TEOLOGIA EM FOCO

terça-feira, 23 de junho de 2009

ANDAR COM JESUS


At 4.13 “Ao verem a intrepidez de Pedro e João sabendo que eram homens iletrados e incultos, admirarem-se; e reconheceram que haviam eles estado com Jesus”.

Introdução: Pedro e João, eram dois pescador que Jesus escolheu para Seus discípulos. Eram homens iletrados leigos, em comparação aos doutores da Lei da época. O homem pode ser iletrado, mas quando ele tem um encontro com o Senhor Jesus e anda com Ele acontecem coisas tremendas na sua vida.

Com quem tu andas: Há um provérbio popular que diz: “Me diz com quem tu andas e te direi quem és”. Uma companhia pode ser boa, como também pode ser má. O cristão deve saber escolher seus amigos e companheiros para ter uma vida salutar. Mas a melhor companhia nesta vida é andar com Jesus. Mas quais as características de um homem poder andar com Jesus?

I. APRENDEMOS A HUMILDADE Mt 11.28 Jesus diz: “Tomai sobre vós o meu jogo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”. 1ª Pe 5.5b “Porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”.

A humildade deve estar dentro do coração e deve ser uma caracteristicas de um verdadeiro cristão. Vejamos o que aocntece ocom aqueles que possuem este atributo:

A. São olhadas por Deus: Sl 138.6 “Ainda que o Senhor é excelso, atenta para a humildade; mas ao soberbo conhece-o de longe”. Is 66.2 diz o Senhor: “É para este que olharei: para o humilde e contrito de espírito, o que trema da minha palavra”.

B. São ouvidas por Deus: Sl 9.12 diz o salmista Davi “...e lembra-se dele, não se esquece do clamor dos aflitos”.

C. Estão na presença de Deus: Is 61.1 “O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senhor me ungiu, para pregar boas novas aos mansos: enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar a liberdade aos cativos e abertura da prisão aos presos”.

D. São bem-aventurados: Mt 5.3 “Bem-aventurados os pobres de Espírito, porque deles é o reino dos céus”. Pv 16.19 “Melhor é ser humilde de espírito com os mansos, do que repartir o desposo com os soberbos”.

E. São exaltados por Deus: Mt 18.4 “Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no reino de Deus. Porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. Tg 4.6 “Deus resiste aos soberbos...”

F. São grandes no Reino de Deus: Mt 18.4 “Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, este é o maior no reino de Deus”.

G. São honrados: Pv 29.23 “A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra”.
H. São sábios: Pv 11.2 “Vindo à soberba, virá também afronta; mas com os humildes está a sabedoria”.I. Fazem parte do povo de Deus: Sf 3.12 “Mas deixarei no meio de ti um povo humilde e pobre, e eles confiarão no nome do Senhor”.

II. ELE TRANFORMA SUA VIDA.
Pedro era bravo, cortou a orelha do filho do sacerdote; Negou Jesus por três vezes, mas no dia do pentecostes em At 2, diz que todos foram cheio do Espírito Santo e como um vento veemente impetuoso e como línguas repartidas de fogo desceram sobre cada um deles. A vida deles foram transformadas e todos falavam novas línguas. Na primeira pregação de Pedro se converteram quase três mil almas ao Senhor. Isto é andar com Jesus.

III. RECEBE PODER
At 1.8 “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”.

IV. TEM QUE NEGAR A SI MESMO
Mt 16.24 “Então, disse a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue, tome a sua cruz e siga-me”. Lc 9.23 “Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome sua cruz e siga-me”.

V. SOMOS ILUMINADOS POR JESUS
Jo 8.12 Jesus diz: “Eu sou a luz do mundo quem me segue não andaras em trevas, pelo contrário, terás a luz da vida”.Jesus é a luz a força, e quem estiver com está ligado nele e tem a iluminação Dele. Em Mt 5.14 Jesus diz: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte”. Fl 2.15 Paulo diz: “Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo”.

VI. ELE NOS CAPACITA
Mt 11.29 Jesus diz: “Tomai sobre vós o meu jogo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”. 1ª Pe 3.18 “Antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno”.

VII. SOMOS IMORTALIZADOS
Teu nome está escrito no livro da vida. Jo 6.47, 54 “Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna”. 54 “Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia”. Jo 8.51 “Em verdade em verdade vos digo: Se alguém guardar a minha palavra, não verá a morte, eternamente” Jo 11.25, 26 Disse lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida,. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá. E tudo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês tu isto?

Conclusão: É glorioso e muito maravilhoso andar com Cristo, pois nEle apreendemos a humildade, somos iluminados, recebemos capacitação, recebemos poder e somos imortalizados, ou seja, vamos receber a vida eterna. Ele transforma nossa vida numa nova criatura.

Pr. Elias Ribas

sexta-feira, 12 de junho de 2009

JESUS CRISTO É A PEDRA PRINCIPAL


Mt 16.18-19 Jesus diz: Também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus: o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.

Introdução: “Sobre esta pedra edificarei a minha igreja”. Jesus refere-se a Si como Pedra Principal, e não a Pedro.

Pedro no grego é um substantivo masculino, “Petros”, que significa pedra pequena e móvel, ou fragmento de rocha. Pedra no grego é um substantivo feminino, “Petra” que é Rocha Grande e Firme.

I. Jesus é a PEDRA Principal
At 4.11 O apóstolo Pedro diz: Este Jesus é a Pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou pedra angular. Ef 2.20 Paulo diz: Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo Ele mesmo, Cristo Jesus, a Pedra Angular. 1ª Co 10.4 E beberam todos da Pedra espiritual que os seguia e a Pedra era Cristo. 1ª Pe 2.4 diz: E chegando-vos para Ele pedra Viva, reprovada na Verdade pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa. 6 Pois na Escritura se diz: Vede, ponho em Sião uma Pedra Angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido. Mt 21.42 Jesus diz: Nunca leste nas Escrituras; A pedra que os edificadores rejeitaram, essa se tornou a Pedra Angular; o Senhor fez isto, e é maravilhoso aos nossos olhos.

