TEOLOGIA EM FOCO

sábado, 27 de fevereiro de 2016

O ESPÍRITO HUMANO


1. Definição do termo.
A palavra “espírito” vem de uma raiz hebraica: “ruach”, do qual se deriva o vocábulo grego “pneuma”; e no lat. spiritus. Nas três línguas clássicas, o termo espírito comporta o mesmo significado: sopro, hálito, vento, princípio de vida. O seu significado teológico, porém, vai muito além. Espírito é a parte imaterial que o Supremo Deus insuflou no ser humano, transmitindo-lhe a vida, o movimento e a semelhança com a divindade. O espírito é o âmago e a fonte da vida humana. É a sede das qualidades espirituais do indivíduo, ao passo que os traços de personalidade residem na alma. Maria cantou para Deus e estabeleceu diferença entre espírito e alma (Lc 1.46-47).

Em geral os escritores bíblicos, especialmente os do Antigo Testamento, não se preocupam em distinguir o espírito da alma ou vice-versa. A distinção entre espírito e alma é decorrente da revelação progressiva de Deus no Novo Testamento.

Quando nos referimos ao “homem interior”, a Bíblia emprega vários termos: alma, espírito, coração, e mente. Destes termos, os dois – alma e espírito, são dadas proeminente especial.

Números 16.22 e 27.16, dizem que Deus é o Criador do espírito humano, e que Deus o fez de forma individual. Ele está na parte interior da natureza do homem, e é capaz de renovação e de desenvolvimento. O Espírito é a sede da imagem de Deus no homem, imagem perdida com a queda, mas que pode ser restabelecida por Jesus Cristo (Cl 3.10; 1ª Co 15.49; 2ª Co 3.18).

2. O espírito humano é obra do Criador.
O Senhor Deus soprou o espírito de vida no corpo inanimado “e o homem foi feito alma vivente”.

“E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente” (Gn 2.7).

Habitando no ser humano, existe o espírito dado por Deus em forma individual (Nm 16.22 e 27.16).

O espírito foi formado pelo Criador, na parte interna da natureza humana, capaz de renovação e desenvolvimento. Este espírito é o centro e a fonte da vida humana. A alma por sua vez possui e usa essa vida, e lhe dá expressão por meio do corpo.

Segundo Myer Parlmam “A alma é um espírito encarnado”.
Somos uma alma que habita num corpo e possui um espírito (Gn 2.7 e Sl 51).
O espírito fez o homem diferente de todas as demais coisas criadas, é dotado de vida humana e inteligência, e isto distingue da vida dos irracionais, (Jó 32.8).
O espírito é a lâmpada de Deus dentro de nós.

3. O espírito do homem e o Espírito Santo.
3.1. Deus é Espírito. Jo 4.24: “Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”.

Entende-se que, para que possamos ter contato com a matéria precisamos ser matéria, da mesma forma, para que possamos ter contato com Deus que é Espírito, precisamos ser um espírito também. Não ouvimos a voz de Deus com os nosso ouvidos físicos e tão pouco o veremos com os olhos da carne. Mas, a Bíblia afirma que é possível conhecer a Deus e este contato é possível apenas através de nosso espírito

Assim como o espírito humano foi divinamente inspirado no primeiro homem, assim também o Espírito Santo foi soprado aos primeiros discípulos: “E havendo dito isso, assoprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (Jo 20.22). Adão foi feito vivo pelo sopro de Deus e nós, como “novas criaturas” em Cristo, somos feitos espiritualmente vivos pelo “sopro de Deus”, o Espírito Santo (2ª Co 5.17, João 3.3, Romanos 6.4). Após a aceitação de Jesus Cristo, o Espírito Santo de Deus se une com o nosso próprio espírito de maneiras que não podemos compreender. O apóstolo João disse: “Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele em nós: por ele nos ter dado do seu Espírito” (1ª João 4.13). Esse Espírito Santo é o Espírito de Deus. E ele não é o mesmo do espírito do homem. Deus dá o Espírito Santo a quem Ele quer, “Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo” (1ª Ts 4.8).E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (João 20.22).

“Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”.

A Bíblia explica que se você não tiver esse Espírito Santo, você não vai entender as coisas espirituais de Deus. O Espírito Santo de Deus é que nos dá a capacidade de entender as coisas de Deus. Sem esse Espírito é impossível tentar entender qualquer coisa espiritual.

Deus exige de você uma condição para Ele lhe dar Seu espírito, “E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem”, Atos 5.32.

“O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm. 8.16).

O espírito do homem regenerado é o lugar onde o homem opera junto com Deus. Nosso espírito é regenerado e renovado e Aquele que habita neste novo espírito é o Espírito Santo. Os dois dão testemunho juntos.

5. Os cinco sentidos do espírito.

5.1. Fé. Significa confiança, crença. Logo a fé vem pelo ouvir, e o ouvir vem pela Palavra de Cristo (Rm 10.17).
Então de acordo com a Bíblia posso garantir que a fé está ligada ao ouvir, mas ela também está ligada ao imaginar. Ao ouvir a Palavra ficamos mais fortes e confiantes e imaginamos o que queremos atingir com a nossa fé. Em Hebreus 11.1 diz que a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se veem. Podemos dizer também que a fé sem ação é uma fé morta, então não adianta nada ter fé e não por ela em ação. Para agir usamos nosso corpo e nossa mente, ou seja corpo e alma.

