TEOLOGIA EM FOCO

sábado, 10 de fevereiro de 2018

AS TRÊS FORTALEZAS DO INIMIGO

2ª Co 10.4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas”.

INTRODUÇÃO: Pelo menos três armas que a Igreja tem: o nome de Jesus; a Palavra de Deus, o sangue e o nome de Jesus.

I. TRÊS FORTALEZAS

1. Raciocínio (2ª Co 10.5): Jesus até hoje é odiado pelo mundo. A cultura atual tem se levantado para procurar destruir a única referência de amor, santidade, vida, etc, da mente e do coração dos homens. Paulo falou a Timóteo sobre as fábulas, recomendou em suas cartas sobre os homens deste século. Livros e filmes têm sido escritos para denegrir a imagem de Cristo: O código da Vinci foi escrito dizendo que Cristo foi casado e teve filhos; o filme a Última tentação de Cristo mostra Ele como um homossexual, e tantas outras investidas muito bem arquitetadas no raciocínio de homens perversos. Só poderão ser combatidos e vencidos com as armaduras poderosas em Deus.

2. Desobediência (2ª Co 10.6): Podemos fazer tudo o que queremos: pisar no sal grosso, ir para a fogueira santa, 7 quintas-feiras, corredor de milagres, corredor de fogo etc, porém se não houver obediência à Palavra todas estas coisas de nada valem. Na desobediência de Adão houve: morte, tristeza e derrota. Na obediência de Cristo houve: vida, alegria e vitória.

3. O “Eu” (2ª Co 10.17): O “eu” foi derrotado na sarça ardente (Moisés). Ali Deus mostrou quem é o “Eu”. Disse Ele: EU SOU. Ninguém pode dizer ‘eu sou’ senão somente Deus. Grandes homens caem por causa do orgulho, da prepotência, do ‘eu’, da glória a si mesmo. Deus diz que não divide, reparte, a Sua glória com ninguém. Podemos pregar, fazer milagres, ser profundos biblicamente, mas nunca esquecer de dar TODA a glória a ELE. O pregador gloria-se NELE. Somente Ele pode dizer: “EU SOU O QUE SOU”.


Pr. Elias Ribas