II. Jesus é o Fundamento Espiritual
Is 28.16 Portanto assim diz o Senhor Deus: Vede, assentai em Sião uma pedra, uma já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não será confundido.1ª Co 3.11 Paulo diz: Pois ninguém pode por outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.

III. A chave do Reino ESTA COM CRISTO
Mt 16.19 Jesus diz: E Eu te darei as chaves do Reino dos céus. Neste versículo Jesus não está dando a Pedro a chave da igreja ou do reino dos céus, e sim, Jesus está lhe dando poder em Seu nome. Chave é sinal de autoridade. Mt 28.18 Jesus diz: É me dado todo o poder nos céus e na terra. Todo o poder está nas mãos daquele que venceu o império da morte e dos infernos, e este poder Ele dá a qualquer um que com fé deseja usar o seu nome. Em Mc 16.17 Jesus diz: E estes sinais seguirão aos que crerem: E em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas. 18 Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão aos mãos sobre os enfermos, e os curarão. Lc 24.49 Jesus diz: E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. Jo 20.31 diz: E estes, porém foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais, vida em seu nome.

At 3.6 diz o apóstolo Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho te dou. Em nome de Jesus Cristo, o nazareno, levanta-te e anda. Jo 14.12-13 Jesus diz: Na verdade vos digo que aquele que crê em Mim também fará as obras que Eu faço, e as farás maiores do que estas, porque, Eu vou para meu Pai. 13 E tudo quanto pedires em meu nome Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.

Conclusão: Eu creio você leitor tenha entendi que a pedra principal é Jesus e não a Pedro. Jesus é o fundamento da nossa vida, Ele é Deus e também Criador. Porém, Pedro como criatura creu e usou com autoridade o nome de Jesus.

O nome do senhor Jesus é a chave poderosa que abre portas onde homem não pode abrir. Em Seu nome podemos abrir as correntes e romper as cadeias que o diabo coloca sobre as pessoas; Ele concede uma procuração para eu e você para que possamos usar esse precioso Nome. Jesus! Amém.

Portanto devemos usar com fé e mediante sua palavra.

Você como filho de Deus também pode usar está chave. Precisa apenas receber e crer neste maravilhoso nome. Ele concede uma procuração para eu e você, usar esse precioso nome. Jesus! Amém.


Pr. Elias Ribas

A VERDADEIRA PAZ

Is 9.6 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.

INTRODUÇÃO: O mundo atual caminha em busca de paz; muitos procuram a paz no budismo, espiritismo, na Ioga, na idolatria, na cartomante, na magia nos obuses etc. Mas não encontram. Agora eu lhes faço uma pergunta: ONDE ENCONTRAR A PAZ?

I. O QUE É PAZ
{No Hb. Shalon} que significa: harmonia, plenitude, firmeza, bem estar, êxito em todas as áreas. No dicionário Aurélio significa: Tranqüilidade, sossego, descanso da lama.

II. DE ONDE VEM A PAZ
Quando o homem pecou no jardim do Éden desobedecendo a Deus, ele perdeu a paz de espírito. Mas Deus pelo Seu infinito amor providenciou um meio para trazer a paz aos homens.

Em Lc 2.11-14 Os anjos disseram aos pastores: “Glória Deus nas alturas e paz na terra entre os homens a quem ele quer bem”.

A pessoa e a obra redentora de Cristo neste mundo significa uma maior glorificação nos céus, e paz divina para os habitantes da terra.

III. ONDE ENCONTAR A PAZ

1. Em Jesus: Jo 16.33 Jesus diz: “Estas coisas vos escrevo dito para que tenhais paz em mim. No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”. Jo 14.27 Jesus diz: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o á dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”.

A verdadeira paz, só encontramos em Jesus. A partida de Jesus para o Pai não marca a derrota, mas a vitória. O Espírito Santo continuará comunicando a paz e a segurança de Cristo em nossas vidas, pois Ele é a terceira pessoas da trindade, é o pacificador e o Consolador de Pai para as nossas vidas.

Jamais iremos encontrar paz se não entregarmos a nossa vida a Jesus Cristo. Sem Jesus não existe paz. Paulo aos Rm 5.1 diz: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”.

2. No evangelho de Jesus: At 10.36 “Esta é a palavra que Deus enviou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, pr meio de Jesus Cristo. Este é o Senhor de todos”.

Evangelho quer dizer: “Boas Novas de Salvação”.

Sem o conhecimento deste evangelho não encontraremos a paz de Cristo.

3. Pelo Sangue de Jesus Cristo: Cl 1.20 Paulo diz: “E havendo feito a Paz pelo seu sangue da cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus”.

Através do sangue de Cristo derramado na cruz do Calvário, somos redimidos de todas as nossas transgressões e culpas. Somente quando aceitamos o sacrifício de Jesus na cruz do Calvário, encontraremos o perdão de Deus e através do perdão receberemos a paz.

O homem só estará livre da culpa e condenação e encontrará perdão e paz no seu interior, quando aceitar e crer no sacrifício de Jesus na cruz para remissão dos pecados.

Ef 2.13-15 Paulo diz: “Mas, agora, em Cristo Jesus, vós que antes estáveis longes, foste aproximado pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si um novo homem, fazendo a paz”.

IV. O QUE FAZ PAZ

1. Excede todo o entendimento: Fl 4.6-7 Paulo diz: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém sejam conhecidas, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”.

Neste ponto Paulo era um verdadeiro exemplo. Mesmo enfrentado a morte de um mártir(Fl 1.20), ele não estava preocupado.

A paz divina no coração implica:
Desaparecimento de ansiedade, v.6.
Florescineto de ações de graça, v.7.
Santificação do pensamento, v.8.
Contentamento real em todas as circunstâncias, v.11-12.
Plena confiança no poder de Deus, v.13.

