TEOLOGIA EM FOCO

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O ESTADO ETERNO E UM NOVO CÉU E UMA NOVA TERRA





 I.   O ESTADO ETERNO - (Ap 21.1-7).

No momento que o Trono Branco for recolhido ao Céu de Glória, nós estaremos com o Senhor e o mundo entrará num colapso ou cataclismo mundial e as potências do céu serão abaladas por causa da destruição eminente.

No Estado Eterno o tempo deixará de existir, será eterno. Haverá apenas dois lugares para todos os seres (anjos e homens), que foram criados por Deus.

1.       Estado Eterno com Deus. Para aqueles que praticaram a justiça.
2.       Estado Eterno sem Deus. Para aqueles que praticaram a injustiça.

Para apagar todos os sinais do pecado, haverá a destruição da Terra, das estrelas e galáxias. O céu e a Terra serão abalados (Ag 2.6; Hb 12.26-28) e desaparecerão como fumaça (Is 51.6); as estrelas se derreterão (Is 34.4) e os elementos serão dissolvidos (2ª Pe 3.7, 10, 12). A Terra renovada se tornará a habitação dos homens e de Deus (Ap 21.2, 3, 10; 22.3-5).

Depois destas transformações cósmicas, Deus trará um NOVO CÉU E UMA NOVA TERRA “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe” (Ap 21.1). “Eis que faço nova todas as coisas” (Ap 21.5).

Depois do Juízo do grande trono branco e da destruição do antigo céu e Terra, o Senhor outra vez “plantará” os céus e fundará a Terra, enquanto esconde os Seus na sombra de Sua mão (Is 51.16). Assim Deus terá separado de Si para sempre todos os rebeldes e incrédulos e trazidos para a Sua presença todos os que aceitaram Jesus por seu Salvador. ALELUIA!

 II.    ONDE FICARÁ A NOVA JERUSALÉM

A cidade de Jerusalém celestial descerá e pairará nas alturas, acima da Jerusalém terrestre (Is 2.2; 4.5 e 24.23; Ml 4.1).

A nova Jerusalém está agora no céu (Gl 4.26); dentro em breve, ela descerá à Terra como a cidade de Deus, que Abraão e todos os fiéis esperavam, da qual Deus é o arquiteto e construtor (Fp 3.20; Hb 11.10,13,16).

A Nova Terra será a sede do governo Divino e Ele, o Senhor habitará para sempre com o Seu povo. Será nessa cidade de ouro e pedras preciosas que os justos reinarão com Cristo eternamente (Ap 21.9-10).

O céu é o lugar onde a Igreja passará eternamente, é obviamente o Novo Céu que será criado por Deus, que tomara o lugar do primeiro Céu (Ap 21.1). Esse céu, claro, será diferente do antigo céu ou o universo com suas galáxias, constelações, planetas, estrelas etc.

A Igreja estará glorificada com Cristo na Jerusalém Celeste, como povo escolhido (Cl 3.4; 1ª Pe 5.1; Rm 8.17, 18, 30). Todos os redimidos terão corpos semelhantes ao corpo ressurreto de Cristo, corpo real, visível e tangível, porém incorruptível, poderoso e imortal (Rm 8.23; 1ª Co 15.51-56).


 III.             QUEM HABITARÁ NA NOVA JERUSALÉM

A Nova Jerusalém descerá do novo céu e ficará pairada no espaço, ela não necessita de luz, porque a glória de Deus é o seu fulgor (Ap 21.11).

A nova Jerusalém é o lugar que Jesus tem preparado para todos aqueles que creram na Suas promessas, e guardaram Sua Palavra, ou seja, a Sua noiva.

 IV.             COMO SERÁ A NOVA JERUSALÉM – Ap 21.16-17.

A Nova Jerusalém tem a forma de cubo, ou seja, possui a mesma medida em todos os lados, e mede 12 mil estádios de todos os lados, sendo que um estádio corresponde a 180 metros, sendo assim, a cidade mede aproximadamente 2.160 Km de cada lado da cidade e 4.665.600 km² (Quatro milhões, seiscentos e sessenta e cinco mil, e seiscentos) Quilômetros quadrados. Comparando as medidas em Apocalipse 21.16-17, a Nova Jerusalém corresponde a aproximadamente 3.124 vezes a cidade de São Paulo. Podemos então imaginar o tamanho da cidade que os salvos irão morar. Se fosse dividas em ruas, teria lugar para 8.000.000 de ruas de 2.500 Km cada uma. As ruas serão totalmente limpas. Nesta cidade não haverá noite nem precisam eles de luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles e reinarão pelos séculos dos séculos. Que lar glorioso será a residência dos fiéis do Senhor.

