TEOLOGIA EM FOCO

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

CARTA À IGREJA DE LAODICÉIA

 “Ao anjo da Igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas, o princípio da criação de Deus. Conheço as tuas obras , que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente. Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca. Pois dizes: Estou rico e abastardo e não preciso de coisa alguma, nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifestada a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. Eis que estou à porta e bato (falo); se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo. Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz ás igrejas” (Ap 3.14-21).

Nome de uma cidade que antes se chamava Dióspolis, cidade de Zeus, melhorada e ampliada por Antíoco II, que lhe pôs o nome em honra de sua mulher Laodice. Era cidade principal da Frígida Pacatiana da Ásia Menor, e estava situada um pouco ao sul de colossos. Estava a 160 Km de Éfeso, e 80 Km de Filadélfia.

Uma das cidades mais ricas da Ásia; Possuía fábrica de panos e de vestuários de lã escura, produto de ovelhas criadas nas suas vizinhanças.

Tinha uma escola de medicina onde se produzia um ungüento que cura os problemas dos olhos.
Pelo ano 65 da era cristã, Laodicéia foi destruída por um terremoto. Os habitantes de Laodicéia reconstruíram a cidade á sua custa, sem auxílio do governo romano.

I. O princípio da criação (v. 14): Refere-se a Jesus: “No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele, nada do que foi feito se fez” (Jo 1.1-2).

II. Conheço as tuas obras (v. 15): O homem jamais consegue esconder-se do olhar de Deus. Diz o Salmo 139.7-8 “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a mina cama no mais profundo abismo, lá estás também”.

Deus vê todas as coisas e sabe todas as coisas que praticamos. Não temos como esconder.

III. Nem és frio, nem quente (v. 15): Refere-se aquelas pessoas que vem a igreja, mas não querem compromisso e nem responsabilidade com o Reino de Deus. Eles acham que estar dentro de uma igreja é o suficiente, ou seja, eles acham que a igreja lhe garante a salvação.

IV. Vomitar-te (v. 16): Perto de Laodicéia havias fontes de água mineral morna e emétrica, que o viajante sedento rejeitaria com nojo (ânsia de vomito). Este é o desgosto que Cristo sente para com uma igreja espiritual morna. Qualquer outra condição espiritual seria mais promissora.

V. Estou rico (v. 17): Esta igreja era cristã, mas havia se corrompido através das riquezas.
A igreja local da cidade era rica, acomodada e prevalecente da soberba e das riquezas.

A cidade era próspera o povo era rico materialmente, não tinha falta de nada. Havia industria, e um centro bancário, mas Jesus diz: “Não sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu”.

O orgulho de Laodicéia através de suas riquezas (seu centro bancário, seus oftalmologistas,  seus colírios, suas fabricas de tecidos) serviram para dar visão e decadência espiritual. Jesus não está condenando as riquezas, mas o orgulho e o amor pelas riquezas materiais.

A igreja de Laodicéia precisava desesperadamente da graça que regenera, das vestes da justiça de Cristo e de olhos do coração iluminados pelo Espírito Santo.

VI. Ouro refinado pelo fogo (v. 18): Simboliza a verdadeira riqueza celestial, sem mácula (pecado); representa a verdadeira santidade (a separação do mal).
Simboliza a nossa vida limpa pelo fogo da Palavra de Deus.

VII. Colírio para ungires os olhos (v. 18): A cidade tinha os melhores oftalmologistas do mundo, os melhores colírios, mas Jesus aconselha que compres colírio para ungires os olhos. Tinham o colírio material, mas não tinha unção do Espírito Santo. Sem está unção o cristão não vê espiritualmente se não só materialmente.

Jesus refere-se ao colírio espiritual para que o homem veja a verdade. Jo 8.32, 36 “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. 36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Quando o povo não conhece a verdade está cego, nu e desgraçado. Anda em caminhos errantes.

Tinham um centro bancário, mas Jesus chama de pobres.
Tinham as melhores roupas, mas Jesus chama de nu.
Tinham os melhores colírios, mas Jesus chama de cegos.
Tinham tudo, mas Jesus chama de infeliz e miseráveis.

VIII. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te (v. 19).
Cristo chama atenção desta igreja ao arrependimento. E para que isto aconteça, Ele disciplina, ensina, aconselha, fala, para que todos venham ao arrependimento.

IX. Eis que estou a porta e Falo (v. 20).
A Palavra “fala” no gr. é Lego – Eu digo, eu falo. Aqui Jesus demonstra o profundo amor que Ele tem pelos Seus filhos. Ele está em nossos corações todos os dias a falar. Ele fala de muitas maneiras conosco; através de Sua Palavra, através de sonhos e revelações; e muitas vezes Ele usa alguém para falar conosco.

Na igreja de Laodicéia Cristo estava para o lado de fora. Por causa do orgulho o Senhor se retirou. Ele habita na humildade, por que Ele é humilde.

Aqueles que estão com a porta fechada podem abrir e desfrutar de uma íntima compaixão com o Senhor. O fato de Ele esperar pela abertura da porta mostra o paradoxo da graça e responsabilidade pessoal.

Aquele que ouvir a voz do mestre e abrir o seu coração, então Ele entra para cear e para morar. O nosso corpo é o templo do Espírito Santo, e quando abrimos o nosso coração, Ele habita em nós (faz morada) e somos ricamente abençoados por Ele, nesta vida e na vida eterna.

X. Vencedores (v. 21).
São aqueles que ouviram sua voz e abriram seus corações, ou seja, obedeceram Sua Palavra e cumpriram Seus ensinamentos. Para esses Ele diz: “... dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono”.

XI. Ouça o que o Espírito diz ás igrejas (22).
Ouça e não te faças de surdo, escute a voz terna de Jesus e abra o seu coração para que Ele faça morada. Escute ouça o que o “Espírito diz as igrejas”.

Pr. Elias Ribas
Igreja Evangeléica Assembléia de Deus

2 comentários:

  1. parabens pelo blog, gostei muito do seu espaço, que Deus continue te abençoando sempre, visite meu blog passa la e comenta...

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor(a) para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias. Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir