TEOLOGIA EM FOCO

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

JESUS TINHA APARÊNCIA DE HOMEM

Hb 2.17 “Visto, pois que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também Ele, igualmente, participou... Por isso mesmo convinha que, em todas as cousas, se tornasse semelhante aos irmãos”.

Notamos que Cristo apresentava aspecto físico normal de um homem. No versículo acima diz que Jesus se tornou carne e sangue, como seus irmãos em todos os aspectos. Cristo despiu-se de Sua glória, tornou-se homem conforme Fl 2.7-8 que diz: “Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; 8 E achando na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte de cruz”.


I. SENTIU CANSADO

Muitos são os exemplos nos evangelhos, onde Jesus era visto como um humano cansado e faminto. Certa vez Ele pediu aos discípulos que saíssem com Ele a fim de descansar. Mt 26.48 “E Ele lhes disse: vinde repousar um pouco a parte num lugar deserto; porque eles não tinham tempo nem para comer, visto serem numerosos os que iam e vinham”. Muitas vezes Cristo sentia cansaço no Seu corpo físico. No capítulo 4 de João, lemos que os discípulos o deixaram junto à fonte de Jacó para descansar. Cansado, após intenso dia de trabalho, Cristo adormeceu no barco em que Ele e Seus discípulos atravessaram o Mar da Galiléia. Nem mesmo a violenta tormenta o fez acordar, e dormiu profundamente até ouvir os gritos apavorados dos discípulos (Mt 8.24,25).

II. SENTIU TRISTEZA
Jesus sentiu profundamente a dor humana, e em pelo menos duas ocasiões. Ele chorou abertamente. Em Lc 19.41 Pranteou a indiferença de Jerusalém, e acompanhou em lágrimas o luto de Maria e Marta na ocasião da morte do seu irmão Lázaro.

III. IDENTIFICOU-SE CONOSCO
Uma vez que Cristo se identifica tão completamente conosco, carregando nossas iniquidades e enfermidades, podemos aproximar-nos do Seu trono de Graça, pois que Ele sente os nossos problemas e se compadece de nós. Quão glorioso sumo Sacerdote é o nosso, que se humilha para cuidar das nossas fraquezas! Hb 4.15-16 “Porque não temos Sumo Sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, antes foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Achemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da Graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”.

Pr. Elias Ribas
pr.eliasribas2013@gmail.com.br