5.2. Esperança. É quando desejamos muito que aconteça alguma coisa na nossa vida e por mais que demore esperamos que aconteça. A esperança está ligada a nossa mente, ela nos fortalece para que possamos seguir em frente, mesmo quando tudo da errado. A esperança está ligada a fé, pois mesmo quando tem tudo para dar errado continuamos confiantes e esperançosos.

5.3. Devoção. É uma dedicação a Deus, as pessoas tem canalizado a devoção para o lado errado. Então devoção é um encontro diário com Deus, é um momento intimo entre você e o criador. Ele, porém, retirava-se para os desertos, e ali orava. A devoção está ligada a fé e a esperança, devemos nos dedicar, crer e esperar em Deus.

5.4. Reverência. Sentimento de respeito, amor e humildade. Quando reverenciamos Deus de joelhos demonstramos nossa gratidão, pois sem a presença dele somos vazios, solitários e inúteis. De joelhos em reverencia demonstramos nossa fé, nossa esperança e nossa devoção.

5.5. Adoração. A adoração verdadeira é a honra prestada a Deus, a adoração exige amor, honra e respeito. A adoração é espiritual, pois Deus é espirito. A verdadeira adoração exalta a grandeza e a gloria de Deus. A adoração verdadeira está descrita na oração que Jesus deixou, o pai nosso, basta seguir e será um verdadeiro adorador. A Bíblia diz que Deus habita nos louvores, então cante e exalte ao senhor. Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor no esplendor do seu santuário.

6. Os animais tem espírito e alma?
Os animais não tem espírito. Eles somente possuem alma (Ec 3.21, Jó 32.8). Os irracionais não podem conhecer Deus, (1ª Co 2.11; 14.11; Ef 1.17; 4.23, e não tem relações pessoais com Ele.

Os animais têm uma nephesh (Gênesis 1.20), mas os seres humanos têm uma neshamah. Neshamá é a consciência e intelecto do homem que é uma parte da Divindade e, portanto imortal, por isso quando lemos no relato das Escrituras Hebraicas que D’us assoprou nas narinas do homem o Fôlego da vida, em hebraico lemos a palavra neshamá.
Deus fez o homem diferente dos animais por ter nos criado “à imagem de Deus” (Gênesis 1.26-27). Portanto, o homem é capaz de pensar, sentir, amar, projetar, criar e desfrutar de música, humor e arte. E é por causa do espírito humano que temos um “livre-arbítrio” que nenhuma outra criatura na terra tem.

7. O Espírito tem vida própria?
Efésios 2.5: “Estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)”.

Sem Jesus o homem está morto espiritualmente é o que diz o apóstolo Paulo. Estávamos mortos em nossos pecado, mas quando aceitamos a Cristo como nosso Salvador, somos vivificados nascemos de novo pela Sua graça.

Portanto, para mantermos nosso espírito vivos precisamos alimentá-lo, pois ele necessita basicamente de três “alimentos”, que são: LOUVOR, PALAVRA E ORAÇÃO. Ele deve buscar renovação constante no Espírito de Deus.

8. O espírito do homem representa a natureza suprema do homem, e a qualidade de seu caráter.

Há dois pecados que o homem pode cometer no seu espírito. Orgulho e rebeldia.
Aquilo que domina o espírito torna-se tributo de seu caráter. Por exemplo:

8.1. Orgulho. Arrogância de viver, orgulho, jactância, insolência, presunção; o homem que pensa e fala muito de si mesmo e seus bens e benefícios, suas riquezas, seus feitos, sendo estes quase sempre falatórios e exageros seus; um petulante convencido e vaidoso.

- Pv 16.18:A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda”. Isto reflete a queda do caráter, vejamos a seguir, outros espíritos que podem levar-nos a queda de caráter.

8.2. Espírito rebelde. Rebelde é um adjetivo para qualifica alguém que não obedece ninguém e nem escuta conselhos, que acredita que possui uma autoridade legítima.

1ª Samuel 15.22-23: “Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.
Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei”. Jeremias 5.23: “Mas este povo é de coração rebelde e pertinaz: rebelaram-se e foram-se”.

Números 20.10: “E Moisés e Arão reuniram a congregação diante da rocha, e Moisés disse-lhes: Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós”?

Salmo 78.8: “E não fossem como seus pais, geração contumaz e rebelde, geração que não regeu o seu coração, e cujo espírito não foi fiel a Deus”.

Quando o espírito luta, mas perde, o homem torna-se vítima de seus sentimentos e apetites naturais (é carnal). Esse estado de vida é descrito como morte espiritual, então faz-se necessário um novo nascimento (Ez 18.31; Sl 51.10).

Is 19.14. Espírito impaciente - Sl 106.33. Espírito de servidão - Pv 14.29 e Rm 12.15, e outros. Porém, em Ez 18.31, nos fala sobre o arrependimento que renova o espírito.

9. A fusão do espírito com a alma após a morte.

“E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu” (Ec 12.7).

O homem interior “espírito e alma” se desintegram do homem exterior “corpo físico” e seguem o seu destino: Céu ou Inferno, dependendo do contexto (cf. Lc 16.31). Esse é o momento em que se descreve o momento da morte. A morte é, então, a separação da alma e espírito do corpo, e através dos quais (alma e espírito) são introduzidos no mundo invisível.


Mas o corpo foi formado do pó da terra (Gn 2.7). A herança do pecado é a morte física: “No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás” (Gn 3.19).

Pr. Elias Ribas