TEOLOGIA EM FOCO

quarta-feira, 10 de julho de 2013

AS ORIGENS DA MAÇONARIA E DE SEU PAI, LÚCIFER

Essa organização luciferiana, chamada de Maçonaria, diferentemente do que muitos supõem, não é um organismo isolado e singular no mundo. Antes, trata-se de um poderoso segmento do Império de Satanás. E Satanás possui um reino, como nos ensina o Senhor Jesus Cristo:

“E, sabendo ele o que se lhes passava pelo espírito, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e casa sobre casa cairá. Se também Satanás estiver dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino?” (Lucas 11.17-18).

Este império do mal começou a ser organizado desde o princípio, quando a serpente enganou Eva e tomou de Adão o domínio do mundo, passando a ser ele próprio, Satanás, o deus deste século e o príncipe deste mundo:

“Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus” (2ª Co 4.3-4).
“Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso” (Jo 12.31).
Com a vinda em carne do Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo estabeleceu o seu Reino aqui na terra, em cujos domínios e extensões Satanás não podem entrar. Todo o Reino de Deus será trasladado para as regiões celestiais onde está o Trono de Deus, e isto sucederá no último dia, o dia do juízo e do retorno do Filho de Deus. Pisamos sobre esta terra como peregrinos, caminhando para uma pátria celestial e eterna, a qual nada tem a ver com esse mundo perdido e amaldiçoado. E veja que o Senhor Jesus Cristo não rogou pelo mundo quando orava ao Pai dizendo:

“É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus” (João 17.9).

E o que sucederá a este mundo? Será destruído por Deus no Grande Dia. Porém, até que chegue este momento, cada vez mais próximo, o mundo continua a ser palco de uma terrível guerra onde, de um lado está Deus salvando-nos por meio do Evangelho de seu Filho, do outro lado está Satanás levando à cabo os seus intentos. E que intentos são esses?

Pois bem, precisamente a fim de que possamos entender como opera e como funciona a Maçonaria é que se faz necessário entender quais são os planos e os intentos de Lúcifer.

Sabedor de que não lhe resta mais nada, senão a condenação ao fogo eterno, Satanás é movido por um terrível e implacável ódio contra Deus. Esse ódio também deriva do fato da enorme frustração de Lúcifer em não ter obtido sucesso em seu audacioso plano de estabelecer um império celestial, independente de Deus, como tanto desejava, e de não poder ser adorado pelos anjos, como tanto cobiçou:

“Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo” (Isaías 14.13-14).

Mas sua doença é incurável, por isso sua perdição é eterna. Vejamos como a Serpente teve a audácia de tentar o próprio Senhor Jesus Cristo a fim de procurar receber adoração:

“Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto” (Lucas 4.6-8).

Esta ideia fixa de Satanás, e que lhe custou muito caro, é também expressa através de homens e de mulheres que estão sob seu domínio. Vejamos estas comprometedoras palavras ditas por um famoso clérigo católico maçom chamado Eliphas Levi. Reparem na sutil audácia dessas palavras e como seu autor parecia, de fato, admirar Lúcifer:

“Satanás é aquele anjo suficientemente orgulhoso para acreditar que era Deus; corajoso o suficiente para comprar a sua independência ao preço da eterna tortura e eterno sofrimento; belo o suficiente para ter adorado a si próprio em divina luz; forte o suficiente para ainda reinar na escuridão em meio à agonia, e para ter feito um trono para si próprio desta pira inextinguível” [Eliphas Levi; 1860, Histoire de La Magie, páginas 16,17].

Outro personagem maçom ainda mais comprometedor para a Maçonaria, foi Albert Pike, à respeito de cujas asseverações declaradamente satanistas, alguns autores maçônicos, quando solicitados a esclarecer de que se tratam essas declarações, se limitam a responder: “curioso!”.

