TEOLOGIA EM FOCO

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

CIÊNCIA CRISTÃ


I.     HISTÓRICO

A religião Ciência Cristã toma como base a Bíblia, mas junto a Ela uma nova revelação no seu livro Ciência e Saúde Com a Chave para as Escrituras (1875). Na realidade não tem nada de ciência nem de religião, foi fundada por Mary Baker Eddy, nascida em 15 de junho de 1821 em Bow, Estado de New Hampshire, EUA. Eddy quando jovem freqüentava a Igreja Congregacional de Tilton, mas na realidade jamais nasceu de novo, pois foi influenciada por um curandeiro popular chamado Phineas Parkhurst Quimby, que anunciava um novo método para curar enfermos, ensinando-os a natureza de seu mal, a afirmando que podiam curar-se por seu estado mental, Quimby seguia a orientação do espírito de um médico francês Charles Poyen, Eddy procurou o curandeiro para sanar uma enfermidade, ela sofria constantes ataques nervosos e um mal crônico na espinha, devido à queda no gelo em 1866. Passou então, a ler os Evangelhos em casa, lendo a cura do paralítico por Jesus e, ainda, influenciada da pelas idéias de Quimby, sentiu-se curada.

Segundo seus próprios relatos: “Foi depois da morte de Quimby que descobri em 1866, os fatos importantes relacionados ao espírito e com a superioridade deste sobre a matéria e denominei ‘Ciência Cristã’ a minha descoberta” {citado em Pergunte e Responderemos, 01/1955, p.38}.

A crença Espírita baseia-se nas porções bíblicas, mas adiciona uma série de novas revelações advindas dos mortos. Como crer em tais revelações e na sua autoridade, de acordo com a fé Cristã? Servirão tais revelações como aceitáveis, como advindas de autoridade? Nós os herdeiros da fé não aceitamos ensinos que venham a contradizer o que Cristo ensinou, e, aliás, sua natureza é imutável (Hb 13.8; Nm 23.19; Gl 1.8-9; Mt 24.35).

II.   DOUTRINAS

O que diz esta seita a respeito de Deus, Jesus Cristo, pecado, enfermidades e da Bíblia?
O Deus da Ciência Cristã não é um ser pessoal. Dizem: “Deus é o princípio da metafísica Divina” [Livro Ciência e Saúde (CS) p. 112].

1.      “Deus é tudo em tudo”.
2.      Deus é o bem. O bem é a mente.
3.      Deus, o Espírito, sendo tudo, a matéria nada é.
4.      “A vida, Deus, o bem onipotente, nega a morte, o mal, o pecado, a doença” [CS p. 113].

Como se explica o Senhor Deus não ser uma pessoa? E seus atributos pessoais e divinos? Deus não ama? Não é misericordioso? Não é piedoso?  Não se identificou a Moisés como pessoa? Como responder estas interrogações Sra Eddy?

Sobre a pessoa de Jesus Cristo dizem: “A Virgem-Mãe concebeu esta idéia de Deus, e deu ao seu ideal o nome Jesus – isto é, Josué, ou Salvador” [CS p.29]. “O Cristo, com uma idéia espiritual ou verdadeira de Deus, vem hoje, como outrora, pregando o evangelho aos pobres, curando os doentes e expulsando males” [CS p. 347].

Surpreendente esta declaração de que a Virgem Maria nunca tivesse concebido o corpo de Jesus e que ela deu à luz a uma ideia e essa ideia chamava-se Jesus. Conforme a Bíblia, o anjo Gabriel anunciou a Maria que conceberia um menino, que seria santo, chamado filho de Deus (Lc 1.35), também esta criança tinha um crescimento normal e natural, não era em nada diferente dos demais meninos de sua idade (Lc 2.52), a Ciência Cristã está errada ao afirmar que Jesus era incorpóreo, pois Jesus tinha corporeidade. Se assim não fosse, porque Paulo declara de Jesus: “Porque n’Ele habita corporalmente toda a plenitude da divindade” (Cl 2.9).

Se não bastasse, ainda negam a eficácia do sacrifício salvívico de Jesus, observe:

“Um só sacrifício, por maior que seja, é insuficiente para pagar a divida do pecado” [CS p. 23]. “Acaso a Teologia erudita considera a crucificação de Jesus principalmente como meio de conceder perdão fácil a todos os pecadores que o peçam e estejam dispostos a ser perdoados?” [CS p.24]. Nós, todavia, preferimos ficar com a Bíblia que diz:

“No qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça” (Ef 1.7).

Apesar de afirmarem estar alicerçados na Palavra se contradizem afirmam muitos erros na Bíblia, que já não se pode aceitá-la como verdadeira. Sempre que uma declaração bíblica esteja em contradição com a Ciência Cristã, Eddy dizia que tratava-se de um erro da Bíblia. Podemos afirmar que a experiência de milhões de cristãos demonstra que a leitura e a interpretação literal de Bíblia, longe de levar-nos à incredulidade e ao desespero têm operado maravilhas em nossas vidas (2ª Tm 3.16-17).

A Bíblia Sagrada é o único ponto de referência confiável. Ela é a Palavra de Deus em fiel escrita. Muitos irão acusar-nos de idolatrar a Bíblia ao invés de adorar a Cristo. Dizem tais argumentadores, que é mais importante o que Jesus? Se desejarmos saber como Jesus agiu, diante de uma determinada circunstância, onde deveremos procurar tal conhecimento, senão a Bíblia? Por mais que os historiadores se esforçassem acerca de Jesus, puderam escrever uma história sobre Ele, como está nos relatos da Bíblia.

Tácito Pretório, sob o império de Domiciano em 88 d.C., isto é, 58 anos após a crucificação, faz nos seus anais, referências a Jesus. Plínio, tribuno da Síria, mais ou menos na mesma época, refere-se também a Jesus. Josefo, Tertúlio, Luciano, Seutônio, Euzébio, todos do primeiro século depois de Cristo, escreveram sobre Ele.

Escritores judeus e romanos escreveram muito sobre o Líder dos Cristãos, no tempo das grandes perseguições do imperador Nero.

A Bíblia Sagrada não só contém a biografia de Cristo, como é Ela em si a Palavra do próprio Cristo. Na Bíblia localizamos o caminho certo, encontramos através dela o padrão que Cristo estabeleceu para os seus seguidores.


Tudo o que ouvimos acerca das religiões chamadas Cristãs suas opiniões, seus ensinos, suas regras de fé, têm que ser julgadas pela religião de Cristo. SE OS ENSINOS DE UMA RELIGIÃO CONTRADIZEM A BÍBLIA, AQUELA RELIGIÃO NÃO É CRISTÃ.

Pr. Elias Ribas

pr.eliasribas2013@gmail.com