V. PAZ DEVE SER BUSCADA

Rm 8.6 “Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz”.

Depois da morte e ressurreição de Cristo só existem duas esferas: a “carne” e o “Espírito”. A carne não se refere á substância física, mas a “aquilo a que estamos sujeitos” (7.6).

É a esfera onde o poder do pecado e do diabo controlam, onde as obras da carne são praticadas. É impossível o homem morar nos dois lugares ao mesmo tempo. E ele tem o livre arbítrio para escolher o caminho.

Um caminho de morte e um caminho de paz. 1ª Pe 3.11 diz: “Aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcança-la”.

Existem três tipos de paz: Paz de Deus com o homem; paz do homem com Deus; e Paz entre os homens.

VI. A PAZ DEVE FAZER PARTE DA VIDA DO CRISTÃO

Mc 9.50 “Bom é o sal, mas se o sal vier a tornar-se insípido, como lhe restaurar o sabor? Tende sal em vós mesmo e a paz uns com os outros”.

O sal é essencial á vida nesses tempos, sendo o único meio de preservar os alimentos, tais como a carne, peixe etc. Jesus compara um cristão sem sal a um alimento, que não tem sabor.

VII. A PAZ É UM FRUTO DO ESPÍRITO. Gl 5.22.

VIII. SEM ESSA PAZ JAMAIS O HOMEM VERÁ A DEUS

Hb 12.14 “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.
É um imperativo de Deus a vida cristã.

Sempre viver em paz com o próximo (Mt 5.8, 24).

CONCLUSÃO: O homem que ainda não encontrou Jesus, não entregou sua vida a Ele ainda não conhece essa paz verdadeira. Sem o homem sente um vazio dentro dele, angustia tristeza, amargura, ilusões; esses são os reflexos negativos de uma vida sem Deus. Mas Jesus faz um convite a aceitar essa paz. Em Mt 11.28 Ele diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobre carregados, (oprimidos) e eu vos aliviarei”.

O convite é para todos sem distinção. É para os cansados os doentes os aflitos os tribulados os que ainda não encontraram a paz e nunca sentiram essa paz verdadeira de Jesus.

Pr. Elias Ribas

O HOMEM MARAVILHOSO ESTÁ AQUI

Jz 13.18 “Respondeu-lhe o anjo do Senhor e lhe disse: porque perguntas pelo meu nome, que é maravilhoso?”.

Introdução: Após Israel ter entrado na terra prometida Deus instituiu um governo Teocrático. Mas o Senhor constituiu juízes que tinham a missão de julgar de:

1. Julgar a nação – Encargos sociais.
2. E defender a nação dos inimigos.

Neste capítulo vv. 1 A Bíblia diz que fazia 40 anos que Israel estava nas mãos dos inimigos. Israel estava falido, preso saqueado e era escravo dos Filisteus. Aparentemente era impossível Israel se libertar, mas de repente Deus intercede e vem para libertar o Seu povo.

I. QUEM ERA MANOÁ
Um homem da cidade de Zorá, cerca de 22 km ao oeste de Jerusalém (fronteira de Dão e Judá). Manoá era da tribo de Dã.

II. A MULHER DE MANOÁ ERA ESTÉRIL v. 3: Neste tempo uma mulher estéril era desprezada. Esterilidade era o maior desprezo para uma mulher.

III. O ANJO DO SENHOR APARECEU PARA A MULHER DE MANOÁ E DISSE
V. 3 “Apareceu o Anjo do Senhor a esta mulher e lhe disse: Eis que é estéril e nunca tivesse filho; porém conceberás e darás à luz um filho. 4- Agora, pois, guarda-te, não bebas vinho ou bebida forte, nem comas coisa imunda. 5 Porque eis que tu conceberás e darás à luz um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu consagrado a Deus desde o ventre de sua mãe...”.

IV. UM HOMEM DE DEUS VEIO A MIM E SUA APARÊNCIA ERA DE UM ANJO DE DEUS:

V. 6 “Então, a mulher foi a seu marido e lhe disse: Um homem de Deus veio a mim; sua aparência era semelhante à de um anjo de Deus, tremenda; não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome”.
A mulher não quis saber nem Seu nome ela ficou maravilhada com a benção.

V. O ANJO DE DEUS É O PRÓPRIO JESUS
É uma teofania, ou seja, a maneira que Jesus se apresenta no Velho Testamento como o anjo de Deus.

- Como é o teu nome v. 17-18: porque perguntas pelo meu nome, que é maravilhoso?”.

Is 9.6 diz: “... e o seu nome será: maravilhoso, Conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.

alp pele’ significa: maravilha, prodígio extraordinário, coisa difícil de se compreender(referindo-se aos atos divinos de juízo e de redenção)

“Inefável separado”

VI. O ANJO DO SENHOR ESTÁ AQUI PARA

1. Para abençoar o seu povo: Israel era escravo dos filisteus e o Anjo veio para trazer novidade.

2. Para libertar: v. 4 – Jo 8.32 e 36 Jesus diz: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. V. 36 – “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.

A. Da droga, da bebida, do cigarro, da prostituição, da feitiçaria da idolatria.

B. Das tradições e dos dogmas: É eu sou desta igreja porque meu pai era e eu sigo a religião de meu pai.

Nós éramos escravos do pecado e o Anjo do Senhor (Jesus) nos trouxe a liberdade, ou seja, nos libertou do pecado e dos laços do inimigo.

3. Para curar: Is 53.5 “Mas ele foi transpassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos trás a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. Mt 8.17 diz: “Para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías; Ele tomou as nossas enfermidades e carregou com nossas doenças”.

Jesus quando estava neste mundo fez muitas curas:
  • Jesus curou a sogra de Pedro.
  • O paralítico em Carfarnaum.
  • A cura de dois cegos.
  • A cura da mulher que sofria há 12 anos com fluxo de sangue.
  •  A cura da filha de Jairo.
  • Jesus ressuscitou Lazaro.
  • Ressuscitou o único filho de uma viúva.
  • Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente.