No que diz respeito a essa obstinação de Lúcifer em ser adorado, trata-se de um princípio maligno sobremaneira egoísta, vil e pai de toda sorte de injustiças. Esse princípio egoísta e satânico é o que tem levado muitos homens a buscar poder, dinheiro, fama, glória e alguns até mesmo literal adoração. Uma vez que Satanás tem estado presente ao longo da história da humanidade, muitos impérios e reinos têm refletido sua personalidade arrogante e maligna, seja de modo muito bem dissimulado, seja de modo escancarado e bizarro. Muitos são os exemplos que podemos dar, porém, a fim de demonstrar a inequívoca relação entre a Maçonaria e Lúcifer, começaremos pelo Egito, o qual possuía símbolos e simbologias muito apreciadas pelos maçons, até os dias de hoje.

MAÇONARIA, O BRAÇO DIREITO DO DIABO

Nessa história dois grupos são beneficiados: homens ímpios, profanos e pagãos, embriagados por ambições de poder, fortemente atraídos por um status enganador que lhes dá a impressão de estar fazendo parte de uma elite, e Satanás e seus demônios, pois quanto mais fundo estiver uma pessoa envolvida no ocultismo, mais facilmente manipulada pelas trevas se torna. Essa manipulação tem por objetivo a destruição espiritual do ser humano, contra quem o diabo nutre ódio mortal. Tem também a finalidade de recrutar homens e mulheres a fim de que sirvam a Satanás em seu propósito de ser adorado através da figura da Besta, assunto já tratado em outros artigos e para o qual retornaremos quando formos demonstrar como a Maçonaria serve a propósitos mais abrangentes de Lúcifer. É evidente que o diabo não pode contar com homens que realmente amem a Deus a fim de levar a cabo seus intentos. Por isso recruta homens ímpios, egoístas, amantes de si próprios, ambiciosos, arrogantes, idólatras e pagãos através da Maçonaria. Posteriormente, a organização, fundamentada em princípios satânicos, sistematicamente os doutrina fazendo-os acreditar que são “homens de bem e de bons costumes” e uma “elite benfeitora”, como é frequentemente anunciado em suas publicações e sutis propagandas. Agora, pergunto: baseados em que se consideram “homens de bem”? Vamos analisar algumas palavras que repetem entre si como um credo religioso:

"Quais as condições individuais indispensáveis para poder pertencer à maçonaria? Crer na existência de um princípio Criador, ser homem livre e de bons costumes, ser consciente de seus deveres para com a Pátria, seus semelhantes e consigo mesmo, ter uma profissão ou ofício lícito e honrado que lhe permita prover as suas necessidades pessoais e de sua família e a sustentação das obras da Instituição” (De um web site maçom).

- “Crer na existência de um princípio criador”. Isto não significa absolutamente nada aos olhos de Deus e não faz da pessoa um verdadeiro homem de bem. Crer em um “princípio criador”, ser ateu, ou indiferente dá no mesmo. Ouça o que diz a Bíblia:

“Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem” (Tiago 2.19).
O que realmente faz diferença aos olhos de Deus é isto:

“Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”  (João 15.5).

Embora os maçons o neguem até com veemência, a realidade é que qualquer referência ou mesmo a pronúncia do nome do Senhor Jesus Cristo é fortemente desencorajada nas lojas maçônicas, e isto pode ser compreendido se atentarmos para as palavras do Senhor:

“Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras” (João 3.20).

- “Ser homem livre e de bons costumes”. Muitos não compreendem porque neste segmento do credo maçom foi colocada esta frase: “ser homem livre”. Isto significa que o maçom não pode estar comprometido com nada que possa vir a interferir com seus deveres e obrigações para com a organização. E isto inclui não estar comprometido com o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, pois, por tudo o que já dissemos e demonstramos, o compromisso com a Maçonaria é incompatível com o compromisso com o Senhor Jesus Cristo. O objetivo do cristão é servir aos interesses de Seu Senhor, os objetivos do maçom é servir aos interesses diabólicos da Maçonaria.

“Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou” (2ª Timóteo 2.3-4).

