TEOLOGIA EM FOCO

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

FOGO ESTRANHO OFERECIDO POR NADABE E ABIÚ



“Nadabe e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário, e puseram nele fogo, e sobre este, incenso, e trouxeram fogo estranho perante a face do Senhor, que não lhes ordenara. Então saiu fogo de diante do Senhor e os consumiu; e morreram perante o Senhor” (Lv 10.1-2).

Deus havia estabelecido Arão como sacerdote e ele foi ungido. E todas as relações com culto era de responsabilidade de Arão que era o chefe, e seus filhos eram simplesmente ajudantes e não sacerdotes. Se os filhos se aventurassem a oferecer sacrifício estariam oferecendo fogo estranho, e foi exatamente o que Nadabe e Abiú, filhos de Arão fizeram. Acharam que podiam oferecer sacrifícios por si mesmo e ofereceram sem a ordem de Arão.

O significado do fogo estranho é servir sem uma ordem e sem obedecer à autoridade. Tinha visto seu pai oferecendo sacrifício e presumiram que podiam fazer a mesma coisa, porém estavam fora da vontade de Deus. Quando homem serve sob a autoridade de Deus, é aceito e ricamente abençoado.

O trabalho de Deus tem de ser coordenado sob autoridade. Deus colocou Nadabe e Abiú sob autoridade de Arão. No trabalho de Deus, Ele coloca alguns em autoridade e outros sob autoridade. Deus nos chamou para sermos sacerdotes segundo a ordem de Melquizedeque; portanto, temos de servir a Deus de acordo com a ordem da autoridade coordenada.

Nos trabalhos espirituais todos devem servir em coordenação. A coordenação é a regra que muitos não aprenderam. Hoje em dia muitos estão tentando servir a Deus sendo independentes, jamais se colocam sob autoridade; inconscientemente pecam contra a autoridade de Deus, isto é, estão em pecado de rebeldia, e esse pecado segundo 1º Sm 15.23 é comparado com o pecado de feitiçaria. Falar contra a autoridade representativa provoca a ira divina.

Pr. Elias Ribas