4. Ele está aqui para te dar a Paz: Jo 16.33a Jesus diz: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo tereis aflições, mas tende bom animo; eu venci o mundo”. Cl 1.20 “E havendo feito a paz pelo sangue na cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, que nos céus”.

5. Para orientar:
Na Birmânia existia uma tribo que haviam conhecido a Deus, mas que ao passar o tempo seus descendentes foram esquecendo dos princípios e caíram no pecado. Mas um dia o cacique da tribo teve um sonho. Chegou um homem e lhes disse: Equipem um cavalo e soltem, mas vão atrás por que ele vai vos levar a um homem branco que tem um livro de Deus. E assim os fizeram conforme o sonho. O cavalão andou muito a uma outra cidade e ali entrou e foi até um terreno baldio e ali parou. Os que estavam junto disseram; Mas aqui não tem nada. Mas logo escutara um barulho, e foram investigar encontraram um homem branco cavando um posso. E então lhe perguntaram: É o Senhor que tem um livro de Deus? E ele respondeu que sim eu tenho. Então sai daí que precisamos falar com o senhor.
· Deus orientou Pedro, para falar com Cornélio.

· Ananias para falar com Paulo.

· Deus orientou Felipe para pregar para o Etíope o eunuco no deserto.

VII. A ÚNICA ORIENTAÇÃO É JESUS
Muitos procuram a solução de seus problemas no horóscopo, cartomante, bruxas, feiticeiros, casa espíritas na idolatria, no budismo em filosofias etc.

A única orientação é Jesus; Ele é Deus e criador de todas as coisas. Ele é onipotente, Onipresente e Onisciente. Só Ele sabe das tuas dificuldades, problemas e vendavais que tu passa.

Procure Ele é Homem maravilhoso.

VII. ELE ESTÁ AQUI PARA RECEBER A NOSSA ADORAÇÃO
Adorar é o ato de reverenciar, de cultuar de louvar.
Existem cinco níveis de adoração:

1. Público: É o ato de adorar na igreja.

2. Espontâneo: Não vou pensar o que vão dizer de mim eu quero é Deus.

3. Tradicional: Aqueles que louvam a Deus sem muito gesto e sem muita ação (Formalismo).

4. Farisaico: Faz tudo para chamar atenção: Os fariseus colocavam sininhos nas mangas dos vestidos para fazer barulho e chamar a tenção. Nas praças levantavam as mãos para o alto e gritavam: Oh! Senhor Jeová.

5. Em verdade e Espírito: São aqueles que ao saírem de suas casas já dizem: Senhor, irei a Tua casa para tributar louvor e gratidão. Vou render graça e bendizer o Teu santo nome, pois só Tu mereces a honra e a glória.

Conclusão: O Homem que me apareceu outro dia está aqui para receber a tua adoração. Ele está aqui para te libertar, te curar, e te abençoar. Glorifique seu nome e tribute louvor a Ele nesta hora.

Pr. Elias Ribas

COMO SER IMITADORE DE DEUS - CRISTO NOSSSO MODELO

 “Sede, pois imitadores de Deus, como filhos amados” (Ef 5.1).

INTRODUÇÃO: Imitador quer dizer parecidos ou semelhantes com alguém. E nós como cristão e filhos amados de Deus Pai devemos ser seus imitadores, ou seja, semelhante a Ele. Semelhantes no serviço (na Sua obra), na paciência, na humildade, na perfeição e no amor.

I. CRISTO É O NOSSO MODELO E EXEMPLO

Um dos propósitos da encarnação foi o de que Cristo nos desse o exemplo:
Mt 11.29 “Tomai, sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”. 1ª Pe 2.21 “Porquanto para isto mesmo que foste chamado, pois também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos”.
Torna-se importantíssimo o estudo do Seu caráter, a fim de conhecermos o padrão, o ideal da jornada do cristão.

II. CRISTO FOI ABSOLUTAMENTE SANTO

Ele foi aquele "ente santo que de ti há de nascer" (Lc 1.35), o "Santo de Deus" (At 2.27); “o Santo e o Justo” (At 3.14), o “santo Servo Jesus” (At 4.27-ARA).
O Senhor Jesus era Santo por natureza; pois o príncipe deste mundo nada tinha nele (Jo 14.30).
Ele era sem pecado (Hb 4.5).
Era também Santo em Sua conduta; pois estava separado dos pecadores (Hb 7.26).
Sempre fazia o que agradava Seu pai (Jo 8.29).
E devemos ser santos porque Ele é Santo (1ª Pe 1.15-16).
Não temos desculpas para escolhermos um ideal mais baixo do que aquele que a Bíblia Sagrada nos aponta.


III. CRISTO VIVEU UMA VIDA DE ORAÇÃO

Jesus orava incessantemente. Lucas menciona várias ocasiões em que Ele orou. Passava longas horas em oração. Às vezes, passava a noite toda em oração (Lc 6.12). Em outras ocasiões, Ele levantava bem cedo e buscava um lugar solitário para orar (Mc 1.35).
Orava antes de se entregar às grandes tarefas, como por exemplo: antes de escolher os doze apóstolos (Lc 6.12-13).

Antes de começar a viagem missionária pela Galiléia: (Mc 1.35-38).
Antes de ir para o calvário: (Mt 26.36-46).
Orava pelos outros: Embora orasse por Si mesmo, nunca se esquecia de orar pelos seus (Lc 22.32; Jo 17).
Orava Intensamente, isto é, orava energicamente (Lc 22.44; Hb 5.7).
Orava perseverantemente (Mt 26.44).
Orava fervorosamente (Jo 11.41-42) e com submissão (Mt 26.39).
Se o Filho de Deus precisava orar, quanto mais nós precisamos buscar a Deus.