De acordo com o número apresentado pela Bíblia, a Nova Jerusalém será uma cidade extremamente grande, aqui na Terra não existe nada parecido, não da para imaginar como seria morar numa cidade como esta, “onde as muralhas são de jaspe, e a cidade de ouro puro semelhante ao vidro límpido. Os fundamentos da cidade são adornados de toda espécie de pedras preciosas (jaspe, safira, calcedônia, esmeralda, sardônio, sárdio, crisólito, berilo, topázio, crisópraso, jacinto, deametista). As portas de pérolas, a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente. A cidade não precisa de sol, nem de lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é sua lâmpada. As nações andarão sobre sua luz, suas portas nunca se fecharão, porque nela não haverá noite. Nela nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem prática abominável e mentira, mas somente os escritos no Livro da Vida do Cordeiro” (Ap 21.18-27).


 V.     UMA CIDADE ALÉM DA NOSSA IMAGINAÇÃO

Deus tem preparado para aqueles que O amam e obedecem a Sua Palavra algo inédito, muito lindo, de arquitetura extremamente moderna. Na revelação de Paulo aos Coríntios ele diz: “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus tem preparado para os que o amam” (2ª Co 2.9).


Se olharmos as belezas da natureza e de nosso mundo não se compara com aquilo que Deus tem preparado para seu povo. Nenhuma cidade deste mundo possui um rio tão belo quanto o rio da vida que corre sobre a Nova Jerusalém (Ap 22.1), o rio mais limpo deste mundo não possui água potável que possa beber antes de um verdadeiro tratamento, mas o rio que corre sobre a Nova Jerusalém além de possuir a água mais pura que qualquer outra, ela procede do trono de Deus, uma verdadeira cachoeira Santa, isto eu posso garantir que nenhum olho na Terra conseguiu contemplar. Jamais alguém poderá ver as grandezas desta cidade, a menos que aceite a Jesus como Seu salvador.

O que Deus tem preparados para nós na Nova Jerusalém, é algo que nunca ouvimos falar, para ser exato, não existe em nenhum lugar no mundo, a cidade mais segura deste mundo não proporciona tanta segurança quanto à cidade que vem de Deus. O dinheiro existente no mundo inteiro não pode proporcionar segurança contra terremotos, maremotos, enchentes, frio, calor, porém tudo isto Deus dará aqueles que o amam e creem que Ele é o Messias o Filho de Deus enviado do Pai para nossa Salvação. O ouro existente no mundo inteiro não pode comprar um lugar nesta cidade, somente aqueles que creem que o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado.

O Senhor Jesus tem preparado um lugar para aqueles que irão morar na Nova Jerusalém algo que nenhum homem, sábio ou cientista pensou. Quanto mais o homem estuda outros planetas, galáxia, vai a lua etc., jamais conseguirá ver quanto mais imaginar o que Deus tem preparado para aqueles que vão herdar a Salvação.

Muitos estão investindo em bens matérias correndo atrás do dinheiro, mas não sabem que em breve esta Terra será consumida pelo fogo (2ª Pe 3.7).

A cidade possui: Muitas moradas e todos podem ir para lá (Jo 14.1-3); A cidade brilha como a glória de Deus (Ap 21.11); Muros grandes e altos (21.12); Doze portas com o nome das doze tribos de Israel (21.12); O muro da cidade possui doze fundamentos com o nome dos apóstolos (21.14); A cidade é parecida a um cubo, quadrada (21.16); Os muros são de jaspe (21.18); A cidade é de ouro puro (21.18); Na cidade não existe templos, ou igrejas (21.22); Não existe sol ou lua, pois a glória de Deus iluminará toda a cidade (21.23; 22-5); Não existirá noite (21.25; 22.5); Uma cidade com um rio puro, que possui a água da vida (22.1); Nesta cidade também existe uma praça, que fica as margens do rio (22.2).



 VI.         COMO SERÁ A NOVA TERRA

A Nova Jerusalém poderá ser somente uma cidade sobre a nova Terra que o apóstolo João viu em Apocalipse 21.1, pois assim diz a Bíblia: “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe”. A nova terra será muito maior que a Nova Jerusalém. Não dá para imaginar o tamanho do novo planeta, e também devemos considerar que na Nova Terra não existira o mar, que hoje ocupa a maior parte da superfície da Terra, e sendo assim o número de pessoas na Nova Terra poderá ser muito maior que o atual planeta. Isto é apenas uma hipótese, pois a Bíblia não menciona a quantidade de habitantes.

Na Nova Terra haverá o rio que sai do trono de Deus e do Cordeiro (Ap 22.1). Simboliza que a nossa salvação foi iniciada por Deus e pelo Cordeiro (Jesus). E fluirá por toda eternidade.

No meio da praça de uma margem do rio a árvore da Vida. Esta seria a árvore que Deus proibiu após a queda de Adão e Eva (Gn 3.24), que estava no meio do Jardim do Éden (Gn 2.9) que será para a cura das nações (Ap 22.2).