Observamos a monstruosidade das palavras abaixo, de um escritor maçom, e como o princípio que as orienta se parece com os princípios da Teoria Ariana, segundo a qual, deve predominar o rico sobre o pobre, o saudável sobre o doente, o mais belo sobre o feio, princípios estes também orientadores do cruel sistema de castas do Hinduísmo.

Para o tal autor do artigo, ser maçom é: “ter a possibilidade de mover-se livremente na busca de suas oportunidades físicas, é ter condições de cumprir suas obrigações financeiras para com a sociedade e sua família, é ser íntegro fisicamente, é ter capacidade cerebral normal padrão ou superior para desenvolver o seu livre-pensamento13:11 4/9/2008" (Os Templários/Portal Maçônico http://intellectus-site.com/site2/files/portal-maconico.pdf acesso dia 06/03/200).

As palavras acima são gravemente comprometedoras para os maçons, se é que, de fato, desejam continuar camuflando de filantrópica e de benfeitora essa organização do diabo. A realidade é que não há lugar para os pobres e oprimidos, ou para aleijados, nessa organização das trevas. Vejamos agora o contraste:

“Disse também ao que o havia convidado: Quando deres um jantar ou uma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem vizinhos ricos; para não suceder que eles, por sua vez, te convidem e sejas recompensado. Antes, ao dares um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos Justo ( Lc 14.12-14).

É importante dizer, que muitos maçons, principalmente os de graus menos elevados na organização, desconhecem completamente estas coisas, e julgam realmente estar aderindo e servindo a uma causa com objetivos louváveis, ao passo que outros maçons sabem, e muito bem, em que estão metidos. Ambos os grupos não possuem desculpa diante de Deus, pois a todos é pregado o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, inconciliável com tudo o que diga respeito à Maçonaria.

Agora, observe esta outra declaração maçônica:

“A Maçonaria é uma instituição essencialmente filosófica, filantrópica, educativa e progressista" (Da Publicação da Grande Loja Maçônica do Ceará).

Se isto fosse verdade, por que a Maçonaria tem se intrometido tanto na História de nossa nação, o Brasil? O que desejam na política? O que buscam? Por que tanto desejam o poder? Quais são seus reais objetivos por detrás de toda essa ladainha?

Representação Maçônica no Congresso Nacional
"A grande maioria de nosso Congresso Nacional (Deputados Federais e  Senadores) pertencentes à Maçonaria.

Seguidamente a maçonaria reúne-se com a Suprema Congregação, juntamente com as Grandes Lojas do Brasil, para uma reunião conjunta entre Deputados Federais, Senadores e Grão-Mestres Estaduais, a fim de traçar um programa de trabalho, visando a participação da Maçonaria na solução de problemas nacionais, tais como: a Violência, a Educação, a Saúde e a Soberania Nacional, em especial a defesa da Amazônia (Laelso Rodrigues/Grão-Mestre Geral/2001).