IV. NO SERVIÇO (Trabalhador).

Cristo foi um trabalhador incessante.
Is 53.3 está escrito: “Era desprezado, e o mais indigno entre os homens; homem de dores, experimentado nos trabalhos”.

“Jesus lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também” (Jo 5.17). “É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (10 9.4). Começando de manhã bem cedinho (Jo 8.2; Mc 1.35). Ele continuava até tarde da noite (Jo 3.2; Lc 6.12; Mt 8.16).

O Senhor Jesus às vezes não tinha tempo de se alimentar (Mc 3.20-21; Jo 4.31-34), e de descansar (Mc 6.31-34).

Seu trabalho consistia em ensinar (Mt 5.7); pregar (Mc 1.38,39); expulsar demônios(Mt 4.23-24; Mc 5.12,13); curar os enfermos (Mt 8.9); salvar os perdidos (Lc 7.48; 19.9); ressuscitar os mortos (Mt 9.23-26; Lc 7.14,15; Jo 11.43-44); chamar e treinar Seus discípulos (Mt 10; Lc 10).

V. NA OBEDIÊNCIA (Submissão).

Mt 12.50 Jesus diz: “Todo aquele que fizer a vontade de meu Pai que está no céu, esse é meu irmão e mãe”. Sl 40.8 “Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; a lei está dentro do meu coração”.

VI. NA PACIÊNCIA

1ª Ts 1.4 Paulo diz: De maneira que nós mesmo nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus por causa da vossa paciência e fé, em todas as vossas perseguições e aflições que suportais”. Rm 12.12 “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverais na oração”. Tg 5.7 “Sede, pois irmãos, pacientes até a vinda do Senhor: Vede que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até receber as primeiras ultimas chuvas”.

VII. NA HUMILDADE

È uma pessoa modesta, simples, despretensiosa (Ausente de orgulho).
Is 53.7 diz: “Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a sua boca; como cordeiro foi levado ao matadouro, e como ovelha muda não abriu a sua boca”.

Mt 11.29 Jesus diz: “Tomai, sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”.

A humildade de Cristo se vê principalmente em Sua humilhação. O Senhor Jesus “Não teve por usurpação ser igual a Deus, mas a si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz” (Fp 2.5-8).

Jesus se ocupou dos serviços mais humildes. "Não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos" (Mt 20.28). O Senhor Jesus nos provou a sua humildade, ele lavou os pés aos discípulos (Jo 13.14).

Fl 2.3 Paulo diz: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo”.

VIII. CRISTO FOI VERDADEIRAMENTE MANSO

Ele próprio diz: "Sou manso e humilde de coração" (Mt 11.29).
Exemplos de Sua mansidão podem ser vistos na forma como tratou uma pecadora arrependida (Lc 7.37-50).

No modo como Ele atendeu ao duvidoso Tomé (Jo 20.29).

E em Sua ternura para com Pedro após este tê-lo negado por três vezes (Lc 22.61;Jo 21.15-23).

A mansidão de Cristo é claramente mais vista no modo termo como tratou o traidor Judas(Mt 26.47-50; Lc 22.47-48).

E aqueles que o crucificaram (Lc 23.34).

O apóstolo Paulo ensina que o servo do Senhor não deve contender, e, sim ser termo para com todos, paciente, instruindo em mansidão os que se opõem (2ª Tm 2.24-25).

IX. COMO SERVO

Jo 13.5 “Depois colou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxuga-los com a toalha com que estava cingido”

X. SUBMISSO

Fl 2.8 “E achando na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz”.

XI. NA PERFEIÇÃO. (corretos, irrepreensíveis e leais).

1. Deus é perfeito: Mt 5.48 Jesus diz: “Sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai que está nos céus”.
2. È uma ordem de Deus para sermos perfeitos: Gn 17.1 diz: “Quando Abraão tinha noventa e nove anos de idade, apareceu-lhe o Senhor e disse-lhe: Eu sou o Deus todo poderoso; anda na minha presença e sê perfeito”.
3. Corpo, alma e espírito: 1ª Ts 5.23 Paulo diz: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, alma, e corpo, sejam plenamente considerados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.

XII. NO AMOR

A Bíblia diz que “o amor de Cristo excede todo entendimento” (Ef 3.19). “O amor de Cristo por nós se toma claro por ser descrito como aquele que excede o entendimento, o que não pode ser dito a respeito de nosso amor por Ele” (Salmond). O amor de Cristo é entendido como o seu desejo e disposição na promoção do bem-estar dos objetos de sua afeição pessoal, e de sua devoção particular. O amor de Cristo se dirige:

A) Em Primeiro Lugar, a Deus Pai. "Para que o mundo saiba que eu amo o Pai, e que faço como o Pai me mandou" (Jo 14.31-ARC).

B) Em Segundo Lugar, Às Escrituras. Ele tinha as Escrituras Sagradas como o registro fiel dos acontecimentos e doutrinas, que Ele veio cumprir (Mt 5.17-18); Ele usou as Sagradas Escrituras na tentação (Mt 4.4-10); esclareceu certas profecias referentes a Ele (Lc 4.14-21; 24.44-49); e declarou que as Escrituras não podem falhar (Jo 10.35).

C) O Amor De Cristo também é dirigido aos homens em geral. O Senhor Jesus foi acusado de ser "amigo de publicanos e pecadores" (Mt 11.19). O Senhor Jesus Cristo amou de tal maneira os perdidos, que deu a Sua vida por eles (Jo 10.11; 15.13; Rm 5.8).

Mais particularmente, Ele ama os seus discípulos. Jesus os ama tanto quanto o Pai O ama(Jo 15.9); os ama tanto que ninguém pode separá-los do Seu amor (Rm 8.37-39).

D) Cristo amou até Seus inimigos. Ele orou por aqueles que o crucificaram (Lc 23.34); e nos exorta a que amemos aos nossos inimigos (Mt 5.43-48).

