria, braço direito do diabo, http://intellectus-site.com/site2/artigos/maconaria-braco-direito-do-diabo.htm - acesso dia 24/03/2009.
26.  SEITAS E HERESIAS, Escola de educação teológica Elohim, São Paulo, SP.
27.  SÉRIE APOLOGÉTICA, ICP, Volomes I ao VI, Instituto Cristã de Pesquisa, Site, www.icp.com.br