FONTE DE PESQUISA


1.      BÍBLIA EXPLICADA, S.E.McNair, 4ª Edição, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
2.      BÍBLIA PENTECOSTAL, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, Edição 1995, CPAD, Rio de Janeiro RJ.
3.      BÍBLIA SHEDD, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil – 2ª Edição, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
4.      BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE, Traduzida por João Ferreira de Almeida. Revista e Corrigida, 1995, Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, SP.
5.      CLAUDIONOR CORRÊA DE ANDRADE, Dicionário Teológico, p. 286, 8ª Edição, Ed. CPAD, Rio de janeiro, RJ.
6.      CLEMAR GONÇALVES, maçonaria: Duas organizações, uma visível, outra invisível, http://www.espada.eti.br/free001a.asp - acesso dia 25/02/2009.
8.     DAVID BAY, Tradução: JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?id=186 – acesso dia 06/03/2009.
9.      DELVACYR BASTOS, seitas e heresias, Escola Teológica Filadélfia, Cascavel PR, Email - prdelvacyr@hotmail.com.
10.  EDUARDO PEREZ NETO, a maçonaria, a Espada do Espírito, sites http://www.espada.eti.br/n2001.asp, - http://www.espada.eti.br/n1243.asp acesso 09/12/2008
11.   EDUARDO PEREZ NETO, a herança maçônica dos EUA, http://www.espada.eti.br/n1986.asp, acesso dia 12/12/2008.
12.  EDUARDO PEREZ NETO, Religião Mundial Já Está Quase Formada - A Organização da Maçonaria Está Preparando o Caminho! http://www.espada.eti.br/n1243.asp - acesso dia 25/02/2009.
13.  EDUARDO PEREZ NETO, O Impacto da Maçonaria na Igreja, http://www.espada.eti.br/efesios5-11.asp - acesso dia 06/03/2009.
14.  FRANCISCO DA SILVEIRA BUENO, Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, 11 ª Edição, FAE, Rio de Janeiro RJ.
15.  GILMAR SANTOS. Teologia Sistemática. Faculdade de Teologia de Goiânia.
16.  ELVIS BRASSAROTO ALEIXO, Cuidado, a serpente ainda fala: www.icp.com.br/40materia2.asp, acesso dia 05/01/2009.
17.  JEREMIAS R D P DOS SANTOS, Provamos Conclusivamente Que a Maçonaria Adora a Lúcifer, publicado em 2/11/2002, http://www.espada.eti.br/
18.  JOSÉ ELIAS CROCE, Lições bíblicas, 1º trimestre 2000, Ed. Betel.
19.  JOSÉ FERRAZ, Apostila sobre a Nova Era, apostila extraída da internet.
20.  JOHN LANDERS, Religiões mundiais, Juerp, Rio de Janeiro, 3ª Edição, 1994.
21.  MAC DOMINICK, A Maçonaria Realmente é Uma Religião, http://www.espada.eti.br/n1144.asp - acesso 24/02/2009.
22.  PAULO CÉSAR SEMBLANO DA COSTA, Pelo Lado de Fora É uma Igreja Evangélica — Por Dentro Está Adornada com Chocantes Símbolos Ocultistas, http://www.espada.eti.br/n2174.asp - acesso dia 11/03/2009.
23.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Heresiologia – 2ª Edição – EETAD, São Paulo SP.
24.  RAIMUNDO OLIVEIRA, Lições Bíblicas, 1º Trimestre de 1986, Ed. CPAD, Rio de Janeiro, RJ.
25.  RAPHAEL S LINHARES, Maçonaria, “A Nova Ordem das Épocas” - A Nova Ordem Mundial: http://www.espada.eti.br/n2001.asp - acesso dia 26/02/2009.
26.  RELIGIÕES E SEITAS. IBADEP. 1ª Edição, 2003, Site, www.ibadep.com
27.  RELIGIÕES MUNDIAIS, Seminário Teológico AMID, Cascavel, PR - e-mail: se.amid@hotmail.com
28.  RON RIFFE, maçonaria, a Espada do Espírito, http://www.espada.eti.br/n2001.asp, acesso 09/12/2008.
29.  SIMBOLOS MAÇÔNICOS, http://intellectus-site.com/site2/images/MasonicStructure.gif ACESSO DIA 21/05/2009.
30.  SEITE – INTELLECTUS, A maçonaria, braço direito do diabo, http://intellectus-site.com/site2/artigos/maconaria-braco-direito-do-diabo.htm acesso dia 24/03/2009.
31.  SEITAS E HERESIAS, Escola de educação teológica Elohim, São Paulo, SP.
33.  SEITAS E HERESIAS, SEAMID, Cascavel – PR, se.amid@hotmail.com
34.  SMEETON, DONAL D., História da Igreja, Ed. Global University, 1ª Edição no Brasil 2003. FAETAD, Campinas SP.
35.  HISTÓRIA DA TORRE DE BABEL, www.historiadomundo.com.br/babilonia/torre-babel/ - acesso dia 19/05/2009.