E) Devemos amar como Ele nos amou: Jo 15.12 Jesus diz: O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como Eu vos ameis”. Jo13.34-35 Jesus diz: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros como eu vos amei a vós, assim também deveis amar uns aos outros”.

CONCLUSÃO: O Senhor Jesus quando esteve neste mundo, deixou o Seu exemplo para ser seguido. Como filhos de Deus, devemos seguir os exemplos que Jesus nos deixou.

Precisamos ser seu imitador, ou parecido com Ele; Assim como Ele é perfeito devemos ser perfeitos também.

Pr. Elias Ribas

SETE RAZÕES PORQUE CREIO EM JESUS

INTRODUÇÃO: Desejo mostrar ao leitores as sete grandes razões porque creio em Jesus como Messias e Salvador.

I. PORQUE JESUS É DEUS

Jo 1.1-3, 10, 14 diz: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por meio dEle, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Estava no mundo, o mundo foi feito por meio dEle, mas o mundo não o conheceu. O verbo se fez carne, e habitou entre nós. Vimos a glória, a glória como do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade”.
Ap 19.13 “Estava vestido com um manto salpicado de sangue, e o nome pelo qual se chama é o verbo de Deus”.

O apóstolo João começa seu Evangelho denominando Jesus Cristo de “O Verbo”. As escrituras declaram que Jesus Cristo é a perfeita revelação da natureza e da pessoa de Deus. Assim como as palavras de um homem revelam seu coração e mente, assim também Cristo, como o “O Verbo”, revela o coração e a mente de Deus.

João nos apresenta três características principais de Jesus Cristo como o Verbo.

1. O relacionamento entre o Verbo e o Pai: Cristo preexistia “com Deus” antes da criação do mundo. Ele era uma pessoa existente desde a eternidade, distinto de Deus Pai, mas em eterna comunhão com Ele. Cristo era divino (o verbo de Deus), e tinha a mesma natureza do Pai.

2. Relacionamento entre o Verbo (Cristo) e o mundo: Foi por intermédio de Cristo que Deus Pai criou o mundo e o sustenta. Hb 1.2 diz: A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. Cl 1.16-17 “Pois nEle foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por Ele e para Ele. E Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por Ele”.

3. O relacionamento entre o Verbo e a Humanidade: “E o Verbo se fez carne” (v. 14). Em Jesus, Deus tornou-se um ser humano com a mesma natureza do homem, mas sem pecado. Cristo deixou o céu e experimentou a condição da vida e do ambiente humano ao entrar no mundo pela porta do nascimento humano. Vejamos que Cristo não foi criado; Ele é eterno, e sempre esteve em comunhão amorosa com o Pai e com o Espírito Santo. Jesus veio ao mundo com a missão de resgatar e restaurar o homem que estava desligado do Pai, e salvar, isto é, livrar de uma condenação eterna.

II. PORUQE SÓ ELE PODE PERDOAR PECADOS

Ef 4.32 Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. 1ª Jo 1.9 Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda injustiça.

III. SÓ JESUS TEM A PALAVRA DA VIDA ETERNA

Jo 6.67-68 Então perguntou Jesus aos doze: Não quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. Jo 8.51 Jesus diz: Em verdade, em verdade vos digo que se alguém guardar a minha palavra, jamais verá a morte.

IV. JESUS É A ÚNICA PORTA DE SALVAÇÃO

Jo 10.7, 9 Portanto, tornou Jesus a dizer: Em verdade vos digo que Eu sou a porta das ovelhas. 9 Eu sou a Porta. Todo aquele que entrar por Mim, salvar-se-á. Rm 5.2 Mediante quem obtivermos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

V. SÓ JESUS TEM A SALVAÇÃO PARA AS NOSSAS VIDAS

Is 59.16 diz: “Ele viu que não havia ninguém, e maravilhou-se de que não houvesse intercessor, pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve. Lc 19.10 Jesus diz: Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. Jo 3.16 Jesus diz: Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Hb 7.25 Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

VI. SÓ JESUS TEM PODER PARA TRASFORMAR O PECADOR

2ª Co 3.18 Paulo diz: Mas todos nós, com o rosto descoberto, refletindo a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. 2ª Co 5.17 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo. Cl 3.10 E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou.

O homem que aceita Cristo no seu coração, passa a ser uma nova criatura, isto é, uma transformação de vida; e só em Jesus encontramos esse poder de transformar o homem numa nova criatura.

VII. POQUE JESUS MORREU NUMA CRUZ PARA AQUISIÇÃO DA NOSSA SALVAÇÃO E RESSUSCITOU AO TERCEIRRO DIA

Jo 10.11 Jesus diz: Eu sou o bom Pastor: O bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Jo 19.17-18 Então os soldados tomaram a Jesus. Ele próprio, levado a cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota. Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio.

Em Mt 17.22-23 Ora, achando-se eles na Galiléia, disse-lhes Jesus: O Filho do Homem será entregue nas mãos dos homens. 23 E matá-lo-ão, e ao terceiro dia ressuscitará. E eles se entristeceram muito. Mt 16.21 Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muito dos anciões, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto e ressuscitar ao terceiro dia.

Hb 12.2 Olhando firmemente para Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual pelo gozo que lhe estava proposto suportou a cruz, desprezando a ignomínia (desprezo), e está assentado à destra do trono de Deus. 1ª Co 15.3 Pois primeiramente vos entreguei o que também recebi: Que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras. Jo 15.13 Jesus diz: Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a própria vida pelos seus amigos.