Na Nova Terra não haverá maldição, nem morte, nem tristeza, nem noite, porque a glória da cidade brilhará sobre ela, e viverão pelos séculos dos séculos.

 VII.             E DEUS LIMPARÁ TODA LÁGRIMA

Os efeitos do pecado, tais como tristeza, dor, mágoa e a morte, já se foram para sempre. Os crentes apenas se lembrarão das coisas santas que valem a pena ter na memória, decerto não se lembrarão do que lhes causou tanta tristeza (Ap 22.3-5).

A Bíblia termina com a promessa de que Jesus breve voltará, o qual João responde: VEM SENHOR JESUS. Esse anseio é também de todos os cristãos verdadeiros.

Temos toda razão para crer que rapidamente aproxima-se o dia em que é chamado na Palavra de Deus, e a resplandecente Estrela da Manhã descerá do céu para levar da Terra os seus fiéis para a casa do Pai (Jo 14.1-3), depois Ele voltará em Glória e triunfo para reinar para sempre como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

        VIII.             O DESTINO FINAL DOS JUSTOS

O estado final dos crentes é descrito como Vida Eterna, isto é, não apenas uma vida sem fim, mas a vida em toda a sua plenitude, sem nenhuma das imperfeições e dos distúrbios da presente vida (Rm 2.7). Os justos são destinados à vida eterna na presença de Deus. Quando o céu e a Terra forem despovoados (no Juízo Final), o Universo será submetido a um glorioso processo de renovação (2ª Pe 3.7, 10-13). João teve uma visão dessa nova criação em Ap 21.1-5. As Escrituras apresentam o céu como um lugar. Cristo corporalmente ascendeu ao céu, o que significa que Ele foi de um lugar para outro (Lc 24.39, 51). O céu é descrito como a casa de nosso Pai, onde há muitas moradas (Jo 14.1). A vida eterna é desfrutada na comunhão com Deus, o que é realmente a essência da vida eterna (Ap 21.3). Os Justos verão a Deus (1ª Jo 3.2), encontrarão plena satisfação n’Ele e O glorificarão eternamente. As melhores palavras da linguagem humana são inadequadas para descrever as gloriosas realidades da vida eterna com Deus. Quando chegarmos ao céu, em meio ao seu esplendor, com certeza, exclamaremos como a rainha de Sabá: “Eis que não me contaram a metade” (1º Rs 10.7). O céu é lugar de descanso e alívio para os cansados (Ap 14.13; 21.4); é também a realização plena da vida. É lugar de luz e beleza (Ap 21.23; 22.5); lugar da plenitude de conhecimento (1ª Co 13.12); lugar de serviço (Ap 22.3); lugar de gozo (Ap 21.4); lugar de culto, louvor e adoração, exaltação (Ap 21.22). Iremos honrar, o engrandecer o Senhor, é o lugar onde haverá eterna comunhão entre Deus e todos os santos ou sua Igreja.

Atividade principal no Novo Céu será a de louvor e adoração ao nosso Criador, Redentor, Senhor e Rei. Será um culto eterno a Deus que nunca se tornará tediosos ou simplesmente repetições orações, mas ,de aleluias, glórias e “Tu és digno, Cordeiro de Deus”, pois a majestade, a beleza e magnificência do Senhor nos levarão achar mais e mais motivos para glorificar. Os atrativos da Sua glória produzirão em nós eternas razões para exaltar.

Haverá atividades no Céu, entre elas música e canções. Para que não dizer que, também, haverá outros meios de cultuar a Deus. Quem sabe demonstraremos o nosso amor e gratidão a Ele através de dotes, criatividades, habilidades especiais etc. Não encontramos referências bíblicas específicas sobre essa possibilidade, mas o nosso louvor a Deus na Terra não deve apenas consistir do que praticamos num ambiente eclesial, mas, sim, através de outras demonstrações variadas do nosso ser a Ele.

[...] John MacArthur complementa: Biblicamente, a vida eterna não é apenas a promessa da vida na eternidade, mas é também a qualidade de vida característica das pessoas que vivem na eternidade. Tem a ver com qualidade tanto quanto duração (Jo 17.3). Não é apenas viver para sempre. A vida eterna é ser participante do reino onde habita Deus. É andar com o Deus vivo, em comunhão infindável.

Termino este livro com a exclamação do apóstolo Paulo “oh profundidade das riquezas, tanto da sabedoria como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, quão inescrutáveis os seus caminhos! Quem compreendeu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele e para ele são todas as coisas. Glória, pois, a ele eternamente. Amém” (Rm 11.33-36).


ESSA É A NOSSA IMUTÁVEL ESPERANÇA E JUBILOSA EXPECTATIVA
 (2ª PEDRO 1.19). ORA VEM SENHOR JESUS! AMÉM!

Nenhum comentário:

Postar um comentário