CONCLUSÃO: Eu creio em Jesus como Messias e Salvador, porque nEle se cumpriram todas as profecias preditas pelos profetas, e a grande razão de crermos nEle é porque Ele morreu e ressuscitou ao terceiro dia; foi visto pelas mulheres, Maria sua mãe a Maria Madalena, pelos dois discípulos no caminho de Emaús, e muitas vezes pelos seus discípulos quando estavam reunidos e pelo apóstolo Paulo no caminho de Damasco. Na carta aos Corinrtos (1ª 15.6) Paulo diz que Jesus foi visto por mais de quinhentos irmãos; e no livro de At 1.10-11 diz que seus discípulos e muitos irmãos que ali estavam viram Jesus subir ao céu, e hoje Ele está à direita de Deus Pai a interceder por nós conforme Hb 1.3; 8:1; 12.2. Portanto, chegamo-nos a Ele com fé e esperança de um dia viver com Ele na eternidade, isto é, na vida após a morte, pois só através de Jesus podemos chegar ao Pai.

Pr. Elias Ribas

EM QUE JESUS EU CREIO


“Indo Jesus para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus” (Mt 16.13-19).

Ao lermos o episódio descrito no texto, sobrevém uma questão perturbadora: será que cremos no Jesus correto? Mas como, se há só um Jesus verdadeiro? De fato, há quase dois mil anos, o homem que andava pelas regiões da Judéia e Galiléia, sempre acompanhado por doze discípulos, Homem Hábil nas escrituras, reto e íntegro, era chamado pelo nome de Jesus.

Pois quando esse Jesus perguntou aos seus discípulos pela visão que a opinião pública tinha dEle, ouve a resposta: Uns dizem: João Batista; outros: Jeremias, ou algum dos profetas. Se esta era a visão que a opinião pública tinha dEle, e se os discípulos reconheceram que Jesus realmente era o Cristo, o Filho do Deus vivo, convém cada um perguntar-se.

Em que Jesus eu creio?

Num Jesus João Batista? Num Jesus Elias? Ou em um Jesus algum dos profetas? Ou no Jesus, o Cristo, o Filho do Deus vivo?

I. Num Jesus João Batista?

João Batista ensinava com vigor sobre a necessidade de arrependimento e preparação para a vinda do Reino de Deus. Oferecia o batismo aos que estavam arrependidos. Pregou a lei ao rei Herodes, devido ao seu pecado, especialmente o pecado de adultério e acabou tendo a sua cabeça cortada.

Para muita gente Jesus é visto como alguém que prega a lei em toda a sua dureza, chamando de “raça de víboras” e, como João oferece o batismo. Recebe-se o batismo e, falando figuradamente, logo lhe é cortada a cabeça. Assim eles têm um Jesus “sem cabeça”, isto é, que já não exerce a influência em sua vida e em suas decisões. Aqueles que desprezam a Palavra de Deus, não se entregam a uma vida de oração e à prática da fé, é como se estivessem decepando a “cabeça” de suas vidas, Jesus Cristo.

É importante perguntar-se: Creio eu num cristo desses, num Jesus João Batista, de cabeça cortada, que não exerce influência em minha vida e em minhas decisões?

II. Num Jesus Elias?
Elias foi um dos sensacionais profetas de Deus no Antigo Testamento. Grandes realizações o acompanharam. Predisse seca e, após três anos e meio previu que voltaria a chover. Multiplicou farinha e azeite na casa da viúva de Sarepta, além de realizar outros milagres. Subiu ao céu num carro de fogo, conduzido por cavalos de fogo, sem Ter de experimentar a morte.

É muito elevado o número de pessoas e religiões adeptas do “Jesus Elias”. Ele é o Senhor da prosperidade. O seu slogan poderia ser: “Aceite a Jesus Elias como Senhor sobre sua vida e tudo irá mudar: saúde, relacionamentos, negócios, dinheiro, reputação”. A prosperidade e as vantagens não poderiam tardar aos adeptos desse Jesus Elias. Afinal, experimentar a glória já é um grande negócio. É unir o útil ao agradável.
Não quer dizer que cristãos não devam procurar progredir na vida. O problema é se eles procuram um Jesus do qual apenas precisam para resolver os seus problemas e prosperar na vida, esquecendo-se sempre mais daquilo que Jesus diz:

“Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida por minha causa, achá-la-á. Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mt 11.27).

III. Um dos profetas
Os discípulos ainda falaram a Jesus que o povo dizia que ele era um dos profetas que ressuscitou. Qualquer um deles. Os profetas eram sujeitos admirados enquanto estavam longe. Mas quando se aproximavam com mensagens, especialmente de condenação à práticas pecaminosas, passavam a ser odiados, perseguidos e muitos deles foram mortos. Os profetas do Antigo Testamento eram extremamente desagradáveis aos que pretendiam viver independentes de Deus. Diria-se hoje que eles violavam o “sagrado direito” de cada um fazer o que bem entende. Também seriam detestados hoje, não é verdade?

Quantas pessoas têm em Jesus nada mais que um dos profetas, que é visto como aquele que, quando vem, é para fazer represálias, tem mil e uma exigências e não passa de um desmancha-prazeres. Enquanto está longe é um bom camarada, mas quando se aproxima passa a ser inconveniente.

Quando a Palavra de Deus parece simpática a alguém, mas não passa disso e, na verdade, há receio de se aproximar de Jesus e da sua Igreja, e há indiferença ou negligencia em praticar a fé e o verdadeiro amor, Jesus é, nada mais nada menos, do que um dos profetas.

A pergunta feita inicialmente se reveste de grande importância para nossa reflexão: “Em que Jesus eu creio?”.

IV. Cristo, o Filho do Deus vivo
Os discípulos, tendo como porta-voz seu companheiro Pedro, reconheceram e confessaram que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo. Este é o Jesus verdadeiro. Este é o Salvador do mundo. Felizmente muitos crêem neste Jesus. Aquele que deve ocupar o 1º lugar no coração dos verdadeiros cristãos, pois não aceita uma posição secundária. Um Jesus que não deu fortuna a nenhum dos seus 12 discípulos e que carregou e sofreu sua cruz. Um Jesus, que, antes de fazer exigências aos homens, satisfez, Ele mesmo, as exigências de Deus, cumprindo todos os seus mandamentos.

Este é o verdadeiro Jesus que Deus Pai nos enviou. O verdadeiro Jesus Cristo que a Bíblia nos mostra e nos ensina. É o único que nos concede vitória sobre o pecado, a morte e o diabo. Aquele que pagou nossa grande dívida e que nos anuncia a absolvição de toda a culpa. O que esse Jesus, o verdadeiro Jesus, fez por nós nenhum outro poderia fazer. Isto é maravilhoso! Pena que os impenitentes, isto é, aqueles que não reconhecem e não se arrependem dos seus pecados, os fascinados pelas coisas do mundo, os que não pensam em ser servidos, não consigam perceber ao receber o grande presente que Ele nos oferece.

Mas, por outro lado, os tristes de coração, arrependidos dos pecados, que reconhecem sua fraqueza diante de Deus, percebem a doçura do perdão dos pecados, a maravilha da reconciliação com Deus, a satisfação do convívio com Deus, sua Palavra, sua Igreja. Reconhecendo o grande amor de Cristo, a graça do perdão e a certeza de que Ele os receberá junto de si nas mansões eternas, estes querem segui-lo com fidelidade e servi-lo com alegria, não importando o preço que será pago para tal – espontaneamente o desejarão fazer.
Este é o incentivo de Jesus: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Naturalmente isso não é fácil. Mas aquele que assim incentiva, também dará condições e forças para se poder cumprir a sua vontade.

O verdadeiro Jesus nós encontramos na Bíblia Sagrada. Daí a importância de lermos regularmente a Escritura, de ouvirmos sua mensagem e nela meditar. Fora da Palavra apenas se encontram “falsos jesuses”.
Se muitos ainda hoje crêem num Jesus João Batista, num Jesus Elias, num Jesus algum dos profetas, reconheçamos e creiamos no Jesus verdadeiro. Sigamo-lo com fidelidade, não importando as adversidades que possam surgir e sejamos suas testemunhas.

Certamente vai ser fantástico quando formos recebidos no céu e podermos dar um grande abraço e um grande beijo no rosto de Jesus e então viver com ele e com os seus anjos e todos os salvos para todo o sempre.

Não tem razão o apóstolo Paulo quando expressa o seu anseio: tenho o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor?

Para que isso suceda, o que sem dúvida será fantástico e maravilhoso, creiamos no Jesus verdadeiro e sigamo-lo com fidelidade até o fim para ouvirmos seu glorioso convite: Vinde, benditos de meu Pai entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Então podemos dar um grande abraço e um grande beijo em Jesus, estar e viver na sua companhia para todo o sempre. Amém.

Pr. Elias Ribas
Igreja Ev. Assembléia de Deus

quarta-feira, 3 de junho de 2009

PRINCÍPIOS PARA UMA MINISTRAÇÃO ABENÇOADA

"Quem te não temerá, ó Senhor, e não glorificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão e adorarão diante de ti, porque os teus atos de justiça se fizeram manifestos" - Apocalipse 15.4.

Temos aqui um tema que requer de nós especial atenção. Para alguns, trata-se de um terreno desconhecido. E mesmo para aqueles que têm algum conhecimento, sempre será um desafio novo. Cada culto é uma experiência nova, de onde extraímos lições que vão nos moldando e formando em nós o perfil de verdadeiros adoradores, que em função desse aprendizado, vão sendo confirmados como ministros diante da congregação.A ministração do louvor exige total responsabilidade, entrega e dedicação, daí o fato de que se trata de um ministério, e ministério com peso pastoral. A administração desse serviço se faz garantir através de princípios divinos que devemos encarnar, praticar e deles depender sempre. Esses princípios nos livram da mediocridade e contribuem para que busquemos a excelência nesse ministério, em louvor ao nosso Deus! (Fl 1.10-11).

Sensibilidade - Salmos 43:3.Sensibilidade fala de percepção, de revelação, de ter luz. É uma ferramenta essencial, pois facilita em muito a nossa tarefa. É indispensável no momento do culto, na relação que temos com o Espírito, com os músicos e com as pessoas em geral.Dependência do Espírito - Efésios 5.18.É dependência geral, total e irrestrita. Paulo diz que onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade (II Co 3.17). O dirigente deve ganhar a visão de que o culto é do Espírito Santo e Ele sabe o que é melhor para cada pessoa (Rm 8.26-27). Ele indica o cântico, a frase, a oração a ser feita, enfim, tudo.Inspiração (Palavra de Deus) - Salmos 22.25.O dirigente sempre precisa estar inspirado. A inspiração nasce do nosso tempo diário com Deus (Sl 34.1). A fonte principal é a Palavra. Quanto mais Palavra eu tiver, mais inspirado serei (Cl 3.16).

Expressão - Gálatas 5:22.A Palavra diz que o coração alegre aformoseia o rosto (Pv 15.13). O fruto do Espírito produz amor, paz, alegria etc. O dirigente deve meditar naquilo que canta. Esse exercício constante resulta numa expressão de vida abundante.Segurança (saber o que fazer) - 2ª Co 3.4-6.A congregação espera que o dirigente a conduza na ministração. É como o motorista de um coletivo cheio de pessoas. Todos esperam que ele tenha conhecimento do que faz e possam assim chegar ao seu destino.

Identificação (sacerdote) - Hebreus 5.1.O dirigente é um sacerdote, um intermediário entre Deus e os homens. Portanto, deve estar profundamente identificado com os interesses do Senhor e dos homens.O ministério de Jesus - Hebreus 2.12.O dirigente deve ter a visão de que Jesus está em meio à congregação cantando louvores. Deus habita no meio dos louvores do seu povo (Sl 22.3).

Conclusão: Se estivermos atentos a estes princípios, colheremos resultados surpreendentes do nosso trabalho. A igreja será abençoada, edificada, e o Senhor glorificado junto ao seu povo.
Deus abençoe!

Ronaldo Bezerra(Para falar com o Ronaldo envie sua mensagem para ronaldo_bezerra@